domingo, 28 de novembro de 2010

Num cinema perto de si...

Noite de insónia no Porto, dias depois do massacre no Dragão. Faço zapping e vou parar a um programa desportivo na RTP N . Fico a saber que António Pedro Vasconcelos considera Jorge Jesus o melhor treinador do Mundo, o único melhor do que Mourinho. Percebo melhor os filmes de alguns realizadores de cinema. E o de um árbitro com Paixão, que hoje arbitrou o Beira-Mar - Benfica, abrindo caminho a uma vitória que os encarnados começavam a ver fugir.

Esquina da Memória (11) -Regresso ao futuro

Em Janeiro tive este delírio. Quase a chegar ao fim do ano, parece-me cada vez mais real.

Parabéns, Sporting!

Era previsível que o Sporting iria fazer, esta noite, o jogo da sua vida. Fez... durante a primeira parte. Jogou empolgado, triturou o Porto que esteve apagado, principalmente por culpa de Paulo Sérgio, que soube secar Hulk, a fonte inesgotável de futebol ofensivo dos azuis e brancos.
Na segunda parte o Porto começou por cima, empatou e se não tivesse sido a expulsão ( justa) de Maicon, certamente teria ganho o jogo.
A última derrota do FC. Porto para a Liga acontecera precisamente em Alvalade, na época passada, à 21ª jornada. Não voltou a acontecer. O Porto aguentou o empate, a agressividade a roçar a violência de alguns jogadores do Sporting e conseguiu, merecidamente, trazer um empate de Alvalade. Sem contestação.
Não há que esconder: o Porto está num período menos bom, que conseguiu mascarar na segunda parte, até ficar reduzido a 10. Espero que tenha aprendido a lição e recupere depressa, porque ainda há muito campeonato pela frente, até Maio.
Quanto ao Sporting: com tudo a seu favor e a jogar contra 10 durante meia hora, foi incapaz de vencer, o que não deve deixar os seus adeptos descansados em relação ao futuro.