terça-feira, 25 de outubro de 2011

Quando o ódio comanda a vida...

Em apenas três meses, Pedro Passos Coelho rasgou todas as promessas eleitorais ( com a excepção de manter a taxa de IVA do leite achocolatado), revelando-se mentiroso compulsivo e pessoa de má-fé, como o video que aqui linkei há dias demonstra.No entanto, há coisas que me preocupam mais no carácter do nosso PM, do que o facto de ser aldrabão e pessoa de má-fé.É que Pedro Passos Coelho move toda a sua actuação pelo ódio.
Eu percebo que a partida que o destino lhe pregou numa curva da vida o tenha deixado revoltado, mas isso não justifica que governe dominado por ódios de estimação e que na tentativa de se libertar de complexos de culpa, dê cabo da vida aos portugueses que não se movam no seu círculo de influência.

Na verdade, apesar daquele azar, até foi bafejado pela sorte. Encontrou em Ângelo Correia um padrinho protector que o catapultou para a ribalta quando, na verdade, pouco ou nada tinha feito por isso.

PPC odeia os que conseguiram encetar uma nova vida graças ao programa “Novas Oportunidades”, mas esquece que foi graças a uma Nova Oportunidade patrocinada pelo padrinho, que tirou um curso tardio numa universidade de circunstância. Andou por lá, mas não aprendeu nada. Apenas passou a ser chamado de doutor;

Odeia os funcionários públicos que acusa de trabalharem pouco e terem salários acima da média, mas esquece que cresceu à sombra da JSD, onde apenas desenvolveu trabalho político;

Olha para os funcionários públicos como privilegiados, mas esquece que também ele teve o privilégio dos favores de um padrinho que lhe confiou umas empresas de lixos para administrar; Odeia o Estado Social e vê em cada cidadão um parasita que prefere viver à conta do Estado, em vez de trabalhar, mas se olhasse para dentro de si, devia dar graças a esse mesmo Estado Social;

PPC não explica onde está o buraco no orçamento;

Não diz em que estudo se baseia para afirmar que um funcionário público recebe em média 10 a 15% mais, do que um trabalhador do sector privado;

Não tem em consideração, nos vencimentos do sector privado, os automóveis, os cartões de crédito, os telemóveis, por vezes férias pagas pela entidade patronal, e outras mordomias que engordam os salários, fugindo aos impostos;

Corta nas pensões dos reformados ( aparentemente com o mesmo fundamento) mas não mexe uma palha para estabelecer o plafonamento máximo das reformas, permitindo que permaneçam intocáveis reformas escabrosas como as de MFL, Mira Amaral, ou do próprio Cavaco;

Rouba os subsídios de Natal e férias a mais de um milhão de portugueses, mas engorda os bolsos do pessoal contratado para os gabinetes, com ordenados chorudos, quando na maioria dos casos poderia recrutá-los dentro da Administração Pública ( Há um membro do governo que só tem funcionários públicos no seu gabinete, mas dele falarei noutra oportunidade).

PPC não explica nem esclarece nada, porque as suas decisões e argumentos assentam em ódios pessoais e classistas e o ódio não se explica.

Há dias Jerónimo de Sousa dizia-lhe:

“ O senhor sabe lá o que é a vida!”

Compungido, o PM respondia:

“ Sei muito bem o que é a vida…”

Quase aposto que sei qual foi a imagem que passou pela cabeça de PPC quando respondeu a Jerónimo de Sousa mas, senhor PM, não pode ficar ressabiado toda a vida com a partida que a vida lhe pregou. Limpe a cabeça e siga em frente. Lembre-se, pelo menos, que com esse seu comportamento está a destruir a nossa economia e a condenar o país à pobreza durante décadas.

E se acredita que essas medidas o poderão ajudar a seguir as pisadas de Durão Barroso, desiluda-se. Quando tudo isto acabar, a Europa não terá lugar para si. Nunca ouviu dizer que Roma não paga a traidores?

10 comentários:

  1. Apreciei esta indignação genuína.
    Os recalcamentos nunca devem ser o norte pelo qual nos guiamos...

    A história do padrinho é bem real e assustadora da forma como se pode chegar a governar(?) um país!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, Carlos. Pelo texto, como sempre, brilhante e também pelo "link".

    ResponderEliminar
  3. Não sei que partida a vida lhe pregou e sinceramente duvido que seja algo que lhe tenha deixado marca, se fosse era mais humano. Afinal tudo o que se está a passar já o esperávamos, não? Quem foi enganado? Quem o quis ser. O problema é que os partidos põem à cabeça gente sem conhecimento que quando abre a boca só diz asneiras. Os funcionários públicos têm ordenados superiores? Na privada não declaram tudo o que ganham e se tivermos em conta o que os politicos e companhia limitada ganha, têm. Sim porque quem recebe uma subsidio de representação no valor de 1900 euros mais ordenado, subsidio de residência, carro, etc...Deve ser destes que eles falam

    ResponderEliminar
  4. Carlos
    Depois de ler e reler este excelente e realista post e o bom complemento do Pedro Laíns, embora sem querer fiquei ainda mais angustiado. Não que o meu caro tenha alguma culpa, mas porque chamou os nomes certos ao ex-Boy.
    Para mim a questão de fundo é: o que fazer, esperar por um outro chefe de governo que "talvez seja melhor?".Pôe-se a questão da legitimidade para exigir mudanças, até porque alternativas credíveis eu não as vejo. Haverá?
    Mas parafraseando uma palavra de ordem de outros tempos "Isto assim não pode ser!".

    ResponderEliminar
  5. Não tenho dúvidas que jerónimo de Sousa acertou na mouche: PPC não faz ideia do que é a vida! Sempre andou nas lides partidárias, movimentando-se em redor do "padrinho" (que por sinal também tem umas regalias que não são cortadas neste plano de austeridade), engendrando planos de campanha. Embora nunca me tivesse enganado, até eu estava longe de supor que seria tão descarado nas mentiras que pregou aos portugueses que o elegeram!

    Onde discordo ligeiramente do seu texto é no facto dos trabalhadores de empresas privadas terem tantas regalias e fugirem aos impostos - carros alguns têm quando a profissão os obriga a deslocações frequentes, mas cartões de crédito e férias pagas?!? Hummm... ;)

    Mas voltando ao PPC, estamos sempre mal governados quando o ódio "rules". E como em Belém já se sabe o que é, pois... :P

    ResponderEliminar
  6. Meu amigo li tudo atentamente e tal como o amigo Folha Seca ainda fiquei mais angustiada, por saber que mesmo sabendo tudo isto, o povo continua e continuará a votar nestes incompetentes.
    Estou tão cansada disto tudo :(

    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Quem tal padrinho tem não poderá ser de outra maneira!

    ResponderEliminar
  8. E assim vai continuar a ser, se houvesse eleições entretanto não sei se não voltariam a repetir a dose.
    Beijo

    ResponderEliminar
  9. Ms provavelmente terá feito fortuna, no fundo o que procura.

    ResponderEliminar
  10. Mas, afinal, que partida lhe pregou a vida?

    João Figueiredo

    ResponderEliminar