sexta-feira, 1 de abril de 2011

As boas notícias de Cavaco

O PR dissolveu ontem a AR e deu início, formal, a um período de três meses de vazio.Durante os próximos dois meses os partidos vão esgrimir argumentos, tentando captar o voto dos eleitores. O mais provável, é que na noite de 5 de Junho seja declarado vencedor o partido que melhor conseguir esconder aos portugueses as medidas que irá tomar. Indicam as sondagens e os recentes episódios "pinoqueiros" do seu líder, que esse partido será o PSD e que poderá formar um governo de maioria com o CDS/PP.

Uma maioria de direita na AR não é uma boa notícia para quem trabalha. O BE, que nas legislativas de 2009 ainda conseguiu captar muitos votos de protesto será, certamente, o partido mais penalizado, ficando reduzido a uma expressão mais consentânea com a realidade. Talvez se arrependa de ter sido o primeiro a desencader a crise, com a apresentação da moção de censura, mas será tarde para emendar a irresponsabilidade. Muitos dos seus eleitores, perante a possibilidade da ascensão da direita, optarão por voltar a votar no PS.

Depois de dois meses de campanha eleitoral, o país estará na mesma situação em que se encontra agora, ou talvez pior… Depois de regressarem de um período de férias que a conjugação de vários feriados irá permitir, os portugueses vão começar a conhecer as novas caras que os irão governar. Perceberão que a prometida redução de ministérios será insignificante, porque uma aliança entre PSD e CDS obrigará a uma distribuição alargada de lugares.

Nos primeiros dias de Julho, depois de o novo governo tomar posse, ter comprado novos carros e novas mobílias para os gabinetes e encomendado a empresas com cartão laranja a renovação da imagem dos sites dos ministérios e direcções gerais, os portugueses começarão a arrepender-se do seu voto. Despedimentos na função pública, cortes ( ou eliminação) do subsídio de Natal, redução de salários e despedimentos na função pública, aumento do IVA, dos decontos para a ADSE, SS e CGA, anúncio de privatizações, pedido de ajuda externa , redução das reformas, alargamento da idade da reforma, acesso aos serviços de saúde mais dificultados, são algumas das medidas inevitavelmente anunciadas em Julho e Agosto.

Em Setembro, regressados de férias, muitos dos professores que exultaram com o chumbo da avaliação, vão perceber que têm os seus lugares em risco, enquanto o sindicato dos professores continuará a fazer tudo para impedir a avaliação e manter o poder que tem dentro das escolas. O governo arrepender-se-á do chumbo do sistema de avaliação e, quanto ao resto, dirá que tudo isto estava no programa do PSD – que ninguém vai ler e a comunicação social esconderá. Em Setembro, os portugueses despertarão finalmente para um longo Inverno que os mergulhará numa depressão que nenhum Xanax , Prozac ou similar ajudará a debelar. Os muitos que se vão abster lamentarão a imprevidência da sua (não) escolha, deixando nas mãos dos fiéis eleitores da direita - que mesmo ligados ao ventilador e em estado pré- comatoso, não deixarão de votar- a decisão sobre o futuro do país. Lembrar-se-ão, alguns, que foi graças à abstenção que Cavaco foi reeleito em Janeiro.

Foram estas as boas notícias que o PR deu ontem ao país. Obrigado, senhor Presidente, mas tudo poderia ser agora tão diferente se outro estivesse, neste momento, a ocupar o seu lugar em Belém! Manuel Alegre bem avisou, mas os portugueses não lhe deram ouvidos...

7 comentários:

  1. Carlos.. reconheço em si uma voz acertiva e com uma enorme noção da realidade, mas acho que está a dar de mão beijada a vitória do PSD e a consequente maioria da direita... eu pessoalmente acho que a maioria já nem se lembra da moção de censura do BE... eu confesso que já não me lembrava, já pensou no que poderá acontecer se ao contrário do que se espera, a soma de PS+CDU+Be tiver mais votos que PSD+CDS?, o que faria Cavaco?

    Bom fim de semana
    Jorge Soares

    ResponderEliminar
  2. Eu concordo com a maioria das coisa,mas não...os sindicatos estão completamente descreditados nas escolas...

    ResponderEliminar
  3. As "boas" notícias do Cavaco são muito mais preocupante do que uma freira espanhola seja a chefe numa rede de prostitutas traficantes de droga.

    É verdade, que o poeta alegre avisou os portugueses, mas muito mal. A campanha do Manuel Alegre foi péssima... e agora temos a salada!!!

    Prometi ser boa menina, deixando de me meter em política e cultura, pois cada vez estou mais fraca.

    BOA NOITE!

    ResponderEliminar
  4. Exactamente Carlos, vai ser assim. é por causa do previsível efeito do voto útil que o Louçã já está a lançar a escada ao PCP...

    ResponderEliminar
  5. Carlos, nunca em tempo algum - e julgo que se lembrará que já nos "conhecemos" há algum tempo - estive mais de acordo consigo. Subscrevo na ÍNTEGRA as suas palavras. Um abraço.

    ResponderEliminar