terça-feira, 27 de julho de 2010

Jornalismo de investigação


Depois de o DIAP ter concluído a investigação do caso Freeport, e Sócrates ter sido ilibado, esperava uma palavrinha daqueles jornalistas blogueiros que tanto elogiaram o jornalismo de investigação de Manuela Moura Guedes, escreveram posts indignados contra o fim do Jornal da Sexta e se insurgiram conra a falta de liberdade de expressão. Nada. Refugiam-se no silêncio. Já não se trata apenas de cobardia, é também falta de dignidade e de ética.
Não gosto de Sócrates mas quando uma boa amiga, apoiante de Sócrates, me perguntou se acreditava no envolvimento de Sócrates "naquela estória" respondi que não. Para mim e para muitos jornalistas que não confundem jornalismo com "vendettas" , foi sempe claro ( e escrevi-o) que por detrás da alegada investigação, havia jogos de bastidores de jornalistas mais empenhados no jogo político do que na descoberta da verdade.
Voltarei ao assunto amanhã, depois de ler os jornais.

Portugal de Bronze



Começaram os europeus de atletismo e a estreia portuguesa foi auspiciosa. João Vieira conquistou a medalha de bronze nos 20 kms marcha. Pelo menos, já fizemos melhor do que naquelas Olimpídas de 92, na mesma cidade de Barcelona, de onde saímos de mãos a abanar e uma grande a decepção às costas. Acredito que venham por aí mais algumas medalhas.Força, malta!

Perdoai-lhes Senhor!


Depois do desastre do Golfo do México, chegou a vez da China. No Mar Amarelo foram derramadas 1500 toneladas de petróleo, em consequência da explosão de um oleoduto. Os patetas da cruzada céptica continuam a dizer que as questões ambientais nada têm a ver com a intervenção do Homem. Perdoai-lhes, Senhor, porque não sabem o que dizem mas, por favor, afastai-os das redacções dos jornais portugueses, antes que morramos todos afogados em petróleo.

Aos amantes das botas


Faz hoje 40 anos. Estava em Londres a estudar, as aulas tinham acabado e fui até ao bar da Universidade, para uma amena cavaqueira com uns colegas sul americanos, antes de mergulhar no estudo, para um exame no dia seguinte. Preparava-me para as despedidas quando entraram dois colegas - um marroquino e outro argelino- visivelmente satisfeitos. Dirigiram-se a mim e abraçaram-me efusivamente, enquanto repetiam:" Congratulations, congratulations!".

Disse-lhes que deviam estar enganados porque não fazia anos, mas eles riram-se e deram-me a notícia: " Salazar is dead, Portugal is free!"

Manifestei-lhes as minhas dúvidas quanto à hipótese de a morte de Salazar significar o regresso imediato da Liberdade a Portugal, mas a crença deles era enorme. Bebemos uma garrafa de champagne, brindamos, falamos muito sobre as ditaduras portuguesa e espanhola e praticamente já não estudei para o exame do dia seguinte. Vá lá, ainda consegui passar...

Quarenta anos depois, há por aí uns animais disfarçados de políticos, ansiosos por calçar as Botas do velho de Santa Comba. Espero que acabem no churrasco, ou esquartejados em arroz malandrinho. Não me vendam é coelho por lebre....

Os vendilhões do Templo

"No meio duma feira, uns poucos de palhaços
andavam a mostrar, em cima dum jumento
um aborto infeliz, sem mãos, sem pés, sem braços,
aborto que lhes dava um grande rendimento.

Os magros histriões, hipócritas, devassos,
exploravam assim a flor do sentimento,
e o monstro arregalava os grandes olhos baços,
uns olhos sem calor e sem entendimento.

E toda a gente deu esmola aos tais ciganos:
Deram esmola até mendigos quase nus.
E eu, ao ver este quadro, apóstolos romanos,

eu lembrei-me de vós, funâmbulos da cruz,
que andais pelo universo, há mil e tantos anos,
exibindo, explorando o corpo de Jesus.
( Guerra Junqueiro)
A Igreja Católica pediu aos políticos portugueses cristãos que renunciassem a vinte por cento do seu vencimento, para acudir aos mais necessitados.Não é a ideia da Igreja, de que os problemas se resolvem com caridadezinha- e não com políticas a favor dos mais desfavorecidos - que me encanita. É a hipocrisia de uma instituição que vive num ambiente ignominiosamente faustoso que me provoca repulsa. À memória veio-me imediatamente o filme “As Sandálias do Pescador”. O Papa calça Prada, como se vê na imagem… mas isso é apenas uma gota de água no caudal de hipocrisia desses funâmbulos da cruz.

A nova caixa de Pandora

Quando a UE reconheceu a independência do Kosovo , declarada unilateralmente por Pristina, escrevi : "O Kosovo foi um fósforo que se acendeu, esperemos que não pegue fogo ao rastilho.”
Nos meses seguintes, durante o conflito entre a Rússia e a Geórgia, na sequência da luta dos movimentos separatistas na Ossétia do Sul e na Abecássia, perguntava se a UE não teria aberto uma Caixa de Pandora. ao reconhecer a independência do Kosovo.
Aparentemente, os movimentos independentistas estão numa fase larvar, adormecidos pela crise, mas uma simples centelha pode despoletar a qualquer momento. Na semana passada, a decisão do Tribunal de Haia de considerar legítima a declaração unilateral de independência do Kosovo,veio reacender a discussão. Bem aqui perto a Catalunha terá sentido um novo alento. Ao Tibete não lhe faltarão razões para prosseguir a sua luta. Outros movimentos independentistas poderão sentir-se encorajados. Será desta que Alberto João Jardim, descoroçoado com o novo líder do PSD, declara a independência da Madeira?

Postais de férias (9)

O Pedro está de férias pelo Oriente e enviou-me os primeiros postais daquelas paragens. Fiquei roído de inveja. Vieram logo dois, de dois locais de que muito gosto. Por razões de trabalho, Singapura foi o meu primeiro destino oriental. Gostei imenso, mas creio que o facto de ter sido o meu primeiro encontro asiático, contribuiu bastante para isso.
O outro vem de uma ilha magnífica, num país que adoro. Foi um dos países asiáticos de que mais gostei ( não, não foi a Tailândia...) porque quando lá estive ainda não estava conspurcado pelo turismo de massas. Querem saber qual é? Então vão ver aqui.
Obrigado, amigo, e continuação de boas férias !

Pelo país dos blogs (64)

Isto é uma barbaridade!Nem depois de mortos, os animais escapam à insensatez humana! Vão ler e não deixem de segir o link.