domingo, 2 de maio de 2010

Festa adiada

O Benfica será um justo campeão, mas terá de esperar pela última jornada para festejar.Mesmo a jogar mais mais de meia hora contra 10,perdeu 3-1. Apesar de justa, a vitória ficará ensombrada por um túnel e a decisão de um idiota que assumiu o lugar de presidente da CD da Liga. O Benfica merecia vencer sem mácula, porque foi melhor ao longo de toda a época.

Sinal de esperança

Ontem, na manifestação do 1º de Maio, não vi pessoas ébrias de alegria, deixando correr as lágrimas livremente. Vi rostos fechados de gente que sofre no dia a dia, de gente cansada de ser obrigada a pagar os desvarios de banqueiros e empresários gananciosos, com o desemprego, salários de miséria e a incerteza do futuro.
Não vi pessoas unirem-se em amplexos de esperança, nem entusiasmadas com o dia de amanhã . Vi pessoas que perguntavam umas às outras “então, tu por aqui?” e outras que respondiam “ já cá não vinha há muito tempo, mas este ano, com esta situação, não podia faltar ”. Apesar de tudo, é um sinal de esperança.

O preço da negligência

O mais revoltante neste caso é a negligência por parte da empresa. Em primeiro lugar, porque previu a possibilidade do desastre, mas considerou-o improvável, não tendo por isso tomado as precauções necessárias. Em segundo lugar, porque já em 2005 fora responsável por um desastre numa refinaria que custou a vida a 15 pessoas, e quase 200 milhões de dólares à empresa em indemnizações.
A BP vem mais uma vez assumir todas as responsabilidades neste acidente e está disposta a pagar as indemnizações que os tribunais fixarem. No entanto, já sabemos que quem vai pagar essas indemnizações são os consumidores, porque à empresa bastará fazer repercutir esse prejuízo no preço dos produtos petrolíferos, para ressarcir os prejuízos.O que a BP nunca poderá pagar é os danos irreversíveis que a sua negligência provocou na Natureza e nenhuma indemnização atenuará os prejuízos provocados na indústria de pesca e no turismo da região, nem os efeitos em cadeia que a inactividade forçada dessas indústrias causarão no bolso dos consumidores.
Imagino que depois desta catástrofe- de dimensões equiparáveis à do Exxon Valdez em 1989- se reacenda uma vez mais a discussão em torno do nuclear mas, em minha opinião, a negligência que envolveu este acidente fortalece ainda mais os opositores dessa energia pretensamente limpa.

Ao terceiro episódio a confirmação

Ao fim de trê programas, confirma-se o regresso de Herman José à boa forma. As audiências triplicaram em relação aos seus tempos da SIC, o humorista abandou a ordinarice, recuperou o talento para os "bonecos" e a RTP ganhou a aposta na contratação.
Neste mesmo dia soube-se que a RTP está em vias de ganhar o concurso para a transmissão dos jogos da I Liga de futebol nos próximos dois anos e a reacção do PSD, que pretende a privatização da RTP, foi acusar a empresa de má gestão.
Esta gente laranja, na febre de privatizar e no ódio a tudo quanto é sector público, cobre-se de ridículo. É que não se trata de ideologia, é mero servilismo ao capital, numa oportunista genoflexão.