sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Ano Novo, Vida Nova!


Teria muito para vos dizer sobre este 2011  que, apesar de tudo, foi um bocadinho melhor do que 2010. Perdi alguma qualidade de vida como quase toda a gente, mas pelo menos não perdi pessoas que me  eram queridas,  como aconteceu  em 2010. Dos  problemas de saúde que me afectaram em 2010, felizmente este ano também não me posso queixar. Poderei dizer  pois, em jeito de balanço, que este ano foi melhor do que o precedente.
 O amargo de boca que sinto nestes últimos dias de 2011 é  provocado por me  sentir  como se tivesse sido sequestrado por um grupo de bandidos que reclamam um resgate para me libertar mas, quando os seus pedidos são satisfeitos, logo avançam com novas exigências.
Ora  eu sou como o Pinheiro de Azevedo, ser sequestrado é uma coisa que me chateia. Ainda mais, quando pressinto que os sequestradores não estão nada interessados em libertar-me, apenas procuram ganhar tempo  até  fazerem uma exigência impossível de satisfazer, para depois me liquidarem.
Os  sequestradores não têm rosto, mas  os seus mandantes que neste momento me vigiam, são pessoas estranhas que passam o dia inteiro a discutir estratégias para agradarem aos chefes.  Não sei os seus nomes, porque se  tratam por alcunhas. O  Boca de Brioche ( tratam-no como se fosse líder, mas já percebi que o tipo não manda nada) , o Abafa Palhinhas que passa a vida a entrar e a sair, muito atarefado, levando e trazendo mensagens para outros grupos de sequestradores, o Seminarista que trata da contabilidade e o Fiel Jardineiro que passa o tempo, acompanhado  por um  séquito  de lambe cús,   a regar uma laranjeira anã que está a um canto da sala,  mas  me parece  estar a morrer aos bocadinhos.
Nem é o facto de já terem quase secado a minha conta bancária  ( o meu mediador  que os acusa de me estarem a esbulhar, com desrespeito pelas regras éticas dos criminosos, vai satisfazendo todas as usas exigências )  que me chateia. O que realmente me deprime é  o Boca de Brioche estar a destruir-me o ânimo, descapitalizando-me a esperança de sair daqui com vida.   
Tinha de tomar uma decisão  e arranjei um estratagema para me livrar do cativeiro nas próximas horas. Vou aproveitar os preparativos para a passagem de ano, que os mantém atarefados, e vou pirar-me. Deixo-lhes um bilhetinho a  dizer que não me agrada conviver com criminosos, mando-os à merda e assim que estiver em liberdade, gritarei com todas as forças:
Ano Novo, Vida Nova!
Entretanto, aproveito para vos desejar  um Feliz 2012 e marcar encontro convosco  entre o final de Janeiro e  meados de Fevereiro. Até lá  espero ir passando por aqui, de vez em quando, para deixar a minha impressão digital. 
Façam o favor de ser felizes!

Prémios Escorpião de Ouro 2011 (2ª parte)


Concluo hoje  a entrega dos Prémios Escorpião de Ouro 2011. Quem não assistiu à primeira parte, pode ver aqui a lista dos vencedores

E os galardoados de hoje  são...


Prémio  Sensodyne -  Programa da TVI “A Casa dos Segredos”, pelo seu contributo para o serviço público de televisão ao transmitir as imagens de uma concorrente fazendo  sexo oral. 
Prémio Second Life-  Judeus ortodoxos que exigem  às mulheres que se vistam com decência e cuspiram numa menina de 10 anos, por estar vestida de forma “ultrajante”.
Prémio Acólito(s) do ano- Jornalistas que se transferiram das redacções para os gabinetes do governo, depois de umas almoçaradas à borla com PPC, onde apareciam disfarçados de bloggers.
Prémio Speedy Gonzales- Fernando Nobre, pela sua passagem meteórica pela política portuguesa.
Prémio Encenação –  Duarte Lima pela entrevista dada a Judite de Sousa, depois de a justiça brasileira ter anunciado suspeitar do seu envolvimento na morte de Rosalina Ribeiro.
Prémios “Tirem-me daqui” e “Leva-me Contigo” –  Sílvio Berlusconni pela frase “ Daqui a uns meses vou-me embora… Vou-me embora deste país de merda que me dá náuseas”.
Prémio  “Era uma vez uma Vespa que encontrou uma fada e lhe pediu um desejo...”-  Pedro Motas Soares. Foi tomar posse de Vespa mas,  três meses depois , montou-se num Audi de 86 mil euros para brincar à caridadezinha.
Prémio  Alzheimer-  Pedro Passos Coelho que, em 24 horas, esqueceu todas as promessas que andou a fazer durante a campanha eleitoral.
Prémio Marretas-  Paula Teixeira da Cruz e Marinho Pinto, pelos  edificantes diálogos que travaram ao longo do ano em torno da Justiça.
Prémio Complexo de Édipo-  Correio da Manhã  que, diariamente, faz manchete com José Sócrates.
Prémio “À noite logo se vê”-  Durão Barroso que, perante a crise europeia, continua a acreditar   que um dia alguém há-de tomar decisões sérias para a combater.
Prémio Não Matem o Mensageiro –  Carlos Abreu Amorim, pelas hilariantes e descabeladas  intervenções  em defesa do chefe.
Prémio Instituto de Emprego e Formação Profissional-  Diário de Notícias, a melhor agência de empregos  para candidatos a lugares no governo PSD/CDS.
Prémio  Novas Oportunidades-  Maria de Lurdes Vale. Saiu  do DN para o gabinete do Álvaro e, em apenas três meses, foi catapultada para a direcção do Turismo de Portugal. 
Prémio “ E agora que é que eu faço?”- António José Seguro que não sabe o que deve fazer como líder da oposição.
Prémio “Agarrem-me senão eu…” –  Alberto João Jardim que  passou o ano a fazer ameaças e a lançar bravatas, mas  em 2012 se transformará em cãozinho amestrado. 
Prémio  Sarjeta –  Mário Crespo, pelo seu comportamento e pelo programa que mantém na Sic Notícias.
Prémio “ Crime, disse ela..”-  Felícia Cabrita, pelas “investigações” no âmbito dos  casos Duarte Lima e “serial killer” made in Casa dos Segredos.
Prémio “Daqui não saio, daqui ninguém me tira” – Vale e Azevedo, pela sua perícia em zombar da  justiça, mantendo-se a viver em Inglaterra levando uma vida de nababo.
Prémio  “A  promoção do ano Pingo Doce”- Ex- aequo  para o Berloque de Esquerda e Partido Comunista Português  pelo seu contributo na promoção de Pedro Passos Coelho.
Prémio “Animal de Jardim Zoológico” – O Coelho. Foi o protagonista do ano chinês e lixou o português.
Prémio “Olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço”- Membros do governo que prometeram a privatização da EDP, mas acabaram por vender a parte do Estado português a uma empresa que pertence ao governo chinês.
Prémio Margarida Rebelo Pinto-  Hugo Chavez. Afinal há coincidências e este ano  os líderes sul-americanos que democratizaram os seus países  foram todos vítimas de cancro ( Chavez, Cristina Kirchner, Lugo, Lula…).
Prémio taróloga Maya- Pedro Passos Coelho pela frase: “Daqui a 20 anos estaremos muito pior do que hoje”.
Prémio Professor Pardal- Troika, pelas experiências que anda a fazer com os países endividados.
Prémio Dr Jekill and Mr Hyde- Agências de rating.
Prémio “ Mas eu disse isso?” – Cavaco Silva por ter passado meses a zurzir no OE 2012, defendendo que continha inconstitucionalidades,  mas  acabando por promulga-lo sem o enviar ao Tribunal Constitucional. 

