quinta-feira, 21 de abril de 2011

Late night wander (89)

Talvez fosse bom reflectir, neste período pascal, na responsabilidade que cabe a cada um de nós na situação a que chegámos. Para começar, vale a pena lembrar que a dívida pública portuguesa é de 90,2 por cento do PIB, valor muito inferior ao da Bélgica (100,5%), Irlanda (107%), Grécia, (150, 2%) ou Itália (120,2%) O grande problema em Portugal é a dívida privada que atinge o valor astronómico de 220% do PIB. Como chegámos aqui? Por culpa da Banca que emprestou dinheiro sem critério e aliciou os consumidores a endividarem-se e dos consumidores portugueses que tiveram mais olhos do que barriga e se endividaram muito acima das suas possibilidades.
Amanhã desenvolverei o assunto.

4 comentários:

  1. Problema semelhante ao que se passou há pouco tempo nos Estados Unidos. Um casal amigo comprou um apartamento na Flórida por US$30 000.00! Sabe-se lá quanto os seus ex-proprietários teriam perdido.

    ResponderEliminar
  2. Desculpe,mas a culpa do endividamento dos portugueses não pode ser imputada à Banca. Tal como qualquer outro prestador de serviços ou comerciante, apenas apresentou os seus produtos. Os portugueses é que tomaram o exemplo do estado e pensaram que o "saco não tinha fundo" e não pensaram no amanhã; não guardaram uns tostões para uma "dor de barriga" e agora é vê-los a "torcerem-se de dores" mas a viver em belas moradias, carros de topo, saudades das idas a Cancun, a Pipa, e outros paraísos...e, como solução só podem dizer: "Adeus coisas boas".
    Não sou insensível, simplesmente sempre vivi muito abaixo das minhas possibilidades até era criticadas pelas minhas colegas pois eu dizia :"Ganhamos 100, vamos viver para 60 para gastarmos 80. Sobram-nos sempre um mínino de 20."
    Ainda há três anos troquei de carro. Pagamento a pronto. O vendedor ficou admirado pois com aquela "entrada" podia comprar um modelo superior. Se eu me endividasse a culpa era do vendedor? Claro que não!
    Muito mais haveria de dizer sobre este assunto pois há pessoas que, mesmo tendo poupado e porque ficaram sem trabalho, estão em má situação e isso é lamentável.

    ResponderEliminar
  3. Estou com a Virgínia nesta questão. Não tenho carro, porque não consigo poupar para comprar um! Nem me passa pela cabeça comprar a prestações algo que nitdamente, não posso comprar :)(felizmente, tenho quem me empreste uma espécie de carro)Não tenho casa porque sempre preferi alugar a minha casa que considero minha na mesma...não faço férias há anos porque não tenho dinheiro para as fazer... mas não tenho dívidas de espécie alguma... sou uma minoria...

    ResponderEliminar
  4. O que acho estranhíssimo, no meio disto tudo, é que ainda há poucos dias recebi uma carta do meu banco, a perguntar se não queria um empréstimo para fazer umas obras em casa ou uma viagem... Eu, hein?!

    ResponderEliminar