terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Pedro! Tu és Durão e sobre os escombros de Portugal construirás o teu futuro...

A entrevista de Pedro Passos Coelho ao DN é de uma vacuidade confrangedora e de uma hipocrisia de vómito. Nada que me surpreenda. Não deixa porém de ser preocupante constatar a mesquinhez de PPC, ansioso pela entrada do FMI em Portugal, apesar de afirmar o contrário.

Não se percebe, também, onde PPC vai buscar argumentos para afirmar que se o FMI entrar em Portugal, como ele deseja, terá de haver eleições. Nem na Grécia, nem na Irlanda isso aconteceu, porque deveria haver eleições em Portugal? Mas ele lá sabe as conversas que terá tido com Cavaco e os amigos alemães sobre a matéria... ( Já repararam como PPC gosta de dar entrevistas à imprensa alemã?)

O que ressalta da entrevista é que PPC se sentirá mais confortável em governar o país, tendo o FMI como aliado, do que chegar ao poder sem esse estofo. Compreende-se. PPC não tem uma ideia para o país, pelo que será cómodo governar com a almofada que lhe permita invocar constantemente as imposições do FMI, para tomar medidas que agradem aos mercados, a Berlim e Paris e conduzam o povo português a uma situação insustentável.

A verdade, porém, é que com PPC no poder, a revolta social aumentará e o país atravessará um período conturbado. O líder laranja não está minimamente preocupado com isso. Em um ou dois anos desempenhará com distinção o papel de mandatário de Merkel e Sarkozy e, depois, verá os seus serviços recompensados com um lugar de destaque na Europa. O exemplo de Durão Barroso criou nas hostes laranjas uma nova filosofia: servir os interesses de estrangeiros, para ter direito a um lugar na Europa. É só isso que move PPC.

Adenda:Entretanto, alguns blogueiros "independentes" mostram-se nervosos com a reacção de Cavaco.

Regras para conseguir uma notícia ( na televisão)

Já aqui escrevi sobre o assunto que o Pedro Tadeu aborda na sua crónica de hoje no DN. Mas eu sou um jornalista que está fora das redacções e a minha opinião poderia estar prejudicada pelo distanciamento. Pedro Tadeu, pelo contrário, até é subdirector do DN, portanto sabe do que fala quando escreve isto:

"Sabe como colocar uma notícia política destacada num noticiário televisivo? É simples. A direcção política de um partido, a chefia de um governo, um ministro, um deputado, um autarca, um aspirante ao poder tem de seguir três passos:

1 - Ter algo que possa parecer uma notícia (às vezes basta uma trica) em condições de publicação;

2 - Ter pelo menos um contacto pessoal de um jornalista "que faça capas";

3 - Ter maneira de, após a publicação "exclusiva", aparecerem imediatamente nas televisões os políticos e comentadores habituais da sua cor preparados para perorar sobre o assunto. Os adversários são obrigados a reagir. As TV agradecem...

Recomendo a leitura integral da crónica (basta clicar na transcrição que aqui faço), mas gostaria de acrescentar apenas uns pormenores. Quantas vezes os jornalistas não embarcam em publicar notícias sem confirmação credível? Teria sido Sócrates "perseguido" daquela maneira infame, durante dois anos, se não existisse a promiscuidade de que fala Perdo Tadeu? Teria Cavaco escapado ao escrutinio da sua ligação ao BPN? A leitura de alguns blogs dá a resposta.

Homens e máquinas


Tarde de domingo, minutos antes de começar o jogo de futebol na televisão.
Pai e filho estão há duas horas em volta da máquina de lavar. A água deixara de correr na torneira, impedindo a máquina de funcionar. A Mãe irrompe na cozinha e pergunta:
- Tanto tempo para arranjar uma torneira e ligar uma máquina? Está a fazer-se tarde para lavar a roupa. Depois ainda tenho de a estender e fazer o jantar para os meninos no intervalo da bola. Vejam lá se se despacham!
- Que queres? Pergunta o pai irritado. A torneira não se mexe, deve estar encravada.Temos de chamar o técnico amanhã.
A Mãe olhou-os complacente e soltou uma gargalhada
-De que te estás a rir? perguntaram os dois em uníssono
-Vocês não vêem outra torneira aí ao lado?
- Claro que vemos, mas é da máquina de lavar louça.
- Pois, mas nós não temos máquina de lavar loiça…
- E daí?
- Daí, se não conseguem desencravar a porcaria da torneira, basta ligar a máquina de lavar roupa à torneira da máquina de lavar louça e eu já posso pôr a roupa a lavar.
Pai e filho ficaram a olhar um para o outro com ar embrutecido. Seguiram as instruções da matriarca e ligaram a máquina. Pegaram nas bejecas e nos cachecóis e foram sentar-se diante do televisor. Esbaforidos e envergonhados.

Pelo país dos blogs

Aos que andam a confundir alhos com bugalhos e a tentar atirar poeira para os olhos, metendo no mesmo saco os casos Cavaco/BPN e Manuel Alegre/BPP, recomendo a leitura deste lúcido e certeiro post do Luís

Late night wander (8)

Estamos a viver um novo PREC. Agora, é a vez de o capitalismo selvagem querer tomar as rédeas do poder, sem se sujeitar a qualquer escrutínio popular.