Chavez será mesmo louco?


Entre 1946 e 1948 , cientistas norte-americanos infectaram deliberadamente  prisioneiros, prostitutas e doentes mentais guatemaltecos com sífilis e gonorreia, provocando pelo menos 83 mortes, entre as mais de cinco mil vítimas propositadamente infectadas.

O caso foi abafado durante décadas e só com a chegada de Obama à Casa Branca foi criada uma comissão para analisar 125 mil documentos sobre estas experiências.
A comissão concluiu que “houve um esforço claro e deliberado de enganar as pessoas submetidas às experiências e a comunidade científica”  e o seu presidente, Amy Gutmann, acrescentou que “ os envolvidos no estudo não tiveram o mínimo respeito pelos direitos humanos”. 
Lembrei-me disto, a propósito das recentes declarações de Chavez.  Ao constatar que vários chefes de governo e presidentes sul-americanos foram este ano vítimas de doenças cancerígenas ( ele próprio, Cristina Kirchner, Lula da Silva e Fernando Lugo) , o presidente venezuelano lançou a suspeita velada de que os EUA  poderiam estar de algum modo envolvidos nestes casos. 
Logo alguma blogada de direita, com epicentro em Braga,  contra atacou com posts inflamados, denegrindo  Chavez.
Obviamente que acredito tratar-se de uma infeliz coincidência, mas aproveito para recordar a esses epifenómenos blogueiros que as coincidências são tramadas. É que todos os líderes vitimados pela doença são de esquerda, não tendo o mal afectado líderes  amigos da Casa Branca como Piñera.
Eu sei que este post é um bocado idiota, mas é a resposta  na mesma moeda aos idiotas que aproveitaram as declarações de Chavez para lhe chamar louco e psicopata  e lembrar que as teorias mais escabrosas são possíveis, quando estão em causa os interesses americanos na região. É que aqueles povos  já se habituaram a ser vítimas dos mais cobardes ataques americanos e sofreram na pele as consequências, pelo que é admissível que mantenham a desconfiança sobre as habilidades dos americanos, incapazes de respeitar os direitos humanos, quando estão em causa os seus interesses.

Diz que é uma espécie de jornalismo

Lembram-se da expressão jornalismo de sarjeta, utilizada por Augusto Santos Silva para definir o jornalismo manhoso?
Pelo exemplo acima ( roubado aqui) a expressão caiu em desuso. A isto chama-se mesmo jornalismo filho da puta.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Prémios Escorpião de Ouro 2011 ( Primeira parte)



Este ano, devido à falta de verba ( não esqueçam que tempo é dinheiro) receei não poder atribuir os tradicionais Prémios “Escorpião de Ouro”, uma tradição do CR desde 2008. No entanto, consegui uma verba inesperada no Banco de Horas  e, este ano, a lista de prémios e premiados ultrapassa mesmo a dos anos anteriores, razão  pela qual me vi obrigado a proceder à sua revelação em duas sessões. No intervalo, será exibido o filme “Sangue do meu Sangue” e os Deolinda interpretarão o seu último sucesso “ Que parva que eu fui”.

E os vencedores são…
Prémio Escorpião de Ouro com Palma ( Prémio Carreira) - Para todos os líderes europeus que estão actualmente no poder e demonstraram à saciedade que a direita  não sabe nada de História. Ao privilegiar as políticas economicistas, vão conseguir destruir a Europa e transformá-la novamente num palco de guerra.
Prémio Multiópticas-  Paulo Portas. Só um problema de visão explica  que  tenha andado durante uma década a esgrimir  a segurança e a luta contra a  criminalidade, como bandeira do CDS,  e  agora que a criminalidade violenta disparou, coincidindo com a sua chegada ao governo, se remeta ao silêncio.
Prémio Sonotone-  Ângela Merkel. Só a surdez justifica que se mantenha   indiferente aos avisos de Helmuth Kohl, de grandes líderes mundiais e dos mais reputados economistas ( entre os quais se encontram vários Prémios Nobel), persistindo na destruição da União Europeia.
Prémio  Listerine-  Eduardo Catroga pela frase: “ vocês só discutem pintelhos”
Prémio Loja dos Trezentos-  Privatizações das empresas públicas portuguesas mais emblemáticas.
Prémio  “Quando o telefone toca”-  Miguel Relvas.  Assim que lhe põem um microfone à frente, é como um programa de discos pedidos. Fala sobre tudo, mesmo sem perceber o que diz. 
Prémio Caramelos Vaquinha-  João Duque pela frase: “ A bem da Nação, a informação da RTP deve ser filtrada e trabalhada. Um tratamento que não deve ser questionado”.
Prémio Pursenide- Ex –aequo para Pedro Passos Coelho, Miguel Relvas e Alexandre Mestre pelo conselho dado aos portugueses “  Se não tem trabalho em Portugal, emigre. E faz você muito bem!”
Prémio Danacol-  Ex –aequo para Paulo Macedo, pela destruição do SNS, e Vítor Gaspar por ter conseguido tirar as gorduras aos portugueses.
Prémio Bacalhau Pascoal- Para os padres que se envolveram numa cena de pugilato, à vassourada, na Igreja da Natividade, em Belém.
Prémio Santa Casa da Misericórdia/Euromilhões- Mira Amaral, feliz contemplado com  a compra do BPN por  tuta e meia. 
Prémio “Ó Abreu, dá cá o meu”-  Os boys nomeados  dirigentes  para organismos cuja extinção tinha sido previamente anunciada.
Prémio  Garganta Funda-  Álvaro Santos Pereira. Todas as semanas anuncia  medidas para o crescimento da economia, mas não se viu ainda nem uma. 
Prémio   Turismo de Portugal -  Álvaro Santos Pereira, contratado para ministro da Economia em Vancouver, depois de ter posto um anúncio num blog.
Prémio Restaurador Olex-  Justiça portuguesa, pela capacidade em reabilitar os criminosos de colarinho branco.
Prémio Pescanova- Teresa Caeiro, por ter protagonizado a maior cena de peixeirada e má criação  televisiva do ano. 
Prémio   Margarina Vaqueiro- Ex aequo para José Gomes Ferreira e Camilo Lourenço, pelas suas análises políticas.
Prémio Luís de Matos- Primavera Árabe. Prometeu a democracia ma, pela magia das eleições, esta eclipsou-se num ápice.
Prémio Pinóquio –  Pedro Passos Coelho, por se ter destacado como o mentiroso compulsivo do ano.
Prémio  Cohn Bendit-  Cavaco Silva que até Junho andou a apelar aos sobressalto cívico e durante a campanha eleitoral para as presidenciais incentivou as escolas privadas a saírem à rua em protesto contra as medidas do governo.

Amanhã serão revelados os restantes galardoados, entre os quais se encontram os vencedores dos prémios Sensodyne, Marretas, Novas Oportunidades, Margarida Rebelo Pinto ou Maya. 

