quinta-feira, 18 de novembro de 2010

"Abaixo a Nato, viva o Malato"

Chegar hoje a Lisboa de comboio e sair na estação do Oriente, dá a sensação de que estamos a viver uma nova revolução. Será que os espanhóis invadiram Portugal, para vingar a derrota de ontem e eu não me apercebi de nada, ou é a cimeira da NATO que justifica o alarido policial e militar?
Sejamos justos. Comparando com outras Cimeiras e reuniões do G-20 que cobri ( Seattle, Joanesburgo, Rio de Janeiro, Delhi, Buenos Aires, Londres, Copenhaga, Sydney ou Durban) o aparato que rodeia esta Cimeira fica muito aquém daquilo a que assisti noutros locais do globo. E manifestantes anti-NATO como estes, só mesmo em Portugal. Viva o bom humor!

A luta dos mineiros chilenos

Quando terminou o resgate dos 33 mineiros chilenos, escrevi:
"Enquanto os 33 mineiros soterrados eram içados por um vaivém subterrâneo que os ia trazendo um a um, de volta à vida, centenas de outros mineiros com salários em atraso viviam outros dramas de sobrevivência".
Referia-me aos despedimentos e salários em atraso que afectavam milhares de mineiros chilenos.Na altura, a nossa imprensa copy paste não se debruçou sobre o assunto mas, pouco mais de um mês após o resgate, 33 mulheres chilenas insistem em lembrar ao mundo que 12 mil mineiros perderam os seus postos de trabalho depois do sismo que abalou o Chile em Fevereiro.

Paixão, paixão, não fugirás de mim...

Luís teve pela primeira vez a sensação de ter amado.Não era sexo que buscava naquela relação. Era amor. Pediu-a em casamento. Um ano depois divorciou-se e viajou para a Tailândia com o amor da sua vida: Roberto

O Notícias de Verdelhos

Na aldeia de Verdelhos, concelho da Covilhã, a população saiu à rua para protestar. Contra o desemprego? Não! Contra o OE 2011? Frio! Contra a redução de salários? Gelado! A razão da revolta da população de Verdelhos deveu-se, tão somente, ao facto de a Segurança Social ter institucionalizado duas crianças,de 4 e 7 anos, com o acordo e consentimento da mãe. Desconheço a razão de fundo do protesto popular, pois a notícia do DN não é esclarecedora.
Sei, no entanto, que os protestos obrigaram a GNR a intervir, deslocando para o local 16 militares. E sei também que, no dia seguinte, a professora e educadora de infância não foram à escola, porque na véspera só tinham conseguido sair da aldeia com a ajuda da GNR. Gostaria que alguém me explicasse ( a começar pelo DN) o que leva uma população a descarregar a sua ira sobre duas técnicas da Comissão de Protecção de Menores e Jovens em Risco, que (aparentemente) se limitaram a agir em defesa das crianças, com a concordância da mãe.
Das duas uma. Ou a população de Verdelhos é muito estúpida e está a meter-se num assunto para onde não é chamada, ou o DN fez uma notícia de um terço de página sobre um acontecimento que não soube explicar.
Seja qual for a resposta, há nesta notícia alguém que faria melhor se tivesse ficado calado. Resta saber se a população ou o jornalista...

Noite Mágica

Há muitos anos que não via uma exibição de encher o olho da selecção portuguesa. Esta noite, para além de uma vitória por 4-0 ( deveriam ter sido 5, se um gaulês vesgo não tivesse anulado um golo magistral de Cristiano Ronaldo), viu-se garra, empenho e arte.
Não me espanto se amanhã alguém vier dizer que a Espanha facilitou. Os velhos do Restelo nunca morrem. A verdade, porém, é que até ao 2-0 a Espanha lutou de igual para igual. Nenhuma selecção no mundo – especialmente sendo campeã europeia e mundial- facilita, nem aceita de bom grado ser goleada. Foi uma grande vitória. Infelizmente, foi só futebol, porque o que nós precisávamos era de onze políticos que dessem uma goleada à senhora Merkel. E já agora, por arrasto, ao senhor Sarkozy .