quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Pulmões de aluguer?


Assinalou-se hoje o Dia Mundial do Não Fumador. Comecei a fumar cedo, fumei muito, mas desde há cinco anos meti travões a fundo e, salvo raríssimos dias de excepção, sou um moderado fumador de cigarrilhas ( duas a três por dia).
Já aqui escrevi porque sou contra a Lei anti-tabágica que vigora em Portugal. Se pudesse voltar atrás não seria fumador, mas cresci numa sociedade onde me incutiram a fumar ( porque era chic) e é essa a única razão que me leva a compreender as campanhas anti-tabágicas: alertar o jovens para os efeitos nefastos do tabaco. Estudos recentes, como o do CRIOC, revelam que as campanhas anti-tabágicas padecem de eficáciaDiminuiu o consumo de cigarros, mas não o consumo de tabaco. Os medicamentos anti tabágicos vendem-se como pãezinhos quentes, mas os seus efeitos práticos estão por demonstrar.Hoje, andaram pelas ruas brigadas convidando os fumadores a apagarem os seus cigarros. O lema da campanha era: “ Não Fume Pelo Seu Pulmão”. Não percebo como é que isto se coaduna com a ideia de o governo reduzir as comparticipações para tratamentos anti-tabágicos, mas adiante...
Quando um brigadista se aproximou de mim, convidando-me a prescindir da minha cigarrilha a seguir ao almoço, a minha vontade foi perguntar-lhe se não me emprestava um dos seus pulmões para eu fumar por ele. Acabei por apagar a cigarrilha mas, minutos depois, fui fumar para um local mais recatado. Creio que muitos fumadores terão seguido o meu exemplo. Para benefício da “Tabaqueira” e do Estado, que arrecadou mais uns euros em impostos.

Azar ao jogo


Nunca foi jogador. Nunca tinha entrado num Casino. Naquela noite, porém, um apelo sussurrava com insistência ao seu ouvido. Indeciso, encaminhou-se para o Parque das Nações. Ficou durante uns minutos a olhar, inebriado, as luzes do Casino. Entrou. Avançou para a roleta. Apostou 10 euros no 17. Ganhou. Apostou mais dez no 23. Voltou a ganhar. Tinha 700 euros. Decidiu fazer uma última jogada. Indeciso, apostou 50 euros no 4. Ganhou uma vez mais.
No dia seguinte foi ao médico, mostrar os resultados das análises. Quando saiu, destroçado com a sentença, lembrou-se que o 4 em chinês significava MORTE. Passou pelo centro comercial e comprou-lhe um presente. Quando chegou a casa surpreendeu-a com um convite para jantar. Depois foram a uma discoteca. Ela sentiu que estava a ser abraçada como nunca. Chegados a casa amaram-se com uma intensidade que ela jamais sentira. No dia seguinte, depois dela sair para o trabalho, deixou-lhe um bilhete onde dizia: “Hasta Siempre!” . eteu meia dúzia de peças de roupa numa mala, fechou a porta de casa e partiu.

Uma notícia que não queria ler...

Em Janeiro dei aqui a conhecer esta Bolsa, que me pareceu uma excelente iniciativa no âmbito do Ano Europeu de Luta contra Pobreza e Exclusão. É com bastante pesar que, ao chegar ao fim do ano, constato que os resultados ficaram muito aquém das expectativas.