2012 pelo Meridiano de Lisboa



Se as previsões baterem certo,  pode concluir-se que, de uma forma geral,2012 será um ano bastante seco. Então, mês a mês, aqui ficam os resultados.
Janeiro- Mês ameno com alguns dias de chuva fraca.
Fevereiro- Temperaturas amenas, com alguma chuva, mas pouco intensa.
Março-  Será um mês seco, mas predominantemente cinzento.
Abril-  Não será um mês de águas mil mas, as que caírem, serão coadas por um funil.
Maio- Começará soalheiro, mas será sol de pouca dura. Terminará cinzento e chuvoso.
Junho- Chegou o Verão! Mês quente e seco a convidar para umas belas idas até à praia. E ainda haverá feriados a 10 e 13, pelo que é de aproveitar.
Julho- Mês fraco para quem ficar por Lisboa. Muitas neblinas matinais e poucos dias de sol esplendoroso.
Agosto- O Verão decide voltar. Pena que os dias já sejam muito mais curtos do que em Julho, mas quem tiver ficado por Lisboa terá certamente boas razões para  passar o final do dia numa esplanada a ver o Tejo.
Setembro- Continuação de bom tempo. Um mês em quase tudo parecido com Agosto, mas com os dias muito mais curtos…
Outubro- Outonal, logo instável,  com muitos nevoeiros, alguma (pouca) chuva  mas  alguns dias de sol.
Novembro- Será seco e soalheiro. O Outono no seu esplendor.
Dezembro- O último mês do ano não trará chuva. Bem pelo contrário, será seco como o deste ano.
Pronto, a informação aqui fica, mas não é da minha responsabilidade. Se ao longo do ano tiverem reclamações  queixem-se  ao S. Pedro.  Ao  que vive na paz celestial, não àquele que reparte os dias entre S.Bento e a S.Caetano , porque esse não aceita reclamações.
Tenham um ano de 2012 muito melhor do que  se anuncia. Principalmente que não vos falte saúde e força para  vir para a rua gritar. 

A fotografia do ano

A Teté elegeu esta fotografia  como a melhor do ano  Apoio a escolha, pela mensagem que encerra. E vocês?

O preço da verdade


Numa entrevista à BBC Radio, José Mourinho disse que estava muito feliz no Real Madrid, mas que em 2014 queria regressar a Inglaterra. O treinador português nunca escondeu  a sua atracção pelo futebol inglês e , quando saiu do Chelsea,  afirmou sem tibiezas que depois de experimentar o futebol italiano e espanhol, gostaria de regressar a Inglaterra.
A imprensa espanhola, no entanto,  não gostou da  entrevista de Mourinho e começou a desancá-lo por todos os lados. Estou certo que o mesmo aconteceria em Itália, Portugal ou Inglaterra. As pessoas  não gostam de gente sincera. Preferem a hipocrisia. Mourinho falou  verdade e está a pagar um preço por isso.  Acontece o mesmo na política, no mundo do espectáculo, nas relações profissionais,  nos locais de trabalho, no seio familiar e, até, nos círculos de amigos. Quem fala verdade é penalizado e acusado de ter mau feitio ou ser mal educado.  Não admira que o mundo tenha chegado a este estado.

Alves Redol


No dia do centenário de Alves Redol,  o Casal das Letras divulga um manuscrito inédito do autor, proibido pela Censura nos anos 60. Obrigado pela partilha, Maria Augusta.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Sorry....

Eu sei que a maioria dos leitores do CR não gosta dele, mas ver o seu mérito reconhecido internacionalmente, deu-me um gozo muito especial. Até porque se fosse de outra cor, amanhã os jornais fariam manchete especial, mas assim será nota de rodapé.

Vitória de Pirro


Na rua Praia da Vitória havia uma loja de roupa para bebés prematuros. Já não há. Em seu lugar abriu uma loja de compra e venda de ouro- o grande negócio do momento.
 Conhecia há muito tempo as dificuldades da proprietária desta loja, que  tinha outros dois estabelecimentos na mesma rua.
Quando, na Primavera, me anunciou a intenção de vender a loja dos prematuros, para salvar as outras duas,  estava revoltada com Sócrates, a quem acusava de ser o responsável pela sua falência iminente. Poupo-vos aos epítetos com que mimoseou o ex-primeiro ministro, em contraponto com os elogios tecidos a Pedro Passos Coelho, que via como Salvador da Pátria.
Já no Verão, perguntei-lhe se estava satisfeita com a vitória do PSD. Respondeu-me de rosto fechado “ isto agora vai lá, mas continuo a pensar vender a loja e ficar só com estas duas”. 
Desejei-lhe boa sorte, mas saí do estabelecimento com a convicção de que as lojas talvez não chegassem ao final do ano. 
Quando há dias passei por lá e vi os outros dois estabelecimentos em liquidação total, perguntei-lhe se estava satisfeita com o actual governo. “ Não, não estou, mas ao menos vimo-nos livres do  vigarista do Sócrates”.  
As duas outras lojas  já encerraram, mas presumo que a senhora continue feliz por se ter visto livre do vigarista do Sócrates. 

Amor sem barreiras

Adoro animais. Tenho imensa pena de não viver numa casa onde possa acolher várias espécies, como acontecia em casa dos meus avós, onde me habituei a conviver com cães, gatos, cágados, tartarugas, papagaios, catatuas e outros  passarocos, jericos, bodes e até coelhos de bom porte, nãos dos adulterados que agora infernizam a vida dos humanos. 
Tenho muitas histórias de animais, principalmente cães e gatos e enterneço-me facilmente quando leio ou vejo histórias passadas com animais. Mas esta história  de amor que a Maria conta no seu blog é das mais enternecedoras que tenho lido nos últimos tempos. Ora digam lá se não tenho razão...

Monopoly Games (3)

Pelos idos de Março, Sócrates dizia "o mundo mudou" e toda a gente se ria. Na verdade o mundo mudou e vai mudar ainda muito mais na presente década, como aliás já diversas vezes aqui anunciei. ( Ler aqui e também aqui).
Ontem ficámos a saber que os países europeus estão em queda vertiginosa, enquanto os BRIC ( Brasil, Rússia, Índia e China) sobem de uma forma avassaladora no ranking das economias mundiais. 
Mas se o crescimento da China não é surpresa, o 5º lugar da Índia no ranking e a queda de países como a Alemanha - que será a mais penalizada- Inglaterra e Itália, confirma a política errada que tem vindo a ser seguida na última década pelas principais potências europeias. 
A senhora Merkel e o senhor Sarkozy bem podem limpar as mãos à parede depois de toda a m.... que têm andado a fazer, afundando os restantes países europeus para salvarem a pele. Feitas as contas nem eles escaparão.
Entretanto, como também já  afirmei diversas vezes, os países latino-americanos ( apesar de algumas dificuldades do Brasil) continuam a subir a uma média de 4% ao ano, confirmando o que venho a escrever há duas décadas. A Europa está velha e esclerosada, feita barata tonta e a América do Sul é o futuro, com um crescimento sustentado e uma democracia consolidada.
A geração de 60 deu ao mundo abortos políticos que agora, na casa dos 40, chegaram ao poder e andam a brincar aos pirotécnicos, com o fito de saber quem é o primeiro a chamuscar-se. Não se preocupem...porque neste jogo de feitos especiais, todos vão ficar chamuscados.    

Deixem passar os blues (20)

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Um discurso honesto e sincero de Passos Coelho




Ninguém terá percebido a mensagem de Natal de Pedro Passos Coelho, mas penso que esse era mesmo o objectivo. No entanto, eu não sou de desistir facilmente e depois de muitos esforços creio ter conseguido interpretar partes do discurso, cuja tradução faço agora, em exclusivo, para os leitores do Rochedo.
Antes do discurso, propriamente dito,  começarei por analisar o significado daquela horripilante gravata verde que o PM envergava. Como sabem, o verde significa esperança e os spin doctors  do PM, sabendo que PPC é avesso a transmitir essa mensagem através de palavras, aconselharam-no a fazer passar a mensagem de esperança de forma subliminar ( uma técnica muito usada na publicidade, sector onde trabalhavam alguns spin doctors e especialistas  antes de serem recrutados para  os gabinetes ministeriais ), utilizando uma gravata verde. Como a ideia foi de última hora e o bom gosto é bem escasso por aquelas bandas, foram a uma loja de indianos que estava aberta no dia de Natal e compraram  uma tira de pano verde que Assunção Cristas e Paula Teixeira da Cruz, com desvelo, transformaram  em gravata.
Dada esta explicação prévia,  passemos então à interpretação das palavras de Passos Coelho.

