segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Perguntar, por perguntar

Há 40 anos os americanos foram à Lua. Se não foi para arranjarem uma alternativa a este planeta, o que é que foram lá fazer?

Toma lá qu'é democrático!


O acordo do Centrão para aprovar o OE deixou de fora o aumento das taxas sobre as mais valias bolsistas, mas aumentou de 20%, para 21,5%, a taxa sobre os depósitos bancários. Resumindo: penaliza os pequenos aforradores e premeia os especuladores. Nada mau para um governo socialista moderno, que aposta nas novas tecnologias... das calças na mão.
Esta protecção aos especuladores promovida pelo Centrão, com o apoio encapotado do apêndice Paulo Portas, é bem reveladora da classe política que nos governa, ou pretende ser alternativa aos proto-socialistas: um grupo de infames, que protege sempre o lado mais forte. Estou certo que os irmãos Metralha teriam vergonha de se confrontar um dia em tribunal com tão miseráveis colegas de profissão.
Há, no entanto, algo que convém não deixar escapar no meio desta mixórdia de acordo.Enquanto o PS acusa o PSD de ser responsável pelo não aumento das mais valias bolsistas, o partido laranja remete-se ao silêncio (“quem cala consente”) e procura fazer de conta que nada tem a ver com este OE miserável. O CDS finge estar contra , mas põe o seu euro deputado Nuno Melo a fazer discursos incendiários, dizendo que compreende a especulação dos mercados financeiros, porque Portugal não poderá honrar os seus compromissos.
PSD e CDS estão em campanha eleitoral, unidos no objectivo de criar uma nova AD, cujo mote será apoiar os especuladores e vender os portugueses aos seus amigos mafiosos, com quem há muito entabularam conversações nos meandros de Bruxelas. Só se deixa enganar por este "ménage à trois" ( versão política do POLIAMOR) quem quiser.

A figura da semana


Durante os três anos do seu mandato, Marinho Pinto foi sistematicamente atacado pela oposição interna que encontrou, em alguma comunicação social, eco para as suas críticas. Poucas vezes, ao longo deste tempo, vi artigos na imprensa enaltecendo a actuação do Bastonário.Na sexta-feira os advogados foram a votos e reconduziram no cargo o actual Bastonário. Nem sequer foi uma eleição renhida, pois Marinho recolheu praticamente o mesmo número de votos dos seus dois adversários.
Três anos depois, o "advogado dos descamisados" volta a dar uma chapada a Marcelo.

Pelo país dos blogs

Há coisas que me encanitam e deixam a ferver. Uma delas é que tentem impôr-me padrões de vida que outros vêem como consensuais, mas eu rejeito. Por isso não podia estar mais de acordo com esta reflexão da Blonde.