quinta-feira, 27 de maio de 2010

Só?????

Jornalistas condenados por publicarem escutas
( Título de notícia do DN de hoje, sobre a condenação dos jornalistas do SOL)
Se há uns anos eu apresentasse um título destes a um editor, ouvia das boas. E ouvi muitas, felizmente, do meu então director e agora amigo Baptista-Bastos que, ao ler aquilo, me daria uma merecida reprimenda que jamais esqueceria.

Onde andam as cerejas?


Maio é o mês das cerejas. É um fruto que adoro, talvez por ser dos poucos que é difícil ( felizmente) comer fora de época. Digam-me uma coisa: por onde andam este ano as cerejas, que não as consigo ver em lado nenhum?
Não me digam que vou ter de esperar por Junho e ir à Festa da Cereja,no Fundão, para as poder trincar…

Coisas que não entendo lá muito bem...

O governo lançou um programa de estágios na função pública destinado a jovens licenciados.
Ao contrário do que acontece em muitas empresas que aceitam estagiários , mas não lhes pagam– nomeadamente na comunicação social, advocacia, arquitectura – estes estágios serão remunerados, recebendo cada estagiário 900€.
Conheço licenciados a trabalhar na banca, com vencimentos de 600€, pelo que o vencimento proposto não me parece desajustado.Acresce que ainda existem licenciados na Administração Pública com vencimentos inferiores aos propostos aos estagiários, porque não conseguiram transitar das carreiras de técnicos operacionais e profissionais, ( carreiras de ingresso na AP, para não licenciados) para a carreira técnica, depois de concluírem uma licenciatura.
Ora, de acordo com uma notícia hoje publicada no Diário Económico, dos seis mil candidatos pré seleccionados , a quem foram enviados convites para integrar esse estágio, apenas 2600 aceitaram . Ainda de acordo com a DE, a recusa deveu-se essencialmente a dois factores:
- A maioria dos candidatos apenas se manifestou interessada em ocupar lugares em Lisboa, Porto e Coimbra;
- A preferência por determinados serviços, como a Direcção Geral de Contribuições e Impostos, também terá levado muitos candidatos a recusar as ofertas.
Deixo os comentários para os leitores, mas faço votos para que o governo finalmente se preocupe com dois aspectos da maior importância, que têm sido sucessivamente ignorados, já que a Lei da Mobilidade não tem sido aplicada como devia:
- A necessidade de integrar todos os licenciados da AP na carreira técnica;
- A reafectação de recursos da AP, permitindo a funcionários sub-aproveitados em determinados serviços,a transição para outros onde possam desempenhar as funções para que estão habilitados.
Desenvolvimento da notícia aqui ( Já agora, se forem ler a notícia, agradecia que me dissessem se é impressão minha, ou se na verdade o título contradiz o que está escrito no texto, iludindo os leitores).

Carta de um funcionário público ao Primeiro Ministro

Exmo. Sr. 1º Ministro,
Vou alterar a minha condição de funcionário público, passando à qualidade de empresa em nome individual (como os taxistas) ou de uma firma do tipo"Jumentos & Consultores Associados Lda." e em vez de vencimento passo a receber contra factura, emitida no fim de cada mês.Ganha o ministro, ganho eu e o país que se lixe!
Ora vejamos:
Ganha o ministro das Finanças porque:
- Fica com um funcionário público a menos.
- Poupa no que teria que pagar a uma empresa externa para avaliar o meu desempenho profissional.
- Ganha um trabalhador mais produtivo porque a iniciativa privada é,por definição, mais produtiva que o funcionalismo público.
- Fica com menos um trabalhador, potencial grevista e reivindicador que por muito que trabalhe será sempre considerado um mandrião.
E ganho eu porque:
- Deixo de pagar na totalidade todos os impostos a que um funcionário público está obrigado, e bem diga-se, pois passo a considerar o salário mínimo para efeitos fiscais e de segurança social.
- Vou comprar fraldas, champôs, papel higiénico, fairy, skip e uma infinidade de outros produtos à Makro que me emite uma factura com a designação genérica de 'artigos de limpeza', pelo que contam como custos para a empresa.
- Deixo de ter subsídio de almoço, mas todas as refeições passam a ser consideradas despesa da firma.
- Já posso arranjar uma residência em Espanha para comprar carro a metade do preço ou compro um BMW em leasing em nome da firma e lanço as facturas do combustível e de manutenção na contabilidade da empresa.
- Promovo a senhora das limpezas lá de casa a auxiliar de limpeza da firma.
- E, se no fim ainda tiver que pagar impostos, não pago, porque três anos depois o Senhor Ministro adopta um perdão fiscal. Nessa ocasiãovou ao banco onde tinha depositada a quantia destinada a impostos,fico com os juros e dou o resto à DGCI.
Mas ainda ganho mais:
- Em vez de pagar contribuições para a CNP, faço aplicaçõesf inanceiras e obtenho benefícios fiscais se é que ainda tenho IRS para pagar.
- Se tiver filhos na universidade eles terão isenção de propinas e direito à bolsa máxima (equivalente ao salário mínimo) e se morar longe da universidade ainda podem beneficiar de um subsídio adicional para alojamento; com essas quantias compro-lhes um carro que, tal como o outro, será adquirido em nome da firma assim como manutenções e combustíveis.
- Se tiver um divórcio litigioso as prestações familiares que o tribunal me condenar já não serão deduzidas directamente na fonte e recebo o ordenado inteiro e só pago se me apetecer...!
Como se pode ver, só teria a ganhar e já podia dizer em público o nome da minha profissão sem parecer uma palavra obscena, afinal, em Portugal ter prejuízo é uma bênção de Deus!
Está visto que ser ultra liberal é o que realmente vale a pena... porque é que os partidos que alternam no poder têm tantos votos?
Atentamente
A. Bivar de Sousa
( recebida por mail)

O rival de Mourinho

Mourinho afinal tinha rival à altura em Itália e podia ter perdido o Calcio. O problema é que o rival estav impedido de acumular cargos e não pôde treinar o Milan.

Ora aponte aí...


Hoje, às 18h30m, na Bertrand do Chiado, o António Manuel Venda vai apresentar o seu novo livro. Sou fã dos livros do António, meu ex-colega de bloga, pessoa que muito prezo e admiro. Vou tentar lá estar, apesar de já ter comprado o livro,mas gosto de ver e ouvir as palavras do António.

Sugestão do dia

Nortadas