quinta-feira, 25 de março de 2010

O Rio de Janeiro continua lindo?


Está a decorrer no Rio de Janeiro, desde segunda-feira, o Fórum Urbano Mundial das Nações Unidas. Durante toda a semana a ( qualidade de) vida na cidade estará no centro das discussões. Desde que a ONU Habitat criou este Fórum, o debate tem sido feito em torno dos princípios da Carta de Aaalborg, também conhecida como Carta da Sustentabilidade das Cidades Europeias de que reproduzo este parágrafo:
"Nós, cidades, compreendemos que o conceito de desenvolvimento sustentável nos ajuda a adoptar um modo de vida baseado no capital da natureza. Esforçamo-nos para alcançar a justiça social, economias sustentáveis e sustentabilidade ambiental. A justiça social terá que assentar, necessariamente, na sustentabilidade económica e na equidade que, por sua vez,requerem sustentabilidade ambiental”
Ao longo dos anos, têm surgido novos temas como a segurança, a cidadania ou a igualdade do género.
O debate sobre a vida na cidade já há muito que me atrai particularmente, porque o modo de desenvolvimento urbano permite aquilatar a qualidade de vida de um povo e o seu civismo. Poluição.Qualidade dos transportes. Disciplina do tráfego. Planeamento urbanístico. Ruídos. Lixos. Espaços verdes. Peões. Equipamentos de lazer. Todos são actores da vida citadina.
Se viver na cidade já não é o que era, porque os engarrafamentos, os transportes caóticos, ou a poluição, estão a transformar a vida na cidade um autêntico inferno, a verdade é que todos a procuram em busca de melhores condições de vida.Vamo-nos lamentando e apontamos o dedo acusador para aquilo que está mal e deveria estar melhor. Queremos que a vida na cidade seja mais apetecível...Mas será que fazemos tudo para isso?
Pensava sobre estas questões enquanto lia notícias e mails que me chegavam do Rio de Janeiro na segunda-feira, quando tive uma ideia que não prometo concretizar, mas vou fazer um esforço…Em Abril iniciarei no CR a série " Cidades da Minha Vida" e, simultaneamente,gostaria de lançar um debate no CR, sobre a vida nas cidades, lançando pistas sobre situações que degradam a vida das cidades e o que cada um de nós pode fazer para evitar essa degradação. Por agora, deixo-vos aqui um desafio:
- Qual é a vossa cidade preferida ( portuguesa ou estrangeira) e porquê?E já agora, porque não contam, nos vossos blogs, uma história sobre a vossa cidade preferida, ou um episódio interessante que tenham vivido durante uma visita a essa cidade? Se aceitarem o desafio e me comunicarem ( a partir do dia 5 de Abril) o que escreveram, farei aqui o link para a vossa história. Valeu?

Portugal no feminino (19)

Amália Rodrigues
(1920-1999)


Sobre Amália Rodrigues não há nada a acrescentar a tudo quanto já foi dito. No entanto, queria nesta homenagem às mulheres portuguesas, que se aproxima do fim, incluir outros nomes de fadistas que mereceriam destaque nesta rubrica. Fadistas que aprecio ( devo confessar que embora reconheça a Amália o estatuto de "diva" não é uma figura que considere particularmente simpática) e com as quais aprendi a amar o Fado: Hermínia Silva, Ada de Castro, Argentina Santos, Lucília do Carmo, Maria da Fé, Teresa Noronha, Teresa Silva Carvalho ou, mais recentemente, Marisa, Mafalda Arnauth, Katia Guerreiro, Cristina Branco, Ana Moura e aquela que para mim é, hoje em dia, a melhor fadista portuguesa ( vão lá ver..)

Blogs no feminino (19)

Quem és tu de novo? Tentem encontrar a resposta seguindo a pista da minha sugestão de hoje