sexta-feira, 30 de abril de 2010

Upgrade, ou downgrade?

O significado de um recorte labial, na sua Plenitude

Pedro Passos Coelho é um bom exemplo da aplicação das tecnologias do mundo virtual ao ser humano. Começou por fazer um upgrade de líder da JSD para candidato à liderança dos seniores laranjas. Depois do acto falhado da eleição de MFL, os militantes laranjas viram nele o salvador do partido e elegeram-no com mais de 60 por cento dos votos.
Conquistado o lugar, com o slogan “Mudar”, que fez Passos Coelho? O número de mulheres nos órgãos decisórios do partido é uma prova eloquente : 8 em 89 , sendo que só uma mulher tem assento no Conselho Nacional do PSD. Pedro Passos Coelho mudou, sim, mas regredindo, o que não é um bom sinal.
O passo seguinte de Passos foi fazer um upgrade para Salvador da Pátria. Não teve de se esforçar muito. Os blogs de direita que o apoiam incensaram-no de tal forma, que a sua popularidade disparou. Passos Coelho precisava, porém, de mostrar ao país que a imagem dele criada na blogosfera tinha raízes mais fortes e âmbito nacional. As telecomunicações facilitaram-lhe o trabalho. Pegou no telefone e pediu uma reunião com Sócrates, no dia em que a Standard & Poors baixou o rating da dívida portuguesa.
A blogosfera servilista enalteceu o seu nobre acto, com alguns jornalistas a tecerem-lhe loas pelo arrojo. A avaliar pelas sondagens e pela euforia que paira num certo prédio da Av da Liberdade, onde se publicam notícias à medida das conveniências laranja, a táctica parece ter resultado. Pedro Passos Coelho aparece hoje como vencedor nas sondagens eleitorais, sem que nada tenha feito para o justificar.
Quais foram os resultados da reunião com Sócrates? A persistência da teimosia do PM em avançar com a construção de um novo aeroporto e a ratificação de medidas agendadas no PEC pelo PS. Alguma das medidas propostas por Passos Coelho foi aprovada pelo governo? Não! Mas também não era isso que PPC pretendia. Apenas queria visibilidade.
O encontro com Sócrates foi um beijo de Judas, para gáudio da populaça que vê diariamente escassear-lhe o dinheiro para a gasolina, para o telemóvel, para o pagamento das dívidas da casa, do automóvel, para o televisor e Box do quarto dos catraios, ou para as férias na República Dominicana. O povo gosta de viver de ilusões e Sócrates já não tem credibilidade para as alimentar. Era preciso encontrar, rapidamente, um novo ídolo. Já está. Feito à pressa na feira de Carcavelos, vendido como produto de contrafacção à imagem do Sócrates original.
Reconheça-se, pois, que Passos Coelho soube escolher o momento oportuno para aparecer na fotografia ao lado de Sócrates. Sem nada fazer,mas respaldado na figura sinistra de MFL que deve ter sido a lider mais odiada pelos portugueses depois do 25 de Abril, , emerge ao lado do PM , a viver um momento difícil, disposto a apoiá-lo neste momento de crise, que exige consensos. O discurso é vazio, as ideias são velhas, mas têm um elo comum com a política de Sócrates : os trabalhadores que paguem a crise.
Aparentemente rendidos ao discurso deste vendedor de ilusões, os portugueses parecem decididos a apostar na mudança. Será uma mudança para pior, que os trabalhadores irão sentir na pele, mas que interessa isso agora, se o rapaz até tem aquele ar jovial de dandy da Porcalhota, a aparência de trabalhador e resoluto, aquele ar doce dos beatos e aposta na mudança? O que os portugueses recusam é ter mais do mesmo. Se for para pior, cá estarão para o criticar e punir, quatro anos depois de o terem eleito e verem os seus direitos regredir ao século XVIII. Pelo menos vão apostar na mudança. Mesmo que seja para pior, como avisava Marcelo Rebelo de Sousa. Na ilusão de um upgrade, vão votar no downgrade, cavando a sua sepultura.

