domingo, 15 de maio de 2011

Bate, bate, coração (7)




Talvez não seja esta a interpretação mais conhecida dos leitores. Mas foi Elaine Page ( e não Madonna) quem me fez vibrar ao som destes maravilhosos acordes. Mal eu sabia como esta canção haveria de ficar ligada às mais trágicas memórias da minha vida...

5 comentários:

  1. Não sabia...
    Uma canção inesquecível!

    ResponderEliminar
  2. Carlos,
    Comparar a Elaine Page e a Madonna é comparar a Mona Lisa e o mono liso.
    É uma pena que esta música lhe traga más recordações porque é uma melodia linda.

    ResponderEliminar
  3. O Pedro Coimbra disse tudo. Concordo em pleno.

    ResponderEliminar
  4. Caro CBO.

    Depois do filme de Carlos Pasini-Hansen “Queen os Hearts” e depois do musical de Andrew Lloyd Webber e Tim Rice, é natural que o filme de Alan Parker se sobreponha a todas as obras anteriores. E, sem tirar mérito a nenhumas das outras intérpretes, é também natural que Madona tenha obtido uma maior notoriedade. E tudo isto contribui para avivar a memória da história e perpetuar o mito.

    Quanto às recordações, a história trágico-política da Argentina é tão “rica” que compreendo que, de alguma forma, venha a tocar a sua “costela argentina” sem, contudo, poder avaliar quanto isso o afecta na realidade.

    Um abraço e bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  5. Quando eu era bem pequena, acho que não tinha mais que dez anos(devia ser 77 ou 78), tínhamos aula de flauta doce, ou canto, na escola.
    E como cantar nunca foi o meu forte, fiquei no grupo dos flautistas.
    Na apresentação de final de ano nos juntamos para apresentar ao público cativo composto por pais, mães, familiares e professores, uma belíssima apresentação de Don't cry for me Argentina.

    ResponderEliminar