segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Combate à pobreza

No ano Europeu de Combate à Pobreza e Exclusão, a maioria dos países europeus reduziu os apoios sociais aos mais desfavorecidos e criou condições para o aumento dos lucros da banca. Sintomático quanto ao empenho dos governos europeus na luta contra a pobreza...
Em Portugal a aplicação de medidas visando a redução de apoios sociais ( constantes do PEC aprovado por PS e PSD) entrou hoje em vigor. A oposição protesta e acusa o governo de insensibilidade social. No entanto, também deviam prestar atenção às autarquias que procuram varrer a pobreza para debaixo do tapete. Como, por exemplo, a câmara da Amadora, que adquiriu terrenos em Sintra, para construir habitações sociais…

A invasão do Koweit

Faz hoje 20 anos estava em Chiang Mae, no norte da Tailândia. Passara o dia numa visita pela região, incluindo uma ida ao Golden Triangle. De regresso ao hotel, já noite alta, ligo a televisão. Sei, através da BBC, que o Iraque tinha invadido do Koweit. A noite prolongou-se, traçando cenários possíveis com a minha companheira de viagem. Seis meses mais tarde, confirmar-se-iam as piores previsões, com o início da primeira Guerra do Golfo. Começava a escalada acéfala dos Bush. Os acontecimentos precipitar-se-iam de uma forma então inimaginável. Com os efeitos colaterais que se conhecem.... Foi a 2 de Agosto de 1990 que, na verdade, o mundo começou a mudar.

Imagens da nossa memória (2)


Da sala de aula para o recreio. Que memórias vos traz o pião?
Imagem anterior: ardósia

Santa Helena:um aeroporto longe demais...


David Cameron, líder dos conservadores ingleses, recentemente eleito PM, anunciou a construção de um aeroporto na ilha de Santa Helena, projecto abandonado pelos trabalhistas em 2008, alegadamente por questões financeiras.
David Cameron defende a construção do aeroporto na ilha para onde Napoleão foi deportado em 1815 e viria a morrer seis anos mais tarde, enfatizando a necessidade de desenvolver o turismo.
Perdida no Atlântico Sul, tendo como vizinhos mais próximos Ascensão ( 1300 quilómetros) e Tristão da Cunha ( mais de 2000), desconheço o interesse turístico daquele remoto reduto da coroa britânica, habitado por quatro mil pessoas, sem uma única praia na sua costa rochosa e sem outra serventia conhecida para além de prisão inexpugnável.
Sei, outrossim, que a decisão de Cameron desencadeou acesa controvérsia no Reino Unido, com os trabalhistas a acusarem-no de estar a beneficiar os interesses de Lorde Ashcroft, um dos maiores financiadores do partido conservador.Independentemente da justeza das críticas dos trabalhistas, o que me parece é que outros interesses mais obscuros estarão por detrás deste investimento.
Ainda recentemente, José Eduardo dos Santos manifestou a intenção de reivindicar a posse de alguns arquipélagos na costa africana, entre os quais se encontra a ilha de Santa Helena . Por outro lado, apesar de a imprensa portuguesa, sempre desatenta às questões internacionais “menores”, não o noticiar, é conhecido o recrudescimento da polémica em torno das Malvinas/Falkland. A Argentina voltou este ano a reivindicar a posse do arquipélago e tem encetado diligências no sentido de a comunidade internacional- nomeadamente a Organização dos Estados Americanos (OEA)- reconhecer a sua soberania sobre as Malvinas.
A ofensiva diplomática tem surtido efeitos, aumentando os apoios dos países da região às pretensões de Buenos Aires. Não será pois de estranhar se Cristina Kirchner endurecer a sua posição, trazendo de novo para o centro da discussão internacional a questão das Malvinas/ Falkland - que lhes foram roubadas no século XIX pelos ingleses, com recurso à força- embaraçando Cameron e a comunidade europeia.
Neste contexto, embora não sendo previsível, também não é de menosprezar a possibilidade de um aumento de tensão entre Buenos Aires e Londres que poderia, em última análise, redundar no reacendimento do conflito de 1982- determinante para o fim da ditadura argentina.
Ora, somando as pretensões de Angola com as reivindicações argentinas e da comunidade sul-americana, parece-me não ser despicienda a hipótese de este aeroporto na recôndita e inóspita ilha do Atlântico servir, antes de mais, como plataforma de apoio a eventuais conflitos diplomáticos com risco de degenerescência bélica. Ou seja: substituir o interesse turístico por estratégia belicista, talvez seja mais adequado às circunstâncias.

Santos e Pecadores

Durante os últimos dias estive no Porto, sem tempo para ler blogs ou postar. Só por isso não fiz ainda qualquer referência aos últimos desenvolvimentos do caso Freeport mas, como mais vale tarde do que nunca, aqui fica de modo sintético a minha opinião:
- Ao fim de seis anos, dois procuradores queixam-se de não ter tido tempo para interrogar Sócrates. É tão ridículo, que não merece comentários. No entanto, não deixa de ser curioso que alguns jornalistas e bloggers que andaram durante os dois últimos anos a vender jornais e a alimentar as audiências dos blogs, vampirizando a opinião pública, venham agora carpir sobre a lentidão e incompetência da justiça aligeirando as suas responsabilidades Alguns desses patuscos tentam salvar a honra passando uma esponja sobre a sua conivência com fontes judiciais que lhes alimentavam os rumores. Não cola. Há jornalistas metidos até ao pescoço em todo este processo que agora fazem como Pilatos. São uns merdas e uns cobardes, mas também isso não é novo para quem conhece alguns desses jornalistas que nos andam a tentar convencer que fazem jornalismo, quando o seu único interesse é utilizar o jornalismo para fazerem política.
- Leio no DN que as 11 testemunhas que assumiram ter conhecimento que Sócrates tinha recebido dinheiro, declararam que apenas sabiam “por terem ouvido dizer”. Estamos conversados e esclarecidos. Os blogs ( em muitos dos quais escrevem jornalistas) andaram a alimentar boatos. A questão é saber se o fizeram apenas nos blogs, ou também nos jornais onde trabalham. A resposta é demasiado óbvia. No entanto, alguns continuam a insinuar que só o favorecimento da justiça permitiu ilibar Sócrates. Ilibar de quê? Ele alguma vez foi constituído arguido?

Elementar, meu caro Watson...

Acossada pelas críticas de Obama e atolada numa onda de descrédito à escala global, depois do desastre do Golfo do México, a administração da BP demitiu o CEO inglês e prepara-se para nomear, em sua substituição, um americano. Elementar...

Pelo país dos blogs (68)

Como acontece todos os anos, em Agosto o país dos blogs vai de férias. Por isso, hoje, não podia deixar de desejar a todos os leitores e amigos em período de merecido descanso, umas excelentes férias. Cá vos espero na "rentrée".
Continuarei a partilhar com todos os que por cá ficam- como eu- o meu e os vossos espaços.