Blá, blá, blá, blá, blá ( tradução: neste dia de Natal quero dizer-vos que cada um de nós, quando nasce, traz uma missão que lhe foi confiada por Deus.  Eu vim ao mundo com a missão de vos roubar, fazer sofrer  e  regredir 40 anos e no dia do juízo final  quero orgulhar-me de ter conseguido cumprir a missão que me foi confiada).
Blá,blá,blá, blá, blá (tradução: eu admito que a vida de um trabalhador seja difícil mas, como nunca trabalhei  e apenas encontrei emprego aos 40 anos como administrador de umas empresas  de lixo do meu padrinho Ângelo  e daí vim logo para primeiro-ministro, não tive a sorte de experimentar as dificuldades que, segundo  me dizem por aí, os trabalhadores portugueses estão a sentir).
Blá, blá, blá, blá, blá e, mais ainda, blá, blá blá! ( tradução: claro que eu disse, em campanha eleitoral, que cortar o 13ºmes seria um disparate e não destruiria o SNS. Mas eu sou um mentiroso compulsivo e não conseguia suportar a ideia de chamarem Pinóquio ao Sócrates, um amador das mentiras que não tinha quaisquer condições para ombrear com um mentiroso profissional  como eu!).
Blá? blá, blá, blá, blá! ( Acusam-me de estar de joelhos perante Merkel? Quem o afirma tem é inveja. Gostaria de estar no meu lugar a desfrutar daquele maravilhoso odor corporal que a Angie exala na sua intimidade!)
Blá, blá, blá, blá, blá!  Blá blá…blá, blá, blá!( Eu sei que logo que termine esta mensagem de Natal, alguns jornalistas vão deturpar as minhas palavras, por isso pedi ao Relvas para mandar um dos  especialistas que tem lá no gabinete gravar as minhas palavras para não ser mal interpretado….  Reafirmo a minha intenção de empobrecer os portugueses até ao limite das suas capacidades. Depois, espero que rastejem até mim, seguindo o exemplo do povo norte coreano que deu ao mundo um exemplo ímpar de amor ao seu querido líder e me  peçam que lhes distribua algumas das migalhas com que enriqueci a classe trabalhadora deste país, que tem a nobre missão de trabalhar nos bancos e no sector financeiro em geral, com o objectivo de- apoiada na minha sabedoria – roubar aos portugueses as suas casas e todos os outros luxos supérfluos adquiridos durante os governos desastrosos que me precederam!)
Blá.blá, blá, blá, blá. Blá. Blá e blá blá. Trataralá!( Nesta época de Natal, os trabalhadores portugueses devem perceber que os sacrifícios que lhe estão a ser pedidos valerão a pena. São um investimento no futuro. Terminado este período de empobrecimento,  estarão purificados e poderão enfim  sobreviver  eternamente com a bênção do Espírito Santo,  do BCP ou mesmo do  santo salvador  Mira Amaral, que repousa à direita de José Eduardo dos Santos. É para isso que todos os dias violo a Constituição e as Leis da República, ignoro a concertação social e imponho a minha vontade. A minha missão será cumprida, em nome do meu padrinho Ângelo, mesmo que para tal seja obrigado a confrontar o Satanás Aníbal. Tenham um santo Natal. No próximo ano aqui estarei a dizer-vos que o governo não atingiu as metas, estamos mais pobres e precisamos de fazer mais sacrifícios, mas a culpa é da crise internacional e não do governo!)

A mala de cartão


No dia de Natal, ao acordar, tinha esta mala à porta de casa. Vinha sem remetente, mas o destinatário era mesmo eu. Pelo aspecto, deve ser da época da  Linda de Suza e entendi esta oferta como um convite para emigrar. Pensei maduramente e hoje comecei a enchê-la com alguns bens essenciais para a viagem ( que não será até França). 

Tenham juízo!

O que é interessante analisar, na lógica deste governo, é a sua tendência para tomar medidas e traçar uma política que contraria os seus princípios.
Este governo pede mais trabalho, mas não toma medidas para fazer crescer a economia, o que provoca o aumento do desemprego.
Por outro lado, a política de cortes é a de uma família qualquer em dificuldades. Não tendo dinheiro, corta na alimentação, no vestuário, nas despesas de saúde, etc Mas se os membros da família não encontrarem emprego, o que sucede? Acabam a recorrer à assistência social.
Ora é este exactamente o caminho que o governo traça para o nosso país, como exuberantemente demonstra o OE: cortes de salários, impostos sobre os rendimentos mas criação de emprego e incentivo à economia, nickles.
Alguém tem dúvidas que, por este caminho, dentro de um ano estraemos muito pior? Se não há criação de riqueza de que vamos viver? Das esmolas que a assistência social europeia nos der?. Pedro Passos Coelho e Vítor Gaspar porventura acreditam que a senhora Merkel virá aí um dia, armada em Banco Alimentar Contra a Fome, para nos salvar? Tenham juízo!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Blog da semana

Gosto muito de beber desta fonte. Infelizmente saio de lá quase sempre sem um pio, porque sou bastante mau a decifrar os enigmas que ele coloca com uma grande imaginação e criatividade, mas não dispenso uma visita quase diária ao Rui. Coisas da fonte é o blog da semana

Reflexões em dia de ressaca




Caminho pela rua sem destino. Só quero sentir na face a brisa fresca e cortante da manhã e  queimar  as calorias ingeridas em excesso  durante dois dias.  Na rua, anda um número inusitado de homens  sem abrigo. Como eu, caminham com destino a lugar nenhum.
Há pouco bulício nas ruas. Os estabelecimentos comerciais por onde passo estão quase todos fechados. Passam pessoas por mim. Não têm pressa. Vão com o rosto tão fechado como as portas das lojas, que ainda há dois dias recebiam gente atarefada na compra das últimas prendas de Natal e agora se fecharam num silêncio de domingo. 
Este ano, a ressaca natalícia deixou nos rostos uma expressão grave. Talvez as pessoas que passam  por mim vão a pensar no ano que se avizinha. No próximo Natal em que o corte do subsídio já não dará sequer para disfarçar a crise. No desemprego que pode bater à porta numa manhã  de um dia qualquer.
Entro num estabelecimento de ferragens para comprar um aloquete para a minha mala de cartão. O proprietário fala-me do seu Natal , ensombrado pela ausência de um filho que partiu para a Austrália no Verão em busca de uma vida melhor. Não, não sentiu a crise no bolso, sentiu-a no coração, que é onde ela mais dói. 
Ao final da manhã  estou de regresso a casa. Procuro o conforto do sol que se espraia na varanda.  O mar que se me oferece  até à linha do horizonte, não me provoca a sensação de bem estar  de outros tempos. Ao longe avisto uma embarcação. 
Recordo as palavras do homem do leme  “ este ano vamos  ter de ultrapassar o cabo das Tormentas”. Pelo que vi na rua, durante a manhã, os marinheiros estão pouco motivados para enfrentar os perigos. Sinto-os desanimados. Sem força para lutar, depois de terem apanhado tanta tareia do comandante em quem não acreditam.  Já perceberam que ele está desorientado e perdeu o rumo, mas recusa admiti-lo. 
O  homem do leme   sabe que não iremos dobrar nenhum cabo das Tormentas, porque a embarcação é frágil, os instrumentos de navegação estão avariados e o barco anda à deriva.  Olha para o convés e vê homens de braços caídos, gente deitada  sem força para lutar, à espera da morte misericordiosa.
 Num esforço derradeiro para animar a tripulação, lança umas palavras ocas em que nem ele próprio acredita. É um autómato à deriva. Tão descrente nas suas capacidades, como no Adamastor que construiu na sua mente delirante. 
O homem do leme, promovido a comandante, sabe que só um  daqueles barcos de cruzeiro, cheio de  turistas endinheirados, os pode salvar, mas a loucura já o invadiu e prefere rumar  ao encontro da morte, a pedir socorro. Insano, persiste em correr atrás da glória salvando a sua pele, mas  condenando a tripulação ao sofrimento e à morte.


