terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Um discurso honesto e sincero de Passos Coelho




Ninguém terá percebido a mensagem de Natal de Pedro Passos Coelho, mas penso que esse era mesmo o objectivo. No entanto, eu não sou de desistir facilmente e depois de muitos esforços creio ter conseguido interpretar partes do discurso, cuja tradução faço agora, em exclusivo, para os leitores do Rochedo.
Antes do discurso, propriamente dito,  começarei por analisar o significado daquela horripilante gravata verde que o PM envergava. Como sabem, o verde significa esperança e os spin doctors  do PM, sabendo que PPC é avesso a transmitir essa mensagem através de palavras, aconselharam-no a fazer passar a mensagem de esperança de forma subliminar ( uma técnica muito usada na publicidade, sector onde trabalhavam alguns spin doctors e especialistas  antes de serem recrutados para  os gabinetes ministeriais ), utilizando uma gravata verde. Como a ideia foi de última hora e o bom gosto é bem escasso por aquelas bandas, foram a uma loja de indianos que estava aberta no dia de Natal e compraram  uma tira de pano verde que Assunção Cristas e Paula Teixeira da Cruz, com desvelo, transformaram  em gravata.
Dada esta explicação prévia,  passemos então à interpretação das palavras de Passos Coelho.

Blá, blá, blá, blá, blá ( tradução: neste dia de Natal quero dizer-vos que cada um de nós, quando nasce, traz uma missão que lhe foi confiada por Deus.  Eu vim ao mundo com a missão de vos roubar, fazer sofrer  e  regredir 40 anos e no dia do juízo final  quero orgulhar-me de ter conseguido cumprir a missão que me foi confiada).
Blá,blá,blá, blá, blá (tradução: eu admito que a vida de um trabalhador seja difícil mas, como nunca trabalhei  e apenas encontrei emprego aos 40 anos como administrador de umas empresas  de lixo do meu padrinho Ângelo  e daí vim logo para primeiro-ministro, não tive a sorte de experimentar as dificuldades que, segundo  me dizem por aí, os trabalhadores portugueses estão a sentir).
Blá, blá, blá, blá, blá e, mais ainda, blá, blá blá! ( tradução: claro que eu disse, em campanha eleitoral, que cortar o 13ºmes seria um disparate e não destruiria o SNS. Mas eu sou um mentiroso compulsivo e não conseguia suportar a ideia de chamarem Pinóquio ao Sócrates, um amador das mentiras que não tinha quaisquer condições para ombrear com um mentiroso profissional  como eu!).
Blá? blá, blá, blá, blá! ( Acusam-me de estar de joelhos perante Merkel? Quem o afirma tem é inveja. Gostaria de estar no meu lugar a desfrutar daquele maravilhoso odor corporal que a Angie exala na sua intimidade!)
Blá, blá, blá, blá, blá!  Blá blá…blá, blá, blá!( Eu sei que logo que termine esta mensagem de Natal, alguns jornalistas vão deturpar as minhas palavras, por isso pedi ao Relvas para mandar um dos  especialistas que tem lá no gabinete gravar as minhas palavras para não ser mal interpretado….  Reafirmo a minha intenção de empobrecer os portugueses até ao limite das suas capacidades. Depois, espero que rastejem até mim, seguindo o exemplo do povo norte coreano que deu ao mundo um exemplo ímpar de amor ao seu querido líder e me  peçam que lhes distribua algumas das migalhas com que enriqueci a classe trabalhadora deste país, que tem a nobre missão de trabalhar nos bancos e no sector financeiro em geral, com o objectivo de- apoiada na minha sabedoria – roubar aos portugueses as suas casas e todos os outros luxos supérfluos adquiridos durante os governos desastrosos que me precederam!)
Blá.blá, blá, blá, blá. Blá. Blá e blá blá. Trataralá!( Nesta época de Natal, os trabalhadores portugueses devem perceber que os sacrifícios que lhe estão a ser pedidos valerão a pena. São um investimento no futuro. Terminado este período de empobrecimento,  estarão purificados e poderão enfim  sobreviver  eternamente com a bênção do Espírito Santo,  do BCP ou mesmo do  santo salvador  Mira Amaral, que repousa à direita de José Eduardo dos Santos. É para isso que todos os dias violo a Constituição e as Leis da República, ignoro a concertação social e imponho a minha vontade. A minha missão será cumprida, em nome do meu padrinho Ângelo, mesmo que para tal seja obrigado a confrontar o Satanás Aníbal. Tenham um santo Natal. No próximo ano aqui estarei a dizer-vos que o governo não atingiu as metas, estamos mais pobres e precisamos de fazer mais sacrifícios, mas a culpa é da crise internacional e não do governo!)

