quarta-feira, 19 de maio de 2010

O Mundo pula, mas não avança



Depois do quase fracasso da Cimeira de Copenhague, as esperanças de alcançar um acordo que estabeleça as metas pós- Quioto , viraram-se para o México, onde se realizará nova Cimeira em Julho. Com a crise financeira global, são poucas as esperanças na concretização desse acordo. Os mais optimistas admitem que no próximo ano na África do Sul,ou o mais tardar em 2012, no Brasil, seja possível o mundo adoptar regras que permitam reduzir os danos que temos vindo a provocar no Planeta.

Acredito que em 2012 seja possível chegar a uma plataforma de acordos mínimos, mas não mais do que isso. A crise económica e financeira não estará ainda resolvida em 2012 e os senhores que governam o mundo continuarão a privilegiar o desenvolvimento económico em detrimento da sustentabilidade do Planeta.

Um dia- talvez não muito distante- as gerações mais jovens vão cobrar a esta geração de políticos acéfalos a sua incúria com a preservação da nossa casa comum e perguntarão para que serviu garantir a sustentabilidade económica e financeira, se a vida na Terra se tornou insustentável mas, muito provavelmente, a maioria dos responsáveis pela degradação das condições ambientais, não estarão cá para lhes responder.

A nova Arca de Noé


A propósito deste catálogo, lembrei-me de uma notícia que li há dis no Público:
Nos anos 80, Kim Il Sung apoiou Robert Mugabe na luta contra Joshua Nkomo, mandando homens para treinar a Brigada do Exército do Zimbawe.
Trinta anos depois, o ditador zambiano decidiu finalmente agradecer ao seu congénere norte coreano, entretanto falecido, de uma forma original.
Mandou enviar a Kim Jung-Il ( que assumiu o poder depois da morte d pai) um casal de cada uma das espécies existentes no Parque Nacional Hwange , para enriquecer a biodiversidade do Jardim Zoológico de Pyongyang.
Os ditadores têm uma forma peculiar de agraciar os seus amigos e congéneres. Depois de matar mais de 20 mil apoiantes do seu rival, Joshua Nkomo, Mugabe vai condenar à morte dezenas de animais. Uns não sobreviverão à viagem e outros não se adaptarão às condições climatéricas da Coreia do Norte.

O herdeiro dos irmãos Metralha


“ O dia em que batermos na parede não está muito longe. Talvez por semanas. E bater na parede significa , por exemplo, a intervenção do FMI. Lamento mas o país tem de saber a verdade”
Estas palavras não foram proferidas por um político… são da autoria do presidente de um banco que, depois de ter ajudado a saquear o país, vem dar conselhos, como se não tivesse nada a ver com o assunto.
Fernando Ulrich fez-me lembrar um bandido que depois de assaltar a casa, avisa os donos :“Deixei a porta do frigorífico aberta. Cuidado, não se magoem!”

A Ética segundo Marques Guedes

No sector laranja da Assembleia da República, a Ética anda pelas ruas da amargura. Considerar isto censura é próprio de quem vê a imprensa como alfobre onde a escumalha despeitada pode verter os seus ódios e as suas vinganças.

Rua dos Cafés (5)

Café Greco (Roma)













Ir a Roma e não visitar o Café Greco, na via Condotti , é ainda mais grave do que não ver o Papa. Talvez por isso, nas diversas vezes que estive em Roma nunca vi o Papa, mas nunca falhei uma visita ao Greco.
Fundado por um grego no século XVIII (1760) foi local de tertúlias e ponto de encontro obrigatório para os estrangeiros que viviam em Roma, durante os séculos XVIII e XIX. Por lá tertuliavam personagens tão diversas como Goethe ou Buffalo Bill, e compuseram alguns dos seus mais belos trechos musicais, Lizt ou Wagner.
Ao longo do século XX o Greco foi perdendo influência, passando a constar dos roteiros turísticos. Estive lá pela última vez ano passado com a Martinha e impressionou-me a sua decadência. Afiançaram-me que ia fechar para dar lugar a uma gelataria de uma multinacional. Pessoa amiga disse-me, há dias, que o Greco efectivamente está encerrado desde Janeiro, mas deverá voltar a abrir as suas portas ainda este mês. Se forem lá em breve, confirmem. O Greco fica bem perto da Piazza di Spagna e, se as suas características se mantiverem, merece bem uma visita, apesar dos preços escandalosos que lá se praticam.

Sócrates só quer o nosso bem

Durante a entrevista , Judite de Sousa perguntou várias vezes ao PM porque não pedia desculpa aos portugueses, como fez Passos Coelho. Sócrates lá justificou como pôde a recusa em ir ao "Perdoa-me". No entanto, a sua humildade impediu-o de dizer toda a verdade. Afinal, a verdadeira explicação está aqui.

Conversas com o Papalagui (48)

-Olha lá,tuga, não achas que o Sócrates foi inoportuno ao dizer ontem, em Madrid, que são precisos dois para dançar o tango?
-Qual é o problema?
-Ele já podia ter dançado com a Manuela Ferreira Leite…
- Ela passava a vida a insultá-lo. O Passos Coelho é mais civilizado.
-Tens razão, mas podia ter escolhido outro dia…
-Porquê?
-Não foi ontem que o Cavaco Silva promulgou a Lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo?
-Mas ontem também foi o Dia Internacional contra a Homofobia, Pa . Perdeste um boa oportunidade de ficar calado, em vez de tentares fazer piadas ordinarotas!
-Fui eu e o Cavaco. Não há dias perfeitos, que é que queres?

Sugestão do dia

AVOGI, com os meus parabéns pelo primeiro aniversário.