Olhe que não, olhe que não...

Depois de ter dito que este governo é o mais escrutinado de sempre, o sr Presidente da República veio dizer, neste Natal, que os portugueses tiveram uma vida fácil. O PR deve sofrer de dislexia, mas  percebo as suas palavras, se as contextualizar no percurso de vida de Aníbal Cavaco Silva.
Tudo começou quando decidiu ir fazer a rodagem ao Citroen até à Figueira da Foz e saiu de lá com uma carta de alforria para ser primeiro ministro. Governou em tempos de vacas gordas, quando a União Europeia enviava camiões de dinheiro para Portugal. Isso permitiu-lhe fazer umas flores e criar a imagem, falsa, de que estava a desenvolver o país. Como o dinheiro era muito, poucas foram as vozes que se levantaram quando Cavaco destruiu a nossa agricultura, as nossas pescas e começou a desmantelar a via férrea.
Dez anos depois Cavaco percebeu os seus erros, abandonou o cargo de PM e, falhada a candidatura à PR, remeteu-se à sua zona de conforto. Foi dar aulas.
Entretanto, os amigos que convidara para o governo compensaram-no com enriquecimento fácil. Oliveira e Costa ofereceu-lhe a  oportunidade de construir uma casa na Coelha e fez rentabilizar umas acções do BPN. Acabou acusado de diversos crimes, mas com a certeza que nunca seria condenado, pois Cavaco não deixaria de reconhecer os seus préstimos. Quem pagou as favas foi Sócrates e, por tabela, todos os portugueses, que estão a sofrer os desvarios de um trio de vigaristas ( Oliveira e Costa, Dias Loureiro e Duarte Lima).
O preço que Cavaco teve de pagar foi engolir Passos Coelho como PM, em vez de Manuela Ferreira Leite, que falhou a oportunidade- que parecia fácil- de correr com Sócrates. Um preço baixo, atendendo a que entretanto Cavaco conseguira tornar-se PR e subir ao altar dos impunes.
Portanto, senhor presidente, se alguém neste país teve vida fácil foi V. Exª e os seus amigos corruptos, não os portugueses obrigados a pagar as prebendas com que o senhor foi mimoseado e que, ao longo de duas décadas, foram convidados a endividar-se - por si e pelos seus amigos- para satisfazer todos os desejos consumistas. 
Não nos venha agora com discursos moralistas e recheados de hipocrisia, fingindo estar condoído com as desigualdades sociais e a falta de equidade das medidas impostas aos portugueses para pagar a ruína do BPN, de que Vocelência foi um dos beneficiários.
Se realmente estivesse condoído e quisesse reparar as injustiças, tinha uma maneira de o demonstrar, chumbando o OE 2012, por conter diversas inconstitucionalidades, como V.Exª aliás reconheceu. Mas o senhor não tem coragem de o fazer e, ignorando o juramento que fez, de zelar pelo cumprimento da Constituição, irá aprovar o OE que nos obrigará a recuar 40 anos, mas espera  lavar a sua imagem e não vir a ser acusado por ter sido o primeiro responsável pela crise que vivemos.
Não, senhor presidente, os portugueses não tiveram vida fácil. Apenas alguns beneficiaram de facilidades  e esses são todos seus amigos.

domingo, 25 de dezembro de 2011

Uff, já acabou!

Já terminou o Natal. Este ano, por causa da crise, durou apenas o tempo de um fim de semana, porque a vida não está para andar muito tempo a fingir que somos solidários.
Amanhã a vida voltará à normalidade e as pessoas desprender-se-ão do espírito natalício. Voltarão a ser egoístas e mesquinhas, os nossos governantes anunciarão  novas medidas de austeridade para quem trabalha e mais benefícios para quem nos explora. 
O mais tardar na próxima semana Paulo Portas voltará a desaparecer, retomando a sua vida de caixeiro viajante e Gaspar, perdida a pista de Belchior e Baltazar, volta a engendrar esquemas para nos ir ao bolso. 
O boca de brioche voltará aos discursos idiotas, o Álvaro anunciará mais umas medidas para fazer crescer a economia, mas continuará a guardá-las na gaveta, o Mota da Vespa tirará da cartola mais umas quantas medidas assistencialistas e apelará à caridadezinha enquanto o Relvas retomará a sua verborreia oca, seguindo os conselhos dos seus speech writers, ainda  anestesiados pelos vapores etílicos da época natalícia.
Preparemo-nos então para o ano de 2012 que o Adamastor anunciou como o ano em que iremos dobrar o Cabo das Tormentas.Logo nos  havia de cair em sorte um ano bissexto, para levar a bom termo tão difícil empreitada. O mais provável é que não a concluamos com sucesso e os resistentes estejam daqui a um ano a lamentar o insucesso, mas a prometer que em 2013 é que será. Nem  se aperceberão que o ano que se segue a este bissexto termina em 13, número que já nem no Totobola é sinónimo de sorte, pelo que a saída da crise deveria ser anunciada desde já para o segundo semestre de 2014, ano que precede um novo ciclo eleitoral.

Então tiveram um Bom Noel?

O nosso ministro da defesa foi passar o Natal com os nossos militares no Líbano e não sei onde mais. Podia ter aproveitado a viagem a bordo do Falcon, pago por todos nós, para aprender a dizer Feliz Natal em várias línguas, se esse era o seu desejo, mas deve ter preferido ferrar uma soneca. Foi pena, porque assim envergonhou todos os portugueses  quando, com a desfaçatez e falta de vergonha que lhe é peculiar desde pequenino, o nosso ministro Aguiar Branco  desejou um Bom Noel aos libaneses que estavam presentes.
Ó João Pedro! Eu sei que sempre foste muito mau a línguas, mas quantas vezes eu te expliquei que em francês deves dizer Joyeux,ou Heureux Noel e não Bon Noel? Podias ter-me evitado a vergonha,porra! 

Bate,bate, coração (38)

Como hoje é dia de Natal, ofereço esta prenda aos meus leitores. Como é surpresa, não leva foto...têm de desembrulhar. Mas cuidado, que o material é frágil! Principalmente na passagem do video junto à piscina...

sábado, 24 de dezembro de 2011

Surpresa de Natal é...


Subir a Alameda, virar à direita em direcção à Praça de Londres e apanhar pela frente com uma ambulância  do INEM em contramão. Felizmente vinha devagar e a jovem condutora loira desatou à gargalhada com o susto que me pregou e obrigou a fazer uma manobra perigosa, para evitar o embate de frente.
E por que raio vinha a jovem condutora em contramão? Transportava  algum doente em estado crítico? Ia socorrer alguém? O trânsito era intenso? Nada disso. O sinal para ela estava vermelho e não lhe apeteceu esperar, porque estava em fim de turno e ainda tinha de fazer as rabanadas para a ceia de Natal. 
Apeteceu-me  oferecer-lhe duas lamparinas mas, como era Natal, desejei-lhe Festas Felizes e que pela noite tivesse a honra de transportar ao hospital um doente muito especial, com uma espinha de bacalhau atravessada na garganta.  