19 comentários:

  1. Ainda bem que não o vi nem ouvi.Não suporto vê-lo.Aquela boca batraquiana e a gravata verde ...mais não digo.M.A.A.

    ResponderEliminar
  2. Não sabias que eras fluente em Blábes... Muito bem...

    ResponderEliminar
  3. Também ando a fazer o curso, mas é on-line, muito hi-tech!, o pior é que a formadora anda sempre no blabla
    por isso apenas ainda só consigo isto

    ResponderEliminar
  4. Não sei, Carlos, se a versão apresentada é correcta, ou não. Não ouvi o Coelho, nem estou para aí virado. O que me traz aqui é o intuito de agradecer os votos de Boas Festas deixados no meu sítio e que(ocupado noutras andanças) só hoje li. Retribuo com votos de Bom Ano para 2012,ainda que a sua concretização se me afigure pouco provável, dada a desgraça de Coelho que nos saiu das urnas.Abraço.

    ResponderEliminar
  5. Blá.blá, blá, blá, blá.
    Blá.
    Blá e blá blá.
    Trataralá.
    Cá e lá!!!

    ResponderEliminar
  6. Carlosamigo

    Deus te perdoe os pecados que são muitos e pérfidos. PPC foi igual a ele mesmo: um tsunami... de merda. Não há, pois, que interpretar de má-fé ignara e torpe as esperançosa palavras que se dignou oferecer à Pária, isto é, Pátria, a Deus e à Família.

    Pétain ao pé de Sua Insolência nem lhe chegava aos calcanhares. O Kim-il-sung, Vencedor do Imperialismo Ianque, Líder amantíssimo, vá que não vá. E o Alfred usava bigode. Curto, mas bigode.

    Abç

    ResponderEliminar
  7. Não ouvi nem vi, mas assim resumido está melhor.

    ResponderEliminar
  8. Uma tradução que estará em tudo próxima do que PPC quis realmente dizer! Sem o fazer... :P

    Por acaso também reparámos na horrorosa gravata, um sportinguista que estava por perto foi o único a elogiar o "bom gosto"... :)))

    ResponderEliminar
  9. O Adolf usava bigoge!!!
    Não baralhou os nomes, meu caro henriquamigo???
    Eu sei! eu sei!
    Bigodes há muitos.
    Mas onde é que foi o antunesamigo buscar o diabo do Alfred?

    ResponderEliminar
  10. O verde da gravata do vosso PPC é simbólico, pois como todos sabem, verde é a cor da esperança!!!

    ResponderEliminar
  11. No próximo ano

    trá lá lá

    também nós falaremos uns para os outros

    e os coisos trá lá lá

    ResponderEliminar
  12. Foi lindo!!
    A minha neta, ainda na barriga da mãe, agitava-se muito!
    Acho que foi um sucesso!

    ResponderEliminar
  13. Como não tive o "privilégio" de ver/ouvir a criatura, acredito que a tradução está perfeita :)

    ResponderEliminar
  14. Não ouvi o homem no dia de Natal, mas ontem ouvi umas passagens e sobretudo tomei nota da horrenda gravata verde.A do odor corporal, Carlos, é que deu cabo de mim...:)))

    ResponderEliminar
  15. Não tive o desprazer de o ouvir, mas fiquei completamente elucidada, através da belíssima tradução feita por ti!
    A gravata verde não tem simbolismo nenhum...aquilo é apenas uma questão de bom-gosto.
    Azul e verde condiz lindamente...

    ResponderEliminar
  16. Pronto, entendi tudo.
    Só um pormenor - eu hoje estou a usar gravata verde ;(

    ResponderEliminar
  17. Carlos
    Graças à sua excelente capacidade de "interpretação" acabámos todos por saber o que "pensa" será? O homem.
    Claro que também não vi o original, mas a réplica parece mais correcta. Grato
    Abraço

    ResponderEliminar
  18. Parecia uma missa de sétimo dia. Com tanto blá blá aquilo que ele trazia amarrado ao pescoço era uma blabete, ainda por cima verde!

    ResponderEliminar
  19. ahahahah!! Quando li no meu blogger o título da mensagem, pensei que o Carlos estivesse com febre! :) Realmente bem visto... foi mesmo sincero... isto de não ter TV... tem que se lhe diga, mas a interpretação está demais!.. bem como o comentário do Amigo Henrique! :)

    ResponderEliminar