domingo, 22 de agosto de 2010

Imagens da nossa memória (22)


Como hoje é domingo e estamos a falar de tempos passados, aqui fica uma recomendação ao estilo da época. Enquanto ELES colam os cromos, ELAS podem comer os caramelos. Valeu? ( Ok, ok, não é preciso correrem-me à pedrada, tá?)
Imagem anterior: Revistas

Acabaram-se os "frangos à Roberto"


Não me lembro de um guarda-redes que tenha sido tão crucificado pela imprensa. Roberto tem revelado fragilidades e dado alguns frangos, é verdade, mas se ontem Gaitán não tivesse falhado de forma escandalosa um golo de baliza aberta, a história do jogo na Madeira poderia ter sido bem diferente. Curiosamente, ninguém crucificou o avançado benfiquista e as críticas caíram todas sobre o guardião espanhol.
Dir-me-ão que é normal. Concedo…mas já não me parece tão normal que um guarda-redes que custou 8,5 milhões de euros e foi uma escolha do treinador, seja emprestado ao fim de três jogos e o Benfica esteja no mercado à procura de alguém que o substitua. Como também não percebo a razão de o Benfica não ter comprado Eduardo- que foi para Itália por 4,5 milhões de euros- em vez de Roberto.
Há coisas no futebol português que, sinceramente, não entendo. Como, por exemplo, que os grandes portugueses, com tantos olheiros, tenham deixado escapar para o futebol inglês um jogador (Bebé) que o Manchester United não hesitou em comprar por 9 milhões de euros, sem ter feito um único jgo oficial na Liga Portuguesa.
Em tempo: Benfica desmente empréstimo de Roberto, anunciado como certo por toda a comunicação social, mas confirma que anda à procura de outro guarda-redes.

Brites com o paparazzi que fotografou Passos Coelho no Algarve


Antes de voar até ao Brasil, para assistir a este casamento, vim até ao Allgarve, para ver os famosos em pelota. Tenho aproveitado o dia para ler as revistas cor de rosa que eles levam para a praia e dei por mim a pensar uma coisa: se durante o dia só lêem revistas do jet set e à noite vão para as discotecas, quando é que eles arranjam tempo para ler aqueles livros todos que dizem nas respostas aos inquéritos de Verão levar para férias?
Bem, mas isso agora não interessa nada, pois o que vos quero hoje dizer é que estou desolada. Um dia destes, apanhei um jovem actor de telenovela- habitual leitor da Caras- a ler a revista Pública. Achei estranho, mas resolvi dar uma espreitadela e qual não foi o meu espanto quando li o título do artigo em cuja leitura o rapaz estava mergulhado com grande concentração: “ No mundo cor de rosa, nem tudo é o que parece”.
Apesar de o “paparazzi” que há dois dias me faz companhia nesta árvore me assustar um pouco, porque tem uma máquina fotográfica com uma teleobjectiva maior que os Canhões de Navarone, deixei-me estar quietinha a ler o artigo. Sabem o que descobri? Que afinal a maioria daquelas fotografias e muitos dos artigos que as acompanham são previamente combinados entre as revistas e os famosos. Vejam lá o despautério! Ando eu por aqui sempre à coca, para ver se apanho uma cena inesperada para vos contar e sai-me uma destas na rifa!
Eu por acaso já tinha desconfiado que havia alguma coisa estranha… É que ainda ontem vi uma filha de uma famosa aqui no areal, logo pelas oito da manhã, que me deixou desconfiada. Passou o tempo todo a receber mensagens e, cada vez que lia uma, mudava de posição, punha-se em poses ou em posições pouco naturais para quem está sozinha. Ao fim de uma hora destas cenas vestiu-se, levantou o polegar e, passado dois minutos, saiu um tipo das dunas com uma máquina fotográfica parecida com a do paparazzi que está aqui ao meu lado. Correu em direcção a ela, deu-lhe um beijo na boca e depois foram-se embora juntos. Estranho, não vos parece? Fico curiosa de saber onde é que estas fotografias vão ser publicadas…
Começo a acreditar que o Carlos tinha razão quando me dizia que isto era tudo uma fantochada, mas gostava de saber o que é que este fulano que não desampara a árvore há dois dias está aqui a fazer. Bem tentei falar com ele, mas o tipo não percebe nada do meu gorjeio.
Esperem lá… o tipo pegou na máquina e começou a disparar à maluca. Ena pá!!!! Nem imaginam o que estou a ver daqui. O Pedro Passos Coelho em carne e osso. Está ao pé da piscina, em pé, parece que está á espera de alguém… Olha, acaba de chegar um fotógrafo, trocaram um grande abraço e estão a conversar animadamente.
( O maluco do paparazzi está eufórico! Daqui a nada cai-me da árvore com tanto disparo)
O fotógrafo foi-se embora e o Pedro Passos Coelho voltou a estender-se na cadeira. Pegou noutro livro ( sei que é diferente, por causa da cor da capa). Agora está a fazer sinais para alguém, mas eu não vejo quem é. Tirou uma catota do nariz e levantou o polegar em direcção a alguém
( O paparazzi ao meu lado continua a fotografar)
A cada sinal que faz para o interlocutor que eu não vejo, PPC muda de posição. Agora está muito concentrado na leitura. Pegou num bloco de notas e numa caneta. Parece que está a escrever qualque coisa.
(…)
Pronto, levantou-se. Olha,olha…lá está outra vez o tipo com quem estava a falar há bocado. Sentaram-se os dois numa mesa à beira da piscina e estão a conversar animadamente. Veio uma senhora com uma bandeja com bebidas e uns aperitivos.
( O paparazzi continua a disparar)
Vou-me mas é embora. Aproximo-me do paparazzi, bato as asas, mas o tipo não me liga nenhuma.
Deixou de fotografar. Deve estar tão farto desta cena como eu ,mas tenho a impressão que vou ver as fotografias do meu vizinho numa revista qualquer. Ouvi-o a telefonar para uma revista a oferecer as fotografias. Fiquei a saber o nome dele. Chama-se “freelancer”.
Nos próximos dias vou andar a cuscar as revistas todas, para ver as fotografias.
Ora bolas, afinal só saiu isto! Coitado do “freelancer”! Dois dias naquela árvore para nada… mais sorte teve aquele que fotografou a miúda , filha de famosos, na praia. Não só vai receber umas guitas, como ainda lhe conseguiu dar uns chochos.
Pronto, vou comprar uma máquina fotográfica.

Pausa para publicidade (12)


Divertimentos pós-modernos

Se estes putos não fossem completamente idiotas, eu até achava graça.