Falta de apetite

Com tantos almoços e jantares de Natal, nas duas últimas semanas,  não sei se o meu estômago ainda tem espaço ( e capacidade...)  para comer bacalhau logo à noite! Mas há sempre lugar para uma rabanada e uma ameixa de Elvas.
Tenham então uma bela ceia natalícia com os vossos familiares, caros (as) leitores(as)

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal



Terminados os almoços e jantares pré-natalícios em que esta época é fértil, chegou a hora de aqui deixar  a  todos os vizinhos, leitores e passantes, os votos de Festas Felizes e um excelente 2012. 
Cuidado com o colesterol e que o Pai Natal vos deixe os sapatinhos bem recheados de saúde, amor e... algumas prendas, porque essa desculpa da crise não cola, o homem vem de um país rico!
Agradeço a todos que me visitaram ao longo do ano e incentivaram com os seus comentários. A todos a minha gratidão por terem tornado este Rochedo um lugar onde cada vez mais desfruto o prazer da vossa companhia.
Aviso: este ano decidi seguir os conselhos do casal Silva e utilizei um cartão que me sobrou do ano passado.
A todos um Bom Natal.

Que falta de senso!


Lamentando que o coelhinho não possa ir com o Pai Natal ao circo, porque hoje há greve de maquinistas, subscrevo palavra por palavra esta opinião

Almoço no Quebra Bilhas

O CR apurou que Paulo Portas vai convidar os membros do CDS no governo para um almoço de Natal no restaurante "Quebra Bilhas".

O CR está em condições de divulgar a ementa, mas prefere guardar segredo, para não tornar este post ainda mais foleiro.




Prendas de Natal

Estas são as últimas prendas deixadas pelo Pai Natal  na chaminé do Rochedo. 
Mais logo, será a minha vez de vir aqui desejar-vos um Feliz Natal







Deixem passar os blues (19)


Hoje deixo-vos esta pérola dos anos 20, a década de ouro: Gertrude Ma Rainey

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Perguntar não ofende...

Quando é que Nuno Crato tornará obrigatório o ensino de alemão?

Falhas de memória

Cavaco Silva não se lembra de um governo que tenha sido mais escrutinado do que este
O PCP não se deve lembrar que o muro de Berlim já caiu e votar contra um voto de pesar pela morte de Vaclav Havel deve ter sido apenas lapso de memória.
O tio alemão anda a atacar algumas cabeças da política nesta quadra natalícia. Faço votos para que o Pai Natal lhes traga um bom vitamínico que os ajude a recuperar a memória.

Então umas boas férias !


A AR fecha amanhã e só volta a trabalhar no dia 3 de Janeiro.   Mais uma semaninha de férias para os senhores deputados que, este ano, devem ter tido uns seis meses de férias. Eu compreendo… os homens ( e mulheres) esfalfam-se a trabalhar.  Aliás as tarefas são tantas, que só em 2012 vão ter  tempo para  aprovar a redução das férias dos trabalhadores  e obrigá-los a trabalhar mais 23 dias por ano à borla.
Quando for grande também quero ser  deputado.

Prendas de Natal




Depois de o Pai Natal ter passado por aqui na madrugada de ontem  a deixar estes sapatinhos, esta manhã trouxe mais estas prendas originais. Espero que gostem, ma se não gostarem, amanhã há mais...

O fim de um mito

Durante algum tempo, muita gente acreditou que se o mundo fosse dirigido por mulheres seria melhor.
Confesso que apesar da admiração que tenho por Cristina Kirchner , fiquei escaldado com a senhora Thatcher e sempre coloquei algumas reticências à possibilidade de as mulheres serem capazes de transformar o mundo, tornando-o melhor.
A contabilista química alemã , com todo o seu egoísmo, confirmou a minha desconfiança. Uma mulher que obriga os países pobres a empobrecer ainda mais, para defender os seus interesses , esquecendo que se não fosse a solidariedade europeia, a Alemanha nunca se teria levantado depois da segunda guerra mundial, não pode ser boa rês.
É certo que a feminilidade de Merkel é pouco perceptível mais fazendo lembrar, pela sua indumentária e postura, uma ex- funcionária da Stasi ressabiada.
Ainda pensei que Merkel poderia ser, a par de Thatcher , apenas um desvio hormonal da espécie, construído por um robô diabólico, apostado em desacreditar as capacidades dirigentes do sexo feminino mas há dias, do outro lado do Atlântico, eis que outra mulher deu sinais de insanidade mental: Hillary Clinton.Do alto de um pedestal de nonsense, a mulher do adúltero BIll insurgiu-se contra a “fraude” eleitoral nas eleições russas, reclamando novas eleições.
Talvez até tenha razão, mas não tem é qualquer legitimidade para se manifestar. Terá Hillary Clinton esquecido que George Bush também chegou ao poder graças a uma fraude eleitoral nos EUA? Não lhe terá nunca ocorrido, que se Bush não se tivesse tornado presidente graças a uma batota eleitoral, muito provavelmente não teria havido 11 de Setembro, nem guerra do Iraque e o mundo hoje poderia viver com mais paz, sem crise económica e sem tantas convulsões sociais?
Hillary devia olhar para o seu país antes de atacar os outros por eventuais fraudes em que os EUA, por acaso, até foram pioneiros. Até tremo ao imaginar como poderia ser neste momento o mundo, se Hillary tivesse ganho a corrida a Obama, ou Sarah Palin tivesse chegado à Casa Branca.
Não, minhas amigas e meus amigos, o mundo não será melhor quando for governado por mulheres, por uma simples razão: chegadas ao poder, agem como homens e têm tendência a resolver os problemas utilizando a força dos seus cargos. Como o fazem, aliás, algumas mulheres que ao longo da vida conheci em lugares de chefia. Quando não dominam as matérias e são confrontadas com erros, reagem com a força da autoridade que o cargo lhes confere. Não me parece que haja diferença entre homens e mulheres nesta matéria. Quando não têm razão, utilizam a força. Das armas, ou do cargo que ocupam. O poder nunca foi sexy.

Deixem passar os blues (18)


Não estou muito de acordo com a Lizzie mas... digam as leitoras de sua justiça!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Pedido ao Pai Natal



"Querido Pai Natal!

Este ano, por favor, manda roupas para todas aquelas pobres mulheres do computador do papá"

Grandes ideias



 Paulo Rangel propôs a criação de uma agência destinada a ajudar os portugueses interessados em emigrar. A Organização Internacional para a Emigração achou uma boa ideia, mas sugeriu que em vez de criar uma estrutura de raiz, se aproveitassem instituições já existentes.
Parece-me uma boa ideia. Basta legalizar os engajadores que pululam por aí e conferir-lhes estatuto profissional adequado. Aliás, seria até uma óptima fonte de receita para o estado, que assim poderia passar a cobrar impostos a esta actividade clandestina.
Já agora, porque não também legalizar a prostituição, cobrando IRS e IVA às anunciantes das secções RELAX? Tudo o que seja angariar receitas deve ser encarado pelo governo como uma medida positiva.

Dramas do quotidiano

Eu sei que deve ser chato chegar a casa e encontrar a mulher com outro na cama...

que olhar pela janela do avião e ver que vamos ser abalroado é dramático....


uma situação destas é aflitiva...


e quando nos deparamos com um tubarão pronto a a devorar-nos como snack, é de fugir!

Mas caramba ...


ter de aguentar durante quatro anos um tipo que todos os dias tem uma ideia nova para nos roubar, é um martírio!








