domingo, 18 de dezembro de 2011

E depois vende as praias à Merkel?


Em apenas 10 dias Pedro Passos Coelho deu quatro entrevistas. Em nenhuma conseguiu apontar um rumo para o país, uma solução para a saída da crise, uma medida que incentive o crescimento.
 O nihilismo discursivo de PPC é preocupante num PM e faz-me recordar um episódio passado há muitos anos na Faculdade de Direito, com Marcelo Caetano. Dizia ele para um examinando que, anos mais tarde, se tornaria num dos professores mais obscuros daquela Faculdade:
“ O senhor tem ideias boas e originais, mas as boas não são suas e as originais não prestam”.
Com Pedro Passos Coelho passa-se o mesmo. Com uma diferença. Quando um PM aponta a porta de saída  para os professores, como forma de ganharem a vida, estamos perante um monstro  que não está nada preocupado em encontrar soluções para o país, mas apenas em desfazer-se das pessoas que o atrapalham.
Se recordarmos que já anteriormente um secretário de estado tinha aconselhado os jovens a emigrar, fica apenas uma pergunta:
Este governo pretende expulsar todos os portugueses do país e ficar apenas com simpatizantes do PSD e do CDS que o venerem ao estilo de Kim Il Sung?
Mas PPC também me fez lembrar  Salazar quando, perante a invasão de Goa, proferiu a célebre frase dirigida aos nossos pobres e mal equipados militares " Vencer ou morrer"
Meio século depois, o lema deste governo é " Emigrar ou morrer".
O Botas está sempre presente na cabeça dos nossos governantes.
PPC não gosta de Portugal, nem dos portugueses. Estará a pensar vender Portugal à Merkel? Talvez ela esteja interessada em fazer das nossas praias e locais idílicos, colónias de férias para os reformados alemães...

7 comentários:

  1. Isto são tudo "diz que diz, fez que fez"

    Na realidade A MANADA CONTINUA A RUMINAR...

    A "verdade", essa, é espalhada pelos Megafones Corporativos que querem que a MANADA continue a ruminar... E PELOS VISTOS A MANADA GOSTA DO NOVOS DONOS E DAS CHICOTADAS QUE APANHA por isso, nós a minoria ou fazemos por abrir os olhos a esta MANADA de RUMINANTES ou o futuro será mesmo fixe! Acho que vou tirar um CURSO SUPERIOR DE PASTOR. Bem se calhar é melhor não tirar o Curso Superior pois com Canudo tenho que emigrar... é melhor ficar-me pelo ensino Boca-a-Boca e da Transmissão de Experiência pela Prática!

    ResponderEliminar
  2. E eu pergunto Carlos,
    vamos ser saqueados, deportados, vendidos... e será que seguiremos para esse destino que nos querem impor, sem revolta ou apenas com a indignação das palavras?

    "Emigrar ou morrer"! E os que já não têm condições para isso?

    O mundo pode estar doente, mas Portugal está moribundo.

    ResponderEliminar
  3. Carlosamigo

    Está o circo montado. Com palhaços e tudo. Vestidos de jornalisteiros. E muitos camelos. Voltámos ao tempo das entrevistas por atacado e de encomenda.

    Os benfeitores Belmiro, Soares dos Santos, o pobre Amorim e outros que tais batem palmas - do camarote presidencial, rodeando o Senhor Prof. Salaz..., ops, Cavaco e a D. Maria, digo, a Senhora Doutora Maria.

    E seremos todos muito felizes - em Timbuktu ou em Kigali. O último a sai apague a luz. Muito obrigado.

    Onze horas de Conselho em S. Julião da Barra. Resultado: um bom exemplo do trabalho aos domingos. Em 25, verar-se-á.

    Abç

    Corja!

    ResponderEliminar
  4. É natural para gente que tem a convicção que governa um país é o mesmo que gerir empresas. Nas empresas quando as coisas apertam despedem os trabalhadores, aqui mandam-nas emigrar.Esta gente tem de ser corrida.

    ResponderEliminar
  5. A Merkel tem problemas mais graves a resolver do que comprar praias para os reformados.
    A crise é geral e, a Alemanha também está a sofrer e não é pouco.

    O Carlos está sempre contra a Merkel, mas ela ainda era criança e já Portugal estava em crise e a pedir dinheiro emprestado.

    O ódio pela Merkel e pela a Alemanha está a escalar de tal maneira, que até a minha família que vive no Porto não quer vir cá passar o Natal, e não me digam que é por falta de dinheiro, porque o que vão gastar em comida (a maior parte para deitar fora para o outro dia) e nos presentes de Natal é 10 vezes mais do que as viagens custam.
    Ainda ontem ao telefone uma familiar me disse que a Merkel anda sempre vestida com a mesma roupa. Se todos fossem poupados como a Merkel (também viveu num país comunista onde não havia nada) a dívida seria nula.

    Não quero defender a Merkel, mas em parte são os próprios portugueses responsáveis pelo que se está a passar, pois já é a terceira vez que estão nesta situação depois do 25 de Abril.
    Os "anos gordos" acabaram e os portugueses não se deram por isso e continuaram a gastar.

    A minha posição é mesmo muito ingrata, porque vivo num país que amo de todo o meu coração e, que é ameaçado com bombas atómicas pelos meus irmãos portugueses.

    Boa noite!

    ResponderEliminar
  6. Uma frase, no mínimo, infeliz.
    Diz um tipo que até dá Graças por ter emigrado.

    ResponderEliminar
  7. Ele que siga o seu próprio conselho: emigre! Nós ficamos melhor sem ele!

    ResponderEliminar