segunda-feira, 31 de maio de 2010

Ainda Cohn Bendit

Há dias escrevi sobre uma intervenção de Cohn- Bendit no Parlamento Europeu, denunciando a hipocrisia da UE face à crise grega. Leitora amiga enviou-me o video da intervenção mas, como continuo analfabeto funcional e não consigo colocar videos no blog, aproveito a boleia de A Carta a Garcia e faço link do video que o Osvaldo Castro lá publicou, pedindo desculpa pelo furto. Ele compreenderá que é por uma boa causa

OBRIGADO!

O CR foi distinguido pelo 2711 como Blog da semana. Uma distinção que muito me honra e incentiva. Um grande abraço a todos os que lá escrevem e um agradecimento especial ao Daniel, fequentador assíduo do Rochedo e responsável pela "nomeação".

Os cafés dos outros (4)

A ematejoca azul fala-nos de um café que, pelo menos do cinema, muitos conhecerão. Ainda ontem, por coincidência, revi esse filme. Adivinhem lá qual é o café e o filme de que fala a Teresa e vão lá confirmar se acertaram.

Esquina da memória (2)

Vive em Aveiro e tem 29 anos. Chama-se André e era desconhecido dos portugueses até há poucos dias. Saiu do anonimato quando foi chamado a substituir Marques Mendes no Parlamento e, deslumbrado, afirmou aquilo que toda a gente sabe: os deputados ganham demais.
André não se ficou pelas palavras. Passou aos actos e decidiu oferecer 10 por cento do seu vencimento a uma instituição de solidariedade social do distrito que o elegeu.Talvez por ser um rapaz genuíno, André pensou que estava a agir bem. Enganou-se. Não previu que os seus colegas de bancada reagissem como abutres a quem estão a roubar a presa. Reunião de emergência do Grupo Parlamentar, duras críticas e a exigência de que pedisse desculpas publicamente. Leram bem. PUBLICAMENTE.
Ao bom estilo de uma "famiglia" calabresa, os deputados quiseram mostrar as regras ao neófito e mostrar o que acontece a quem não cumpre. André foi obrigado a admitir que tinha errado. Apenas por ter dito aquilo que pensava? Não. André talvez não soubesse que os deputados se preparam para duplicar o seu vencimento meio às escondidas. Sem aumentar o vencimento base, mas aumentando as mordomias. As declarações de André tornaram-se, por isso, ainda mais incómodas.Aposto que no meio das críticas houve um deputado que lhe sugeriu que oferecesse o dinheiro ao Partido e uns quantos que o acusaram de ser populista.
Pouco importa para o caso o partido de André, porque os partidos do arco do poder comportam-se todos da mesma maneira. Sob o guarda-chuva da disciplina partidária, tudo se justifica.Imagino a amargura e a desilusão do André. Corromperam-lhe a boa-fé. Impediram-no de sonhar que em política se pode ser genuíno, dizer e fazer o que se quer.Não te percas, André! Sai da política enquanto é tempo...
Publiquei este post em Fevereiro de 2008. Dão-se alvíssaras a quem indicar o paradeiro deste deputado que aqui me pareceu oportuno relembrar hoje.

Maravilhoso mundo novo

Depois da vaga de suicídos na France Telecom, o problema alastra à Ásia. Na China já há empresas a pedir aos trabalhadores que assinem declarações garantindo que não se vão suicidar. Estou encantado com este mundo maravilhoso que os arautos do ultra-liberalismo e do mercado libertino nos prometeram.

Anseio, pois, o momento em que Pedro Passos Coelho assuma o cargo de primeiro-ministro, para que Portugal saia da crise e possa, finalmente, emparceirar com o mundo civilizado, onde os trabalhadores morrerão, gloriosamente, ao serviço dos patrões. Viva a escravatura do século XXI.

Sondagens

Pedro Passos Coelho dizia, ainda há dias, que era preciso deixar o governo governar. Os seus apoiantes na blogosfera apoiavam as suas palavras, porque admitiam que seria melhor deixar Sócrates cair de podre e aproveitar a boa onda pós pico da crise para começar a reclamar eleições.

De repente, tudo mudou. Bastou uma semana de sucessivos revezes para o governo e a publicação de uma sondagem, para os seus apoiantes saírem das tocas e começarem a agitar a ideia de eleições antecipadas. Atraídos pelo cheiro a sangue e inebriados pela oportunidade de finalmente ascenderem aos tachitos, já não querem esperar.
PPC parece querer acalmar as hostes e não entrar em euforias. Há um pormenor que pode precipitar eleições antecipadas. Cavaco Silva tem a imagem fragilizada depois da decisão de não vetar a Lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo e precisa do apoio inequívoco do PSD, depois das críticas que lhe foram feitas por D. José Policarpo.
Se Passos Coelho lhe garantir o apoio incondicional, em troca de eleições antecipadas, Cavaco recorrerá à "bomba atómica". Resta saber se antes, ou depois de ser reeleito.
O futuro de Sócrates depende, pois, de uma aliança Cavaco/Passos Coelho, ainda há pouco tempo declaradamente inimigos.
Como os resultados de uma sondagem podem mudar tudo...

Seis meses é uma eternidade!

A propósito da tragédia provocada pela BP no Golfo do México dizia, entusiasmado, o correspondente da RTP em Washington:

"A mancha negra levou o presidente a alterar toda a política energética dos Estados Unidos. Durante os próximos seis meses não será autorizada a abertura de nenhuma nova plataforma petrolífera".
Não sei porquê, lembrei-me logo da decisão de Sócrates suspender as obras públicas...por seis meses!

Sugestão do dia

Largo das Calhandreiras