quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Leituras da República

Enquanto assisto ao espectáculo do Vitorino no Coliseu, deixo-vos aqui umas propostas de leituras para esta noite.
Embora não concorde totalmente com a última quadra, penso que este texto/poema é uma boa descrição da nossa História.
Permitam-me, também, que destaque este comentário da Fernanda no post que escrevi sobre Cavaco. Eu tinha escrito um post sobre Teófilo Braga, mas este comentário diz tudo:
"O primeiro PR português não tinha vencimento, ia de elétrico trabalhar e pagava do seu bolso a renda de parte do palácio de Belém, que alugou, para não perder tempo no percurso de sua casa. a fim de exercer as funções para as quais havia sido eleito. Passamos do oito para o oitenta: agora ele são viagens com séquito, ele é jantares e homenagens e representações, para isto e para aquilo, tudo à custa do zé pagante! Se ainda fosse como nos primórdios da República e se os nossos dedos servissem, apenas e tão só, para contar, poderíamos abdicar deles pois, não necessitaríamos dos mesmos para contar os candidatos a este "tão nobre" (já foi,já!) cargo!E este foi do piorzinho que nos apareceu! Valha-nos ao menos ter o melhor PR do mundo a comer bolo rei!"

Faço apenas uma ressalva: Manuel Arriaga alugou um andar no Chiado e não parte do Palácio de Belém...
Finalmente, sugiro-vos uma visita ao Ladrão de Bicicletas para ver este video. Lá se explica a razão de termos chegado a este miserável estado.

7 comentários:

  1. Carlos
    "Concerto do Vitorino no Coliseu". Isto de viver na provincia e não ter uma profissão liberal, impede-me de assistir a coisas que gostaria muito.
    Goze lá as cantigas do cantador do Redondo.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. O vídeo é sucinto, mas esclarecedor!

    Sobre Teófilo, nada a acrescentar, excepto que a dignidade dos nossos PRs não é uma sombra do que já foi!

    Sobre o poema, também não concordo com o último verso - até porque existem muitos outros domínios, para lá do político, em que tem havido realmente uma extraordinária evolução! ;)

    ResponderEliminar
  3. Se quem diz estarmos numa lixeira , nada fizer... Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Cá para mim estes gangues até as trancas roubaram já que vejo muito pouca gente a querer deitá-las às portas...

    ResponderEliminar
  5. Carlos,
    Escrevi hoje sobre o discurso do PR.
    Tão bonito, não foi?? :)))

    ResponderEliminar
  6. Caro Carlos
    O primeiro presidente da República, Dr Manuel da Arriaga, alugou um palacete na Horta Seca. não conheço muito bem Lisboa mas creio que tem a ver com o Palácio de Belém, onde ele efetivamente não vivia pois ocupava sim um anexo deste palácio cuja entrada se fazia pelo Pátio das Damas. Como digo, conheço mal Lisboa e nem sei exatamente onde fica a Horta Seca mas sempre me foi referido ficar nas imediações do Palácio de Belém. Manuel de Arriaga alugou um palacete (ou parte dele) e não um andar e não no Chiado (que sei que fica algo distante de Belém, pelo menos à época seria longe). Foi só um àparte pois o que realmente importa é a diferença nas mordomias e nos gastos para o erário público, entre o presente e o passado (e não!Não sou, de todo, monáquica! Aliás os reis nunca gastaram, nem gastam menos. Teríamos é que "levar com eles" até morrerem. Agora podemos,pelo menos, mudar de figurantes! Portanto....)

    ResponderEliminar
  7. Cara Fernanda:
    Na verdade a Rua da Horta Seca é no Chiado. É lá que fica a Casa da Imprensa e o gabinete do ministro da economia, o nosso Álvaro.
    O importante é, efectivamente, a atitude e foi por isso mesmo que destaquei o seu comentário, cara Fernanda
    E claro que o primeiro PR foi Manuel de Arriaga e não Teófilo Braga como estupidamente escrevi. Obrigado pela chamada de atenção.

    ResponderEliminar