segunda-feira, 24 de maio de 2010

Viva o Rei!


Em entrevista ao DN, D. Duarte Pio disse:
“Tornar obrigatória a educação sexual resume-se a dizer: forniquem à vontade”.
Porque nutro grande simpatia por D. Duarte, é com satisfação que constato que a sua linguagem está cada vez mais plebeia, mas espero nunca o ver candidatar-se a presidente da República.
Lamento é que Sua Majestade, apesar da sua provecta idade, ainda não tenha percebido que o objectivo da educação sexual nas escolas é exactamente o inverso do que ele pensa.
As pessoas- incluindo os jovens- já fornicam à vontade, mesmo entre a nobreza. O objectivo da educação sexual é precisamente explicar que a fornicação deve ser um acto responsável. Se nem ele nem a sua digníssima esposa perceberam isto, então pode acontecer que um dia destes tenham uma surpresa lá em casa.

Sem comentários

Ler isto logo pela manhã é apanhar um soco no estômago.

Explicação dos mercados financeiros

Uma vez, num lugarejo, apareceu um homem anunciando aos aldeões que compraria macacos por €10 cada. Os aldeões, sabendo que havia muitos macacos na região, foram à floresta e iniciaram a caça aos macacos. O homem comprou centenas de macacos a €10 e então os aldeões diminuíram seu esforço na caça.
Então o homem anunciou que passaria a pagar €20 por cada macaco. Os aldeões renovaram seus esforços e foram novamente à caça.
a partir de determinada altura os macacos foram rareando e os aldeões diminuíram a intensidade da busca.
A oferta aumentou para €25 e a quantidade de macacos ficou tão pequena que já não havia mais interesse na caça.O homem então anunciou que agora compraria cada macaco por €50! Entretanto, como iria à cidade grande, deixaria o seu assistente cuidando da compra dos macacos.
Na ausência do homem, o assistente disse aos aldeões:
"Olhem todos estes macacos na jaula que o homem comprou! Eu posso vender-vos por €35 e, quando o homem voltar da cidade, vocês podem vender-lhe por €50 cada."
Os aldeões, entusiasmados com o lucro fácil , pegaram nas suas economias e compraram todos os macacos do assistente.
Nunca mais viram o homem ou o seu assistente, somente macacos por todos os lados.
Estão a perceber como funcionam os mercados financeiros?

22: coincidências e contradições



Acabara de assistir à final da Liga dos Campeões Europeus e deixei-me contagiar pela euforia reinante à minha volta. Mourinho acabara de mostrar ao mundo que é realmente ímpar, calando as vozes de alguns detractores.
A primeira reacção foi comemorar com uma garrafa de Brunelo di Montalcino e enviar a factura a Mourinho mas, na perspectiva de me ver confrontado com a devolução da conta, optei por um vinho modesto que a minha bolsa pudesse pagar. Ao meu lado alguém comentou:
“ A magia do 22”.
“ Desculpe, não percebi…”
“ Hoje é dia 22, o marcador dos dois golos do Inter foi Diego Milito que joga com o número 22”- esclareceu a minha interlocutora deixando escapar um sorriso mesclado de malandrice e sabedoria.
A observação pareceu-me muito pertinente e fez-me lembrar os tempos em que me dedicava ao estudo da numerologia. Quando percebi que também na numerologia a sorte de uns era o azar de outros, desinteressei-me. Expliquei-lhe isso e ela olhou-me com indiferença. Até, talvez, algum desdém. A televisão veio em meu socorro. Numa das muitas reposições dos golos, filmou Butt a tentar voar para defender o remate que daria o segundo golo do Inter. No dorsal do guarda-redes alemão estava estampado o nº 22!
Et voilá”- rematei com um toque de superioridade.
Ela encolheu os ombros e fez menção de retirar-se. Ofereci-lhe um copo do meu vinho. Pareceu-me deliciada, o que me deixou constrangido. Ninguém se delicia com um modesto Côtes du Rhone. Ao fim do terceiro copo caiu-me do bolso a chave do quarto do hotel. Ficámos os dois a olhar para o número do quarto: 222.
Et voilá! Às duas da manhã, o som das Doce parecia ecoar entre as quatro paredes do quarto 222:
“Uma da manhã

Sugestão do dia

Machina Speculatrix