De leitura obrigatória

Deixem passar os blues (17)


No dia em que reabre o Hot Clube John Coltrane ao vivo,pois claro!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Caderneta de cromos (33)



Pronto, senhor ministro, confesso que  imbuído do espírito natalício da quadra que atravessamos, aceitei a cunha do “  Goebbels dos pequeninos” que recrutou para o seu gabinete e acedi a incluí-lo nesta caderneta de cromos, distinção que sei muito o honra. Entenda , pois, esta cedência  como uma prenda de natal.
Seria injusto, no entanto, se não reconhecesse que o senhor tudo tem feito para merecer a distinção, com tiradas diárias dignas de o catapultar para o Guiness da cretinice, mas eu não sou muito apreciador de pessoas que se põem em bicos de pés para arranjar um lugarzito, mesmo numa caderneta de cromos, honrada  e modesta  como a do CR.  
Ontem, porém, o senhor mostrou que merece ter um lugar nesta caderneta, saindo em defesa  do grande chefe Coelho. Poderia Vocelência ter-se limitado a  dizer que  PPC ao aconselhar  os professores a emigrar, "estava a cumprir o programa de governo do PSD  que sempre apontou o crescimento das exportações como a única forma de  Portugal crescer e sair da crise". Mas Vocelência  é pequeno no tamanho, mas não na vozearia carnavalesca. Por isso foi mais longe e defendeu que as palavras do senhor presidente do conselho revelavam uma mundividência assinalável. Mais… o senhor foi claro ao dizer que quem não percebe o conceito de “universalidade” intrínseco ao modo de ser português,explícito nas palavras do sr PM,  é conservador e  tacanho. 
Tem toda a razão senhor ministro.  Foi a mundividência e visão do futuro que levou milhares de portugueses a emigrar nos anos 60 e o senhor vem agora propor, com uma assinalável visão,  que os portugueses emigrem em massa para Moçambique para ajudar a construir o país ( e isto o senhor não disse, mas eu percebi nas entrelinhas) porque aqui não estão a  fazer nada. São um estorvo que custa dinheiro aos cofres do estado. Eu também emigrei aos 20 anos e, se de alguma coisa me arrependo, é de ter regressado. 
Confesso que fiquei siderado com o seu rasgo de inteligência e visão do futuro. “Se este país não tem nada para vos oferecer, porque é que não desamparam a loja e vão trabalhar, em vez de ficarem confortavelmente instalados a receber o subsídio de desemprego?”  - depreendi, extasiado, ao escutar o seu discurso. Depois ainda teve o rasgo de aconselhar o Zé Manel ( o taxista dos jornais) a escrever um artigo onde apontasse as vantagens da emigração para os cofres do Estado, graças às receitas das remessas que não deixarão de entrar nos cofres da Pátria. Eu percebi a sua intenção, senhor ministro, mas incumbir o Zé Manel de fazer passar uma mensagem é o mesmo que pedir a um engraxador que nos pinte a casa. Relevo, no entanto, essa sua imprevidência e, com muito orgulho, incluo-o nesta caderneta de cromos. 
O número que lhe calhou em sorte( O trinta e três)  não foi dos mais felizes. Admito que tenha alguma dificuldade em pronunciá-lo quando quiser brilhar diante dos seus amigos anunciando a sua admissão a esta caderneta, mas tenho algumas sugestões para lhe dar:
- Diga que lhe calhou o número dos médicos;
- O número que fica antes do 34 e depois do 32
ou simplesmente "não me lembro", porque ninguém vai estranhar a sua falta de memória.

Adivinha Natalícia

Era uma vez um homem perfeito que conheceu uma mulher perfeita. Namoraram e um dia casaram-se. Formavam um casal perfeito.Numa noite de Natal, ia o casal perfeito,por uma estrada deserta, quando viram alguém na berma pedindo ajuda. Como eram pessoas perfeitas, pararam para ajudar.

Essa pessoa era nada mais nada menos do que o Pai Natal, cujo trenó havia avariado. Não querendo deixar milhões de crianças decepcionadas, o casal perfeito ofereceu-se para o ajudar a distribuir os presentes. O bom velhinho entrou no carro e lá foram eles. Infelizmente o carro envolveu-se num acidente e somente um dos três ocupantes sobreviveu.
PERGUNTAS:Quem foi o sobrevivente do trágico acidente?A mulher perfeita, o homem perfeito ou o Pai Natal? E quem conduzia o automóvel que provocou o acidente?(Confira a resposta mais abaixo.)


RESPOSTA:A mulher perfeita sobreviveu.Na verdade, ela era a única personagem real da história. Todos sabemos que o Pai Natal e o homem perfeito não existem.(Se você é mulher, pode fechar a mensagem, porque a piada acaba aqui. Os homens podem continuar e ler mais.) Portanto, se o Pai Natal não existe nem o homem perfeito, fica claro que quem conduzia era a mulher, logo o acidente está esclarecido.

E se tu és mulher e leste até aqui, fica provada mais uma teoria: que as mulheres são curiosas, e incapazes de seguir instruções.

( Pois esta adivinha já foi aqui formulada no Natal de 2009, mas era para testar a vossa memória...)



Que parva que eu fui


Os "Deolinda" lançam esta semana um novo disco. Um dos grandes sucessos será  a nova versão de "Que parva que eu sou" . Neste disco, a canção passa a ter o título " Que parva que eu fui"

Não, não, senhor Viegas...

Na hora da depedida

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Blogue da semana

"Fazer Amizade é uma das melhores coisas do mundo". Esta frase assenta que nem uma luva no Henrique, que tem uma Travessa onde os recebe sempre com grande fidalguia e bonomia. Pois, "A Minha Travessa do Ferreira" é o blogue da semana.

Reis Magos não vão a Belém

Este ano os Reis Magos não vão empreender a sua romagem habitual a Belém para homenagear o Menino Jesus. A Estrela avisou o Belchior e o Baltazar que seria melhor não fazerem a viagem, pois tinha informação, de fonte segura, que o Gaspar planeava assaltá-los durante o percurso.

Nem uma mijinha, senhor Primeiro Ministro?


O governo esteve ontem reunido durante 11 horas. Seria de esperar que  no final da reunião fossem anunciadas as decisões e as medidas que vão ser tomadas para ajudar ao crescimento. Puro engano!
À hora do almoço o ministro da Propaganda veio anunciar que não seria feito nenhum comunicado no final “porque se tratava apenas de uma reunião de trabalho”.
Eu já desconfiava, mas Relvas veio confirmar que as reuniões de Conselho de Ministros servem  apenas para cada membro do governo lançar propostas para fornicar os portugueses. A coisa deve ser mais ou menos assim:
Cada ministro avança com uma ou mais propostas e o plenário vota. No final, as vencedoras são anunciadas em comunicado.
Mas ontem, apesar das 11 horas de duração do conclave,  não saiu nada. Nickles! Então pus-me a pensar nas razões que terão levado PPC a convocar o  conselho de ministros para um domingo.
Alinhavei algumas hipóteses que submeto à vossa votação:
- PPC estava farto de aturar a D. Laura
- A D. Laura está farta de aturar PPC e disse-lhe “ Olha filho, no domingo não faço almoço, porque tenho de fazer umas compritas de Natal, arranja-te como quiseres”
-  Os ministros quiseram manifestar a sua solidariedade com Assunção Cristas e resolveram tirar uma fotografia sem gravata. ( A propósito: alguém me explica a razão de nestes CM informais os ministros irem todos sem gravata? Se não precisam dela ao domingo, por que razão a envergam durante a semana?)
- Estava um belo dia e PPC telefonou aos ministros propondo-lhes que passassem o dia juntos  à beira mar ( não vejo outra razão para que o CM se tenha realizado no Forte de S. Julião da Barra).
- Decidiram almoçar todos à borla, isto é, à pala do contribuinte.
Se tiverem outras propostas, não hesitem, a caixa de comentários é vossa.
Antes de terminar, quero porém, alertar-vos que o nosso PM sofre de uma doença grave. Pelo menos foi a conclusão que tirei ao ouvir um repórter dizer:
“ Os ministros , de vez em quando saíam da sala, mas Pedro Passos Coelho permaneceu lá sempre, só saindo para almçar”.
Não me digam que o homem não faz chichi! Onze horas encafoado numa sala sem sair para dar uma mijinha? Só pode ser doença, pela certa.

