quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Com Borges em Buenos Aires






Hoje, quando pela hora do almoço comecei a googlar, deparei com a imagem acima. Não a tendo identificado, cliquei sobre ela e fiquei surpreendido. É uma homenagem do Google a Jorge Luis Borges, nascido a 24 de Agosto de 1899 em Buenos Aires.




Fui ao meu baú e desencantei este post que reproduzo parcialmente,em homenagem ao grande escritor argentino que, segundo consta, teria uma costela portuguesa, pois um dos seus bisavós era natural de Torre de Moncorvo, tendo emigrado para a ASrgentina no século XVIII




" ...Continuei a caminhar e, claro, acabei em Palermo, um dos tradicionais “barrios” bonaerenses onde Jorge Luis Borges passou uma boa parte da sua infância , mas que só conheceu verdadeiramente quando para lá voltou em 1921, depois de regressar da Europa.
No "viejo Palermo", redescubro em cada pedra um pedaço da história da época, escuto através das típicas ventanas de uma "cantina"ecos de um tango de Gardel e imagino Borges a verter para o papel, como uma epopeia, uma cena de facadas ao ritmo de uma milonga.
Como escrevia Borges, “mais do que uma cidade Buenos Aires é um país e nela se deve encontrar a poesia, a música , a pintura, a religião, a metafísica, de acordo com a sua grandeza.”
E tão fácil é entabular relações com os porteños, ou ceder à tentação de acariciar a cidade com a mesma ternura da descoberta de um corpo de mulher, que o difícil é mesmo não dar razão a Borges. Porque quem não conseguir descobrir essa multiplicidade de facetas que envolve Buenos Aires num longo abraço, não conseguirá apreciar a cidade e dificilmente compreenderá a Argentina.



( Para ler o post integral, clicar aqui)



Adenda: uma das melhores formas de conhecer Buenos Aires é seguir o percurso de Borges, calcorreando as ruas que ligam as diversas casas onde viveu, ou os locais que frequentou.

6 comentários:

  1. Também eu queria hoje homenagear o GRANDE escritor Jorge Luís Borges, mas tenho problemas em publicar qualquer post nos meus blogues.

    Gostei muito de ler e de ver as fotografias "Com Borges em Buenos Aires", até fiquei com vontade de ir até lá, embora Buenos Aires e toda a América Latina nunca me tenha interessado.

    Com ou sem costela portuguesa Jorge Luís Borges é um dos meus escritores preferidos.

    Vamos lá ver se consigo publicar este meu comentário.

    ResponderEliminar
  2. eu deste senhor gosto muito dos poemas. é uma poesia pura, despretensiosa. sempre que alguém quer começar a ler poesia com mais afinco, logo a seguir a Sophia, Borges é a minha recomendação! :)

    ResponderEliminar
  3. Ematejoca:
    tenho a certeza que se for a Buenos Aires vai adorar
    O seu blog anda e neura? O meu parece que lhe passou, mas há umas semanas também andou a fazer-se esquisito...

    ResponderEliminar
  4. Antes prefiro.
    Há dois livros do Borges que considero imperdíveis: Ficções e "O Aleph"

    ResponderEliminar
  5. Amo Jorge Luís Borges.
    E em junho tive a oportunidade de curtir a mágica Buenos Aires e andar por Palermo.
    Que delícia!

    ResponderEliminar
  6. Gosto principalmente do menos racional em Borges.Adorei a sugestão e devo aportar por Buenos Aires no comecinho do ano que vem.Vou tentar percorrer esse circuito :o)

    ResponderEliminar