Expo 2010 abriu hoje


Foi hoje inaugurada, em Xangai, a Expo-2010. Depois dos Jogos Olímpicos de 2008, este será o maior evento alguma vez realizado na China. A presença de quase 200 países neste certame, atesta a importância que o mundo inteiro lhe confere. A Expo-2010 é, também, a confirmação do aumento da influência da China a nível mundial, que muitos continuam a querer ignorar. Nunca nenhum país investiu tanto como a China na realização de uma Exposição Mundial.
O tema da Expo-2010, que encerrará a 31 de Outubro, é a qualidade de vida nas cidades ( Better City, Better Life) , devendo os diversos países presentes apresentar soluções para o combate às doenças que estão a colocar em perigo a qualidade de vida urbana.
Portugal estará presente com um pavilhão reciclável e ecológico, revestido a cortiça, que simbolizará uma praça, local privilegiado de troca de ideias dentro de uma cidade, onde o papel das energias renováveis nas cidades modernas será o centro do debate. ( Mais uma vez se prova que somos um país poetas cheios de ideais, mas incapaz de os concretizar...)
Depois da série “Cidades da Minha Vida”, o CR irá, ao longo do próximo mês, dar especial destaque às questões da vida urbana e à História do Desenvolvimento das Cidades, associando-se assim a este fantástico evento que, a exemplo do que aconteceu durante a Expo-98 em Portugal, em relação aos Oceanos, contribuirá para a evolução do conceito de vida urbana no século XXI.
Entretanto, para os interessados, aqui fica o link oficial da Expo-2010: http://en.expo2010.cn/

Cidades da minha vida ( 20)

Medina de Alhambra ( Granada)
Termino a série "Cidades da Minha Vida" - que talvez volte a retomar em breve- com uma cidade bem próxima de nós.
Chegar a Granada num final de tarde de estio, proveniente de Málaga, pela velha e sinuosa estrada montanhosa é um espectáculo deslumbrante. Mas Granada oferece outro cenário imperdível: um pôr do sol nos jardins da Medina de Alhambra. Naquele imensa quietude, tendo por companhia "As Cruzadas vistas pelos Árabes" do Amin Malouff, regressei ao século VIII, e "vivi" a conquista da Península Ibérica, sob o comando de Tarik. Foi tão penosa a ideia de regressar a Granada, que procurei alojamento junto ao Palácio, na expectativa de "participar" num daqueles faustosos serões do Califado de Córdoba ou... da Corte de Carlos V.

Falta imperdoável da RTP

Os defensores da privatização da RTP 1 ganharam novos aliados. Zangados com a televisão pública por não ter transmitido a final de uma taça europeia de futsal , vencida pelo seu clube do coração, os benfiquistas com assento nas colunas de alguns jornais, vieram manifestar a sua repulsa pelo desprezo a que a RTP votou tão relevante modalidade. Entre outras coisas, os militantes encarnados da imprensa lusa esqueceram que a final se realizou no dia 25 de Abril , dia em que a RTP 2 dedicou toda a sua programação ao filme documental português ( como aliás já se tornou hábito).

Esperemos que o SLB não vença uma qualquer taça europeia de berlinde, caso contrário, lá teremos os mesmos fãs a acusar a RTP de desrespeito pela nação benfiquista e por essa nobre modalidade que é o "carolo", engrossando o coro dos que exigem a privatização do canal público. A propósito... houve algum canal privado que tivesse transmitido a prova? Ai não? Então qual é a vantagem de a RTP ser privatizada?

Foi bonita a festa, pá?

Referindo-se ao fim dos tempos do crédito fácil e barato, Santos Ferreira- presidente do Millenium BCP- veio dizer que "Terminou a Festa". Fiquei sem saber se ele se referia à festa dos consumidores que durante quase duas décadas foram aliciados para o endividamento fácil e barato, se ao regabofe dos bancos que, à custa de consumidores incautos, enriqueceram de forma fácil. Creio, porém, que Santos Ferreira se deveria referir aos consumidores que, convidados para a orgia consumista, não se fizeram rogados.

Se esta interpretação estiver correcta, convém lembrar ao presidente do BCP que a festa deveria ter terminado com o alvorecer do século XXI, quando a taxa de endividamento dos consumidores portugueses tinha ultrapassado os 90 por cento. Nessa altura, porém, os bancos em vez de lançarem o alerta para os perigos do endividamento excessivo, convidaram os consumidores a prolongar a festa jogando na roleta dos créditos acumulados que apenas serviu para adiar o problema e ´provocar a insolvência de milhares de famílias portuguesas. Agora, reconfortados com os milhões que o Estado lhes concedeu,usando dinheiro dos contribuintes, os bancos vêm com discursos moralistas, falar de boas práticas. Tá bem abelha!

As cidades dos outros (20)

O Hugo - que tem o melhor blog de viagens que conheço - deu-me a honra de participar no desafio. Na verdade não escolheu uma cidade, mas duvido que haja alguém, neste país, capaz de discordar das suas palavras.
Aviso: Abril chegou ao fim mas, como o desafio ultrapassou todas as minhas expectativas, houve mais inscrições do que dias úteis do mês, pelo que continuarei a publicar em Maio os posts de leitores que aqui chegarem até à meia noite de hoje.
Obrigado a todos pela participação. Vocês são os melhores leitores do mundo!

Sugestão do dia

Pshhht...ó menina!