quarta-feira, 20 de abril de 2011

Figura da semana

Frederico Gil


Depois de muitas promessas adiadas, no ténis português, emerge finalmente uma figura de destaque no panorama internacional. Degrau a degrau, com perseverança e sem pressas, Frederico Gil tem subido de forma segura e consistente no ranking mundial.

Depois da brilhante prestação em Monte Carlo, onde derrotou adversários muito mais cotados, está agora entre os 60 melhores tenistas mundiais e, tudo indica, pode ir ainda mais longe.

Destaco-o como figura da semana por duas razões. Por um lado, porque a sua carreira tem sido consistente, tendo já deixado de ser mais uma promessa. Por outro, porque neste período de desânimo, Frederico Gil pode ser um exemplo para muitos jovens que acreditam que a chave de sucesso se constrói com carinha larocas e bons contactos na comunicação social que se disponham a promovê-los.

Gil é um exemplo de esforço e dedicação que não se deixou deslumbrar com as primeiras páginas da imprensa desportiva que o equiparavam a outras promessas entretanto desaparecidas. Monte Carlo pode ter sido o trampolim para voos ainda mais altos. Mas se isso não vier a acontecer, ninguém lhe tira o mérito de ser já o melhor tenista português de todos os tempos.

3 comentários:

  1. Completamente de acordo. Muito justa a homenagem. Até porque é bem conhecido lá em casa....
    :)))

    ResponderEliminar
  2. Excelente o percurso dele.
    Precisamos agora de o promover junto dos mais novos para ver se "arrastamos" muitos mais que acreditem que é possível chegar CADA VEZ MAIS ALTO!
    Excelente atleta, excelente tenista e excelente pessoa.
    Precisamos de mais como ele :)

    ResponderEliminar
  3. Concordo que a prestação do Gil em Monte Carlo, e a ascenção ao 64º lugar do ranking ATP, é de realçar. No entanto, acho que nos anos anteriores o Gil já tem tido os seus momentos. Destaco, por exemplo, a final do Estoril Open do ano passado ou a terceira ronda contra o Nadal em Miami 2009.
    Acho que este ano ele tem hipótese de finalmente dar o salto que tem faltado no ténis dele: vencer um ATP 250. Quem sabe não é já no Estoril para a semana?

    ResponderEliminar