domingo, 15 de agosto de 2010

Férias com música

Normalmente, por esta altura do ano já gozei as minhas férias quase todas. Este ano, porém, atrasei-me e só em Setembro chegará a minha vez de zarpar. Ora, assim sendo, decidi que a partir de amnhã vou reviver férias de anos anteriores. Se quiserem ler ( e ouvir as canções associadas), bastará fazerem click nos links para os textos que aqui vou citando e já está...
Aproveito para lembrar a todos que este desafio/passatempo continua até dia 22 de Agosto.

Imagens da nossa memória (15)


Quem se lembra do TopoGigio? Quem apresentava este programa ao domingo na RTP?
Imagem anterior: Grease

Dúvidas sobre o Pontal( que afinal é na Quarteira)

Em relação ao comício do Pontal ( que foi na Quarteira, mas continuam a chamar Pontal por causa do merchandising) ficaram-me algumas dúvidas:

1-Se Pedro Passos Coelho não quer uma crise, porque é que proferiu algumas ameaças que dão a sensação de querer abrir uma crise?

2- Se é o PS que está no governo, porque razão há-de fazer um orçamento à medida de Passos Coelho?

3- Pedro Passos Coelho só disse mesmo aquilo que li nos jornais? Então que foi fazer ao Algarve?

4- Qual foi o vinho que se bebeu na festa do Pontal (que por acaso foi na Quarteira)?

Pausa para publicidade (5)


Aviso: Vários leitores disseram não se lembrar do anúncio ao Biotónico que aqui publiquei ontem. É natural e eu explico. Foi uma homenagem aos muitos leitores brasileiros que têm a amabilidade de vir até ao CR. Na verdade, porém, também eu tomei algumas doses daquela mistelita que me agoniava, mas o meu pai insistia em dizer que era bom e até tinha vindo do Brasil. Foi uma sorte eu não ter ficado a detestar o Brasil...

Ainda o Muro da Vergonha alfacinha

A estação de Metro Saldanha II foi inaugurada há precisamente um ano. Pensou-se que finalmente voltaria a ser possível circular pela Duque d’Ávila, mas a avenida continua cortada dos dois lados da Av. da República, por uma espécie de Muro de Berlim duplo que transtorna a vida a automobilistas e peões e põe a cabeça em água aos comerciantes que não se cansam de somar prejuízos.
Dos dois lados da Duque d’Ávila criaram-se parques de estacionamento espontâneo . Os arremedos de arranjos junto ao Corte Inglês deixaram a zona num pandemónio onde é perigoso circular- principalmente à noite- devido à falta de sinalização vertical e horizontal . É inadmissível que uma das vias de circulação mais importantes de Lisboa ( dizem-me que logo a seguir à segunda Circular) continue naquele estado. Pior ainda…que não se saiba quais são os planos da Câmara para aquela zona, transformada em estaleiro desde que começaram as obras de ligação entre as Linhas Amarela e Vermelha do Metro em 2004!
Os senhores da autarquia comportam-se como os putos que desarrumam tudo para brincar e depois só perante a ameaça dos progenitores voltam a por tudo no sítio. Num qualquer país civilizado, a população já teria reagido em conformidade. Por cá, as pessoas criticam, lamentam, mas calam-se. É por isso que quem está no poder ( seja nas autarquias, seja no governo) se marimba para as populações.
Em Janeiro já tinha escrito sobre este assunto, mas nunca é demais insistir...