domingo, 31 de outubro de 2010

Esquina da memória (11)

Um dia, em Londres, um florista foi cortar o cabelo. Depois do corte, quando ia pagar, o barbeiro diz:
- 'Lamento, mas não posso aceitar o seu dinheiro. O que fiz foi um serviço à comunidade.'
O florista ficou satisfeito e foi-se embora.
Na manhã seguinte, ao chegar à loja, o barbeiro encontrou uma dúzia de flores e um cartão que dizia: 'Obrigado'.
Noutro dia, um polícia foi lá cortar o cabelo. Depois do corte, quando ia pagar, o barbeiro diz:
-'Lamento, mas não posso aceitar o seu dinheiro. O que fiz foi um serviço à comunidade.'
O polícia ficou satisfeito e foi-se embora. Na manhã seguinte, ao chegar à loja, o barbeiro encontrou uma dúzia de donuts e um cartão que dizia:'Obrigado'.
Um dia depois, um português foi lá cortar o cabelo. Depois do corte, quando ia pagar, o barbeiro diz:
- 'Lamento, mas não posso aceitar o seu dinheiro. O que fiz foi um serviço à comunidade.'
O português ficou satisfeito e foi-se embora. Na manhã seguinte, ao chegar à loja... adivinhem o que o barbeiro encontrou à porta ...
Não sabem? Então, provavelmente, ou é leitor recente do CR ou tem memória curta, porque eu já publiquei aqui esta estória em Outubro de 2008 (ahahah). Pronto, eu dou uma ajuda. Se quer saber a resposta leia aqui

Eleições no Brasil: para acabar de vez com os indecisos

Hoje os brasileiros vão a votos, para eleger o sucessor de Lula. Indecisos entre Dilma e Serra, muitos brasileiros só no momento de chegar à urna decidirão o seu sentido de voto. Entretanto, o "Financial Times", percebendo a indecisão dos brasileiros, resolveu dar-lhes uma ajuda num longo artigo onde defende que a eleição de Serra é melhor para o Brasil. Acredito que os brasileiros conhecendo a sugestão, e tendo em consideração a fonte, vão eleger Dilma.