quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Vai por aí uma azia...


De acordo com uma fonte da Associação Nacional de Farmácias, a venda de sais de frutos bateu recordes durante o dia de hoje. Depois de a venda da dívida ter contrariado as previsões dos catastrofistas, à noite ainda havia de vir esta notícia...
Na S. Caetano à Lapa e nas redacções da maioria dos jornais, tem sido um corropio para comprar ENO. Algumas farmácias esgotaramo stock e estão a vender Kompensan

Época de saldos

Não vai ser fácil cumprir o objectivo de trazer aqui posts mais optimistas, durante o ano de 2011. Espero, no entanto, receber a inspiração necessária para as novas rubricas que tenho em mente. Até lá lembro que estamos em época de saldos, pelo que se precisarem de umas roupinhas para este Inverno, o melhor é apressarem-se, porque quando se fala de saldos, não há crise que resista.

Dicionário do Rochedo (50)

Cavaco - Lasca de madeira; graveto.Conversação rápida e sem assunto fixo. Dar o cavaco: irritar-se, zangar-se, por ter sido motivo de troça ou brincadeira.
Desta vez, o dicionário da Porto Editora coincide com o Dicionário do Rochedo. Mas não posso deixar de sorrir quando vejo cavaco associado a graveto, porque me lembro logo deste dicionário de Pronúncia do Norte

Jornalismo independente

Um dia destes lá tive de ouvir a reacção indignada de um jornalista contra os ataques de Chavez à "imprensa independente". Deve ter pensado que enlouqueci, porque me deu um ataque de riso. Quando recuperei a compostura perguntei-lhe em que jornal trabalhava. Perante a resposta tive novo ataque de riso.
Finalmente, com ar sério, ainda ousei perguntar se a noção que ele tinha de "jornalismo independente" era trabalhar num jornal que não pertencia ao Estado. Como a resposta foi afirmativa, sugeri-lhe que escrevesse um artigo contra a empresa que lhe paga todos os meses o salário e virei-lhe as costas.

Late night wander (9)

Quando alguns candidatos à PR procuram arrebanhar votos com o argumento de não serem políticos, ou não terem conotações e militância partidárias, não estarão a contribuir para o descrédito da política ?