segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Tá caladinho, ou lebas no focinho

O governo está a pensar mandar os desempregados trabalhar para as obras. Os patrões concordam.Daqui para a frente, estão autorizados a ameaçar os trabalhadores:
- Ou te portas bem e fazes tudo o que eu te exijo, ou vais para o desemprego. Vê lá se queres ir trabalhar para as obras!

Caderneta de Cromos (23)


Carlos Encarnação resignou ao cargo de Presidente da Câmara de Coimbra. Li, em qualquer lado, que a saída estava prevista ainda antes da sua reeleição, em 2009.Na cerimónia de despedida disse que se ia embora, porque estava farto deste Governo. Não é o único, mas não tem o direito de renunciar a um cargo para que foi eleito, só porque está farto. Ao fazê-lo traiu a confiança de quem o elegeu e colocou a sua má diposição à frente dos interesses de Coimbra.
Há tempos o deputado Branquinho ( também do PSD) renunciou ao cargo para ir trabalhar para a Ongoing.
São exemplos destes que minam a confiança dos eleitores e os afastam das urnas. Ou a lei muda e, sempre que um candidato renunciar ao cargo, terá de haver novas eleições ( o exemplo deveria ser seguido também nas eleições para legislativas, só sendo permitida a substituição por períodos curtos, ou em caso de os deputados eleitos passarem a exercer funções governativas) , ou a abstenção continuará a aumentar. Se os candidatos renunciam de ânimo leve aos seus cargos, só porque estão fartos do governo, é natural que os eleitores respondam com a abstenção, para demonstrar que estão fartos de políticos que não respeitam os seus compromissos com os cidadãos.

Pelo país dos blogs

Este post não é uma revelação da Wikileaks. Será por isso que a comunicação socila finge que não existe?