domingo, 22 de maio de 2011

Carta à senhora Merkel








Cara , (aliás caríssima €€€€€), senhora Merkel
Escrevo-lhe para tentar explicar-lhe que a senhora anda um pouco afastada da realidade, mas aproveito esta missiva para lhe dizer que estou farto de receber ordens suas e umas verdades que precisa de ouvir.
Já não lhe chega ter roubado gregos e portugueses ( não falo do senhor Kadhaffi e de outros ditadores a quem a senhora vende armamento, para depois os destituir e vender material reciclado aos seus sucessores) com essa merda dos submarinos que deviam ter ido para a sucata, mas que a senhora convenceu o Portas a comprar, depois de ter pedido ao seu ministro para se encontrar com ele num hotel perto do Marquês de Pombal?
Que moral tem a senhora para exigir aos portugueses que tenham menos férias e salários e vão para a reforma mais tarde? E por alma de quem quer padronizar a vida de todos os europeus pela do seu país? Já comparou os salários dos seus súbditos com os dos restantes europeus? E por acaso sabia que os trabalhadores portugueses trabalham mais horas do que os alemães, mas recebem salários muito mais baixos? Feche a boca, senhora Merkel! Se está assim tão espantada com as notícias que lhe dou, aproveite para pedir aos portugueses que escolham gestores mais competentes para as suas empresas e acabem com os subterfúgios dos cartões de crédito, dos automóveis de luxo e outras mordomias com que engordam os seus salários.
Permita-me que lhe lembre uma frase de Victor Hugo ( não sei se sabe quem é…)
“ Virá um dia em que todas as nações do continente, ( europeu) sem perderem a sua qualidade distintiva e a sua gloriosa individualidade, se fundirão estreitamente numa unidade superior e constituirão a fraternidade europeia. Virá um dia em que não haverá outros campos de batalha, para além dos mercados abrindo-se às ideias. Virá um dia em que as balas e as bombas serão substituídas pelos votos”.
Esta frase foi proferida em 1849 e foi com esse espírito que Robert Schuman e o chanceler Konrad Adenauer criaram, por inspiração de Jean Monet, as bases da União Europeia que a senhora pretende abocanhar como se fosse pertença sua.
A senhora está a pôr em causa um projecto solidário e de unidade, porque é casmurra e pensa que é dona da Europa. Não é! A senhora é líder de um dos mais jovens países europeus, com apenas 20 anos de História, enquanto nós andamos por cá há quase 900 e os gregos são uma civilização milenar.
A senhora não é só egoísta. Também é mesquinha. Eu sei que a culpa dessa postura arrogante é, em parte, do caniche português que, sendo incapaz de governar o nosso país se alistou como lacaio de Bush e, quando se viu no desemprego, tornou-se seu fiel servidor. Mas isso não lhe dá o direito de querer colonizar a Europa, percebeu? Não se esqueça que nós, portugueses, também temos um cão de água infiltrado na Casa Branca, a quem podemos pedir para dar uma palavrinha ao Obama. Dizem-me que ele se dá muito bem com as miúdas e a senhora sabe o que um pai faz pelas filhas, não sabe?
De acordo com notícias que de lá recebi recentemente, o sr Obama tem problemas em casa e não anda lá muito satisfeito com o que se está a passar na Europa. Basta enviar-lhe um mail e ele é bem capaz de mandar o cão de água falar com o seu caniche, para a meter na ordem.
É que Obama já percebeu que os alemães, em questões bélicas, são sensíveis àquele ditado
“ quem faz um cesto faz um cento" . Vocês pelam-se por uma boa guerra, mas nós aqui somos pacíficos e o Obama , coitado, já tem de alimentar guerras que chegue, não está interessado em atravessar o Atlântico, para meter os europeus na ordem.
A sua sorte é que os governos europeus em apuros são liderados por gente sem tomates, caso contrário, em vez de estarem à espera que a desgraça se abata sobre o vizinho, na esperança de salvarem o seu quintal, já se teriam unido e proposto, em conjunto, a saída do Euro.
Muito gostava de ver a sua cara se Portugal, Espanha,Grécia, Irlanda, Itália e Bélgica decidissem sair da zona euro e boicotassem os produtos alemães. Já fez as contas a quanto iria perder?
Não estique demasiado a corda, senhora Merkel! Um dia ela rebenta-lhe nas mãos e pode magoar-se . Já sei, já sei… a senhora tem os seus trunfos e não enjeitará a hipótese de os jogar no dia em que se vir à rasca. Mas isso vai custar muitas vidas e derramar muito sangue, enquanto a medida que eu preconizo é indolor. Quer dizer… só vai mexer nos bolsos dos seus contribuintes.
Tenha juízo, senhora Merkel. Se os portugueses são pacíficos e os protestos dos gregos não lhe causam mossa, não menospreze os espanhóis. Ao contrário de nós, eles são bravos e a mostarda está a chegar-lhes ao nariz. São gente muito capaz de mostrar aos turistas alemães aquilo a que estão dispostos, se a senhora insistir na ideia de se tornar uma Czarina da Europa, ditando ordens aos europeus submissos. No dia em que quiser pôr-lhes a pata em cima eles vão morder-lhe e atiçar os ânimos dos europeus em dificuldades. Digo-lhe, ainda, que querer tornar-se na manda chuva da Europa, não é boa ideia. Seria apenas líder de um cadáver e a sua função seria servir de coveira. Sempre a tive em melhor conta…
Só mais uma coisinha. Disseram-me que anda entusiasmada com o seu parceiro Sarkozy. Permita-me que lhe lembre um ditado popular português que diz “ homem pequenino ou é velhaco, ou bom dançarino”. Posso garantir-lhe que bom dançarino, ele não é. Por isso, cuide-se, vá beber umas bejecas para se distrair e deixe-nos em paz, tá?
Com respeito e nenhuma consideração
O tuga

