quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Vitória de Pirro


Na rua Praia da Vitória havia uma loja de roupa para bebés prematuros. Já não há. Em seu lugar abriu uma loja de compra e venda de ouro- o grande negócio do momento.
 Conhecia há muito tempo as dificuldades da proprietária desta loja, que  tinha outros dois estabelecimentos na mesma rua.
Quando, na Primavera, me anunciou a intenção de vender a loja dos prematuros, para salvar as outras duas,  estava revoltada com Sócrates, a quem acusava de ser o responsável pela sua falência iminente. Poupo-vos aos epítetos com que mimoseou o ex-primeiro ministro, em contraponto com os elogios tecidos a Pedro Passos Coelho, que via como Salvador da Pátria.
Já no Verão, perguntei-lhe se estava satisfeita com a vitória do PSD. Respondeu-me de rosto fechado “ isto agora vai lá, mas continuo a pensar vender a loja e ficar só com estas duas”. 
Desejei-lhe boa sorte, mas saí do estabelecimento com a convicção de que as lojas talvez não chegassem ao final do ano. 
Quando há dias passei por lá e vi os outros dois estabelecimentos em liquidação total, perguntei-lhe se estava satisfeita com o actual governo. “ Não, não estou, mas ao menos vimo-nos livres do  vigarista do Sócrates”.  
As duas outras lojas  já encerraram, mas presumo que a senhora continue feliz por se ter visto livre do vigarista do Sócrates. 

10 comentários:

  1. Pois é Carlos...um país que procura sempre salvadores e enquanto eles não chegam gostam de ser violados pelos putativos candidatos a salvadores.
    Um bom ano 2012 ou como alguém de disse " um 2012 acima das suas expectativas."

    ResponderEliminar
  2. Sócrates " o costas largas", foi para Paris , levou a peçonha com ele e o resultado está à vista...a crise por lá já é uma realidade ..... Enfim , vistas curtas.
    M.A.A.

    ResponderEliminar
  3. Enquanto a mentalidade for esta... estamos tramados!

    ResponderEliminar
  4. Todos os países do mundo procuram salvadores, essa procura absurda está no íntimo de cada um de nós.

    Não sei se o Sócrates foi ou não um vigarista, sei sim, que aqui na Alemanha, há também muita falta de moral na vida política e privada dos políticos e, dói muito especialmente, quando essa falta de moral atinge o homem no cargo mais importante do país.

    O fósforo a arder tem, realmente, um significado, só não sei, se é o mesmo que o Carlos lhe deu?

    ResponderEliminar
  5. Carlos,
    lamento se não vais gostar daquilo que vou dizer, mas na verdade em Democracia cada cidadão tem o direito de optar e acreditar nas pessoas que lhe inspiram mais confiança. Quer elas sejam merecedoras ou não.
    Não gosto do actual PM assim como não gostava do Sócrates. Nem acredito que ele pudesse estar, neste momento, se tivesse continuado no governo, a fazer algo melhor, em prol do interesse e bem-estar do povo.
    Sorry...

    ResponderEliminar
  6. Pois, o Socrates era vigarista, este que passou a campanha eleitoral a dizer que conhecia perfeitamente a situação do país, a acusar o PS de inventar que ele queria retirar o subsidio de natal, isso era um disparate, and so on, não é vigarista. Há quem goste de ser enganado por sonsos, que lhes faça bom proveito.

    ResponderEliminar
  7. Realmente, é espantoso como as pessoas podem ser tão "burras". Que lhes faça bom proveito!

    ResponderEliminar
  8. Eu, que nao gosto nada do fulano, e nunca o escondi, já não posso ouvir falar no tipo como se fosse ele a origem e o fim de todos os problemas.
    Já chega.

    ResponderEliminar
  9. Há pessoas que parecem usar talas nos olhos, como as bestas - só veem o que pretendem ver!

    O resultado... está à vista!

    ResponderEliminar
  10. Assim é, custa-lhes muito admitir que caíram no conto do vigário!

    ResponderEliminar