terça-feira, 15 de junho de 2010

Dicionário de Estrangeirês (7)

Está a passar férias no Dubai e não sabe como perguntar onde é o elevador do Hotel? Simples...


ALI CI MA VAI

À margem do Mundial: vestuário desportivo

A Consumers International (CI) realizou um estudo sobre o comportamento das principais marcas de vestuário desportivo, com o objectivo de analisar o impacto ambiental do fabrico de calçado desportivo e o comportamento ético das empresas nas relações laborais, nomeadamente quanto aos salários e às condições de trabalho.
Contando com o apoio de 11 organizações de consumidores, a CI visitou fábricas que fornecem as diversas componentes para a produção de algumas das marcas mais conhecidas no fabrico de calçado desportivo. Foram também analisadas as condições em que vivem os trabalhadores dessas fábricas, maioritariamente mulheres imigrantes entre os 20 e os 30 anos.
Embora reconhecendo algumas melhorias por parte da Adidas, Reebok e Puma, no concernente às práticas laborais, a CI conclui que apesar de algumas empresas pagarem o salário mínimo legal, estes ainda estão muito abaixo do desejável, representando apenas 0,4 por cento do custo de um par de sapatos. Os salários pagos aos trabalhadores- afirma a CI- estão normalmente muito abaixo do que seria desejável, para proporcionar aos trabalhadores condições de vida condignas.
A CI detectou também casos de assédio sexual, violação de direitos sindicais, horários de trabalho excessivos, redução dos salários como medida repressiva e recurso ao insulto verbal e à violência física, como medidas disciplinares.
De realçar, que as fábricas visitadas reconheceram as suas próprias responsabilidades nestas práticas e declararam que estão a tomar medidas, no sentido de as minimizar…
No estudo realizado, a CI realça o facto de a maioria das multinacionais do calçado – que até há bem pouco tempo estavam maioritariamente instaladas no sul da China- se estarem a deslocalizar para outros países asiáticos, como o Vietname ou a Indonésia, onde os custos laborais são mais baixos e as exigências ambientais mais permissivas.
Entretanto, a Adidas anunciou que vai iniciar ainda este ano, no Bangladesh, a produção de um modelo de sapato que será vendido a 1 euro. Com esta iniciativa, a Adidas pretende melhorar a sua imagem junto dos consumidores e envolver-se em projectos sociais geradores de emprego, nas zonas do globo onde tem as suas fábricas.
A CI convidou as 10 maiores empresas de calçado desportivo a participar neste estudo, mas apenas a Adidas, Reebok, Puma, New Balance e Mizuno aceitaram submeter as suas fábricas, na China, ao escrutínio.
Nike, Asics, Brooks, Saucony e Kahru recusaram participar no estudo.

Erros meus, má fortuna...


Quando, aos 12 minutos, Cristiano Ronaldo atirou uma bomba ao poste da baliza dos marfinenses, percebi que Portugal não ganharia o jogo. Como é normal nos portugueses, demoram muito tempo a digerir a falta de sorte e, em vez de partirem para a luta, ficam a lamentar-se. Foi o que aconteceu hoje. Nada está perdido, mas a ambição de irmos longe neste mundial, sofreu um forte revés. Dia 21 há mais.

Está na hora!


Entrei em estágio. O jogo só começa às 15 mas o melhor é começar a "prepará-lo" com tempo. As unhas estão grandes, vou começar já a roê-las para estarem decentes à hora do jogo.
Força, cambada!

O fim do mundo em cuecas


Não sou grande apreciador do CSI e séries similares, onde as novas tecnologias ajudam a descobrir os crimes mais intrincados. Continuo a preferir a capacidade argumentativa de Perry Mason, a subtileza de Poirot ou a perspicácia do inspector Columbo, cujas únicas armas eram a inteligência. Dirão que sou cota e provavelmente têm razão.
Ontem, a notícia de capa do gratuito “ Metro” rezava:
“Eles desconfiam das cuecas delas” .
Ainda ensonado e um pouco surpreso com o título, corri até à página 4 para ler a notícia. Fiquei então a saber que há maridos que roubam as cuecas às mulheres e mandam analisá-las no laboratório, para saberem se a mulher lhes está a ser infiel. Ao que parece, o método de investigação adoptado pelos “machos” portugueses foi induzido pela série policial CSI, o que permite inferir que os tugas vêem mais televisão do que se pensa. No entanto, parece haver outros machos que preferem recorrer a métodos artesanais e compram kits na Internet que permitem detectar a existência de sémen nas cuecas da consorte.Outros, mais sofisticados, preferem armar-se em detectives privados e compram o “Spy GPS”. Pela módica quantia de 379 euros , passam a controlar todos os movimentos da mulher e ainda têm, como bónus, direito a escutar as conversas do cônjuge.
As novas tecnologias prometem transformar os portugueses em “cuscas” profissionais. Incapazes de usar a inteligência, os tugas preferem a electrónica para se certificarem se são “cornos”. Não era mais fácil utilizarem os instrumentos que a Mãe Natureza lhes deu à nascença?
Pronto, está bem, não se zanguem, mas eu disse, logo no início do post, que preferia o Poirot e o Columbo ao CSI.

Subtilezas da língua portuguesa


Em Portugal, quando uma pessoa enriquece ou ganha fama, costuma dizer-se que pode sentar-se à sombra de uma Bananeira.
Scolari, aconchegado com a indemnização recebida do Chelsea, os salários chorudos ( 35 mil euros/mensais) auferidos enquanto esteve à frente da selecção portuguesa e a fama granjeada com o título de campeão no competitivo campeonato do Uzebequistão, regressa ao Brasil para treinar o… Palmeiras.
Diferenças de pormenor da língua portuguesa de aquém e além –mar.

Sugestão do dia

Terra Longínqua. Um blog do Joaquim Lucas que sucede ao Cartório Mental, mantendo a qualidade a que nos habituou. Boa sorte no novo endereço!