PS: Desculpe não lhe agradecer a “ajuda” ao meu país. É que essa ajuda vai hipotecar o futuro de, pelo menos, duas gerações de portugueses. Vão ficar dependentes dos agiotas que a senhora protege.








6 comentários:

  1. Caro Carlos
    Apreciei toda a carta
    mas ela foi em errada direcção
    Devia é tê-la remetido
    ao povo alemão

    (não só a nossa, mas com toda a geração à rasca,
    ou muito me engano,
    ou estará próxima grande borrasca)

    ResponderEliminar
  2. Já nem sei comentar nada.
    Os portugueses agora são os maus da filme.
    Porque não vem até cá saborear as passas do Algarve....
    Talvez vendo como vivêmos e quanto levamos para casa reparem que o erro não é do povo mas de que governa

    ResponderEliminar
  3. Carlos
    só espero que alguem se encarregue de traduzir esta "carta" para Alemão e a faça chegar à "senhora" esta sua execelente missiva.
    Claro que subscrevo.

    ResponderEliminar
  4. Muito bom este post :). Só tenho pena de ele não ser lido por quem devia lê-lo. Obrigada.

    ResponderEliminar
  5. A Patricia Kaas na idade da nossa Angie ainda vai ser mais feia, e nunca será a mulher mais poderosa do mundo.

    I LOVE ANGELA MERKEL!!!

    Não foi a Angela Mekel que levou o vosso país à ruina, meus caros amigos esquerdistas.
    E o vosso Sócrates também tem muitas culpas no cartório.

    COMO É FÁCIL ENCONTRAR CULPADOS PARA OS NOSSOS PRÓPRIOS ERROS!!!

    Se a nossa Angie lesse esta carta ficava pávida e serena como sempre fica quando a criticam.
    Ela está muito acima de todas estas bagatelas!!!

    Carambas, não chega o palerma do meu "Kraut" a dizer mal desta mulher formidável, tem de ser também o Carlos?!

    Agora vou ver um "Krimi" para acalmar!!!

    ResponderEliminar
  6. Clap, clap, clap, 100% de acordo!

    Uma coisa é pagar o que devemos, por culpa dos nossos governantes incompetentes, que até aí concordo! Mas a imposição da venda dos submarinos, só ajudou a encalacrar-nos mais, além de que ela deu espaço a que verdadeiros agiotas cobrassem juros exorbitantes sobre as nossas dívidas! E assim é sabido que é impossível...

    ResponderEliminar