Qual é a surpresa?

Prendas de Natal




Deixem passar os blues (15)


Estes dois andam sempre comigo no carro. Um CD que, por acaso, comprei em Macau

domingo, 18 de dezembro de 2011

E depois vende as praias à Merkel?


Em apenas 10 dias Pedro Passos Coelho deu quatro entrevistas. Em nenhuma conseguiu apontar um rumo para o país, uma solução para a saída da crise, uma medida que incentive o crescimento.
 O nihilismo discursivo de PPC é preocupante num PM e faz-me recordar um episódio passado há muitos anos na Faculdade de Direito, com Marcelo Caetano. Dizia ele para um examinando que, anos mais tarde, se tornaria num dos professores mais obscuros daquela Faculdade:
“ O senhor tem ideias boas e originais, mas as boas não são suas e as originais não prestam”.
Com Pedro Passos Coelho passa-se o mesmo. Com uma diferença. Quando um PM aponta a porta de saída  para os professores, como forma de ganharem a vida, estamos perante um monstro  que não está nada preocupado em encontrar soluções para o país, mas apenas em desfazer-se das pessoas que o atrapalham.
Se recordarmos que já anteriormente um secretário de estado tinha aconselhado os jovens a emigrar, fica apenas uma pergunta:
Este governo pretende expulsar todos os portugueses do país e ficar apenas com simpatizantes do PSD e do CDS que o venerem ao estilo de Kim Il Sung?
Mas PPC também me fez lembrar  Salazar quando, perante a invasão de Goa, proferiu a célebre frase dirigida aos nossos pobres e mal equipados militares " Vencer ou morrer"
Meio século depois, o lema deste governo é " Emigrar ou morrer".
O Botas está sempre presente na cabeça dos nossos governantes.
PPC não gosta de Portugal, nem dos portugueses. Estará a pensar vender Portugal à Merkel? Talvez ela esteja interessada em fazer das nossas praias e locais idílicos, colónias de férias para os reformados alemães...

Uma prenda de Natal para o nosso querido governo

Este ano vou oferecer este livro aos nossos governantes. Não vos parece boa ideia? É que a biografia de Luiz Pacheco merece ser divulgada...


javascript:void(0)

Cuidado! Ponham a salvo os vossos haveres

Reúne-se hoje o Conselho de Ministros. No final serão anunciados novos métodos de assalto aos nossos bolsos. No seu português peculiar, o PM chama "reformas estruturais" aos roubos diários que faz aos portugueses. Os gatunos (profissionais) quando fazem estes roubos denominam-nos como divisão equitativa de rendimentos.
Bem, mas o importante é que ponham a salvo os vossos haveres, fechem portas e janelas, porque o gang da São Caetano vai atacar hoje ao final do dia.
No entanto, como não sou rancoroso, ao final da tarde vou divulgar aqui a prenda de Natal que comprei para oferecer ao nosso amado governo.

A Europa connosco

O sorteio de ontem das competições europeias determinou que, pela primeira vez em muitos anos, pode ficar reservado às equipas de Lisboa a defesa do futebol português, a partir de Fevereiro.
Na Liga dos Campeões, o Benfica vai defrontar o Zenit e, se não acontecer nada inesperado, pode desde já reservar lugar nos quartos, pois os russos estão perfeitamente ao seu alcance.
Já na Liga Europa, as esperanças do FC do Porto eliminar o Manchester City são praticamente nulas. Como é que uma equipa que não conseguiu vencer os cipriotas do Apoel, nem os russos do Zenit, pode ultrapassar o líder do campeonato inglês, sério candidato a vencer a competição? O FC do Porto não vai atirar a toalha ao chão, mas é bom que se concentre no campeonato, pois é a hipótese que lhe resta para salvar uma época desastrosaO Sporting de Braga tem hipótese de levar de vencida os turcos do Besiktas, equipa onde jogam vários jogadores portugueses ( Quaresma, Hugo Almeida e Simão) e treinada por Carlos Carvalhal, que já treinou o Braga. Com muita concentração e sem a adversidade de alguns jogos da fase de grupos, o Sp. de Braga pode aspirar a seguir em fente.Finalmente, o Sporting. Saiu-lhe o adversário mais tenrinho – o que já se esperava, uma vez que venceu o seu grupo de apuramento. Uma viagem à Polónia, para defrontar o Legia Varsóvia não dará para fazer turismo, mas permite-lhe ter dois jogos descansados, que servirão de bons treinos para os jogos da Liga interna.
Conclusão: A fava saiu ao FC do Porto. Um castigo merecido para quem não se aplicou como devia durante a fase de grupos da Liga dos Campeões. Nos restantes jogos, as vitórias de leões e águias serão o desfecho natural.

Já o Braga, tem 50% de hipóteses de eliminar os turcos, o que fará se for uma equipa competente e madura.

Enfim, a europa futeboleira não nos tratou mal, mas preferia que nos tratasse bem naquilo que é realmente importante.

Bate,bate,coração (37)


Dizem que é mais americana do que brasileira, mas o ritmo não engana...

sábado, 17 de dezembro de 2011

Noites de cinema

O filme de hoje é uma ternura( digo eu...) Está apropriado à quadra( penso eu..)

Humor fim de semana ( Especial Natal)

A família jantava tranquilamente quando, de repente, a filha de 12 anos comenta:
-Tenho uma má notícia ... Já não sou virgem!

E começa a chorar convulsivamente, com as mãos no rosto. Silêncio sepulcral na mesa!! De repente, começam as acusações mútuas:

-Tava-se mesmo a ver! - diz o marido à mulher . É por te vestires como uma p...barata e arregalares o primeiro imbecil que vês na rua. Claro que isto tinha que acontecer, com o exemplo de mãe que a menina vê todos os dias!
De seguida aponta para a outra filha, de 25 anos

- E tu também, que ficas no sofá a lamber aquele palhaço do teu namorado que tem é pinta de chulo, na frente da menina?
A mãe não aguenta mais e grita:

- Ai é?!...E quem é o idiota que gasta metade do ordenado com putas e se despede delas à porta de casa? Ou pensas que eu e as meninas somos cegas? E, ainda por cima, que belo exemplo dás desde que assinas esta maldita TVcabo! Passas os fins de semana a ver pornografia de quinta categoria e depois acabas na casa de banho com gemidos e grunhidos...

À beira de um colapso, com os olhos cheios de lágrimas e a voz trémula, a mãe pega na mão da filhinha e pergunta-lhe baixinho:
- E como é isso aconteceu, minha filha?
Entre soluços, a menina responde:
- Foi a professora !
- A professora? - reagiu a família incrédula em uníssono

-Sim, a professora! Foi ela que disse que agora a Virgem do Presépio era a Luisa. Eu este ano vou fazer de Vaquinha.

Pelos caminhos de Portugal

Os CTT tiveram uma boa ideia. Ofereceram uma máquina descartável aos carteiros e desafiaram-nos a tirar fotografias, enquanto distribuíam as cartas e encomendas.


A proposta resultou em 80 mil imagens que, depois de uma triagem feita por uma equipa especializada, deu origem a um livro com 200 fotografias, que já tive o grato prazer de ver e apreciar.


Entretanto, coincidindo com o lançamento do livro, foi inaugurada ontem, no edifício dos CTT na Rua de S. José, a exposição “Portugal Connosco” onde estão expostas muitas das fotografias obtidas pelos carteiros durante o seu trabalho e que traçam um retrato do país visto por esta classe profissional.


Deixo-vos aqui a sugestão para uma visita, até ao dia 8 de Janeiro. A partir dessa data, talvez a exposição vá passear pelo país, o que não deixará de ser uma boa oportunidade para todos poderem ver Portugal através das objectivas dos carteiros.