sexta-feira, 12 de março de 2010

Estão à espera de quê?

Já aqui expressei a minha opinião sobre o bullying. A violência na escola é tão antiga quanto a escola. Há, porém, uma grande diferença. Noutros tempos os professores eram respeitados, hoje são enxovalhados, ameaçados e agredidos pelos alunos. Ser professor é uma das profissões mais nobres, mas houve dois factores que contribuíram manifestamente para a deterioração do ambiente escolar.
Por um lado, há professores sem as mínimas capacidades pedagógicas para exercer a docência. Por outro, a autoridade do professor tem sido sucessivamente posta em causa. Não se podem atribuir culpas exclusivamente a este governo, mas foi Maria de Lurdes Rodrigues quem deu a machadada final na autoridade dos professores, desvalorizando episódios como o do Carolina Michaelis. e encetando uma luta ignóbil contra os professores, onde não faltaram suspeições e acusações torpes sobre as suas capacidades profissionais.
Um país que desacredita os seus professores, está a hipotecar o futuro. Cenas como esta divulgada hoje no "Público"( por que razão é que os jornais, tão lestos a divulgar o caso de Mirandela, só agora noticiam o suicídio de um professor vítima de bullying?) têm que ter consequências para os alunos e para quem, dentro da escola, desvalorizou as queixas do professor. Mas os pais não podem ficar impunes, porque também têm a sua quota parte de responsabilidade nesta escalada de violência nas escolas.
Ou alguém pára com isto já, assumindo a necessidade de restabelecer a autoridade nas escolas, ou um dia destes esta espiral de violência acaba mal. Os exemplos que vêm de lá de fora deveriam ser um sinal de alerta suficiente para se tomarem medidas por cá. Ou vão ficar à espera de uma chacina numa escola portuguesa, para depois carpir sobre a tragédia e, de voz inflamada, tomar medidas drásticas?

Portugal no feminino (10)

Florbela Espanca
(1894-1930)

Ser poeta

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior

Do que os homens! Morder como quem beija!

É ser mendigo e dar como quem seja

Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!
É ter de mil desejos o esplendor

E não saber sequer que se deseja!

É ter cá dentro um astro que flameja,

É ter garras e asas de condor!
É ter fome, é ter sede de Infinito!

Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...

É condensar o mundo num só grito!
E é amar-te, assim, perdidamente...

É seres alma, e sangue, e vida em mim

E dizê-lo cantando a toda a gente!

( Florbela Espanca)

A Mulher do Mundo que escolhi para hoje é contemporânea de Florbela Espanca.


Blogs no feminino (10)

Tem o nome do título da canção que nos vai representar em Oslo no Festival da Eurovisão, mas já conheço este blog há muito mais tempo. Chama-se, como já perceberam " Há dias assim". Visito-o com frequência e sempre com a certeza de que lá vou encontrar alguma coisa que me enriquece e faz sentir melhor. Vão lá ver...