quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Regresso à normalidade...

Regresso a Lisboa reconfortado, mas com a certeza de que apesar de todos os cuidados que sempre tomo para evitar a recaída provocada pela vida na cidade, vou voltar aos dias de stress, deixar-me possuir pela irascibilidade das notícias, lamentar-me por não ter tido nunca a coragem de recusar a vida urbana. À minha maneira vou voltar (espero…) a pensar que sou feliz.
Logo pela manhã, as primeiras notícias que leio devolvem-me à normalidade.
Será normal, num país onde são diariamente pedidos sacrifícios aos portugueses e o governo apela constantemente à transparência, o ministro das finanças recusar-se a explicar ao Parlamento a razão de pagar uma empresa, sem concurso público, 20 milhões de euros, para o assessorar nas privatizações das empresas do sector da energia?
Será normal um país cujo governo esconde a dívida de uma região gerida com a perícia de um Metralha, assobiar para o lado quando o soba reclama por não lhe pagarem os vícios?
O regresso à normalidade é duro, mas vou resistir.

6 comentários:

  1. Não resisto e tenho que lhe dizer:):):) Olá! "Acorde" ... voltou a uma normalidade anormal:):):)

    ResponderEliminar
  2. Em Portugal, meu caro, é tudo normal e irresponsabilizável...

    Bom regresso à realidade!

    ResponderEliminar
  3. Somos nós que deixamos que isto tudo seja normal. Quantos protestos tem visto nas ruas contra esta galopante investida contra quem menos tem? Ou será que já começamos a ter medo de novo da repressão ante-25 de Abril, isto é, igual àquela que se passa em Angola?

    ResponderEliminar
  4. Benvindo ao país real Carlos! Escrevi este comentário após ter comentado o post seguinte. Descobri que afinal não preciso de resposta à pergunta que lá formulei. Pregangs, está correto sim senhor. E não é premonição, é mesmo já a realidade!

    ResponderEliminar
  5. Carlos
    Nos mostre o que aconteceu por lá.
    com carinho Monica

    ResponderEliminar