quarta-feira, 25 de maio de 2011

Entregues aos bichos



Não sei em que país vivo, mas sei que vivo num país que de tanto se demitir dos seus deveres não tem futuro.

O actual governo fez um forte investimento na formação dos jovens mas, infelizmente, esse esforço não foi acompanhado pelas famílias que, na generalidade, se demitiram da sua função de educar. Só assim se explica o indecoroso vídeo que andou aí pelo you tube, mostrando uma bárbara agressão a uma miúda.

Sempre houve muitas rixas entre miúdos nas escolas. A diferença é que no meu tempo não deixávamos ultrapassar certos limites. Mesmo quando o miúdo que estava a apanhar forte e feio não colhia as nossas simpatias, havia sempre quem interviesse, para evitar que a rixa descambasse em agressão bárbara.

Não faço ideia quais foram as razões para que a miúda fosse espancada de forma tão bárbara por duas jovens. Sei, no entanto, que perante as agressões –de uma violência extrema- o macho(???)que assistia à cena tomou a decisão de filmar e colocar o video no You Tube, em vez de impedir espancamento. (Um dia destes o indigente inscreve-se numa Jotinha e ainda chega a ministro...)

Um exemplo vivo de uma geração de cobardes. Digo geração, porque não se trata de um caso isolado. Todos os dias (com diferentes graus de violência) se passam casos destes entre miúdos e não é um fenómeno recente. Pouco tempo depois de regressar a Portugal fui fazer uma reportagem a uma escola na margem sul e vi miúdos de 14 anos trocando ameaças com armas de fogo. A directora da escola explicou-me que era uma escola problemática. E como era problemática, tinha de se dar um desconto...

Comentei na altura que, mais dia menos dia, teríamos exemplos semelhantes nas escolas da classe média e dos ricos e talvez nesse dia alguém acordasse e decidisse tomar medidas. A directora respondeu-me, com algum desconforto, mas também conformismo, que era o mais provável. Este episódio foi há mais de uma década, mas pouco foi feito para que estes comportamentos não alastrassem. Os casos de bullying e as agressões a professores, filmadas por alunos, tornaram-se banais. Para a maioria deles encontraram-se sempre desculpas do estilo "coitadinhas das crianças que não têm afectos em casa e vivem em meios sociais problemáticos"

É verdade que não devemos culpar apenas os miúdos. Culpemos também os pais, porque são co-responsáveis por aquela agressão. Deveriam ser julgados e severamente punidos ( com perda de regalias sociais, por exemplo...) porque não souberam ser educadores. Mas não me digam “coitadinhas das crianças, vêm de um meio social problemático”. É mentira. Se têm dinheiro que lhes permite aceder a todas as tecnologias, não são desfavorecidos. São cobardes. Uma coisa que nada tem a ver com dinheiro, mas sim com educação e carácter.

Ninguém com um mínimo de educação assiste impávido a uma agressão bárbara e ainda se permite o requinte de filmar e colocar no You Tube.Mas, repito, a culpa não é só deles. É, antes dos mais, dos pais que não perceberam que os seus filhos são uma dádiva e tudo deviam fazer para corresponder a essa dádiva, dando aos filhos uma educação esmerada.

Mas é também culpa de uma justiça que, em vez de prometer actuar, se refugia na "falta de meios" para fazer cumprir a Lei. Estamos entregues aos bichos?

(continua amanhã)

9 comentários:

  1. Vou pôr um link no meu blogue remetente a este post. Concordo com cada palavra!

    ResponderEliminar
  2. Não quis ver esse vídeo!
    Concordo com o que dizes!

    ResponderEliminar
  3. Eu fiquei chocada. Ainda me custa acreditar em tão grande violência. Claro que pensei logo nos meus filhos (11 e 3 anos).
    Concordo com tudo o que escreve.

    ResponderEliminar
  4. Carlos
    Antes de mais felicitá-lo pelo seu regresso, especialmente numa altura em que precisamos de "ouvir" vozes lúcidas e conhecedoras.
    Tenho consciência que, quer queiramos ou não muita coisa vai ter que mudar. Creio que vivemos de facto um fim de ciclo.
    Recordo os seus escritos a propósito da tal "geração à rasca" e quando vimos a geração, que se segue a essa com comportamentos do tipo que refere, assusta. Assusta mesmo.
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Estou totalmente de acordo com cada palavra que escreveu.
    Nada no futuro nos dá ânimo, NADA!

    bjos

    ResponderEliminar
  6. Como já decidi que não comentava mais posts de teor político, não comento o anterior... nem para dizer que concordo com tudo o que escreveu, e que durante muito tempo estive indecisa em quem votar, tendo decidido votar em branco... Em relação a este caso, nem vou comentar a evidente violência e falta de eduação... mas o que me preocupa mesmo é não haver meios(????) para actuar num caso destes??? Então, não há consequências para as agressoras e filmante?? Isto sim, preocupa-me... estamos entregues aos bichos sim, mas os bichos tomaram o poder, pois nenhum país civilizado pode dar-se ao luxo das instituições ficarem indiferentes e nada fazerem ... Há medo de legislar no sentido de responsabilizar adolescentes e pais pelos seus actos, e isso não pode ser!!! Todos sabemos, que se não educarmos os nossos filhos e não houverem consequências para os seus actos não tolerados, eles se sentem com poder de manipulação... é o que sentem hoje os jovens em Portugal, que podem fazer tudo e mais alguma coisa por serem menores... o Estado dita o exemplo e depois queixa-se das famílias não cumprirem o seu papel...

    ResponderEliminar
  7. Muito possivelmente estes gandulos que filmaram enquanto assistiam impavidos a esta bárbara e cobarde violência, tanto eles com as agressoras cresceram num meio familiar violento. No ambiente escolar sempre houve azo a actos violentos, físicos ou psicológicos. Provavelmente todos assistimos a situações de violência no nosso tempo de escola. Recordo perfeitamente que em situações destas havia sempre algum assistente ou estudante que os apartava e/ou denunciava à direcção escolar e que depois tomava as devidas medidas. A cobardia agora chega a este extremo de gravar e publicar nas redes sociais com o intuito mesquinho de humilhar a vitima perante todos. Esta agressão pareceu-me planeada na forma em que a vitima foi atraída a uma cilada, em local isolado e sem outro tipo de testemunhas. Depois a arrogância e imbecilidade destes agressores chega à tremenda burrice perante a possibilidade de se identificar os autores destes actos. Espero que a rapariga consiga rapidamente superar as feridas físicas e psicológicas e que os denuncie.

    ResponderEliminar
  8. Concordo com todas as palavras expressas!! A continuar assim não sei onde isto vai parar não!!

    ResponderEliminar