segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Há qualquer coisa de novo no ar...


É sempre motivo de alegria ver regressar ao blogobairro um vizinho que, por uma ou outra razão se ausentou. A alegria ainda é maior, quando se trata de uma vizinha com quem mantínhamos uma especial relação virtual. É esse o caso. Para quem ainda não saiba, está de regresso a Fada que sempre trouxe ao blogobairro uma magia especial. Por qualquer conjugação astral, o seu regresso coincide com o dia em que escrevi um post , onde falo de contos de fadas. Ainda diz a outra que não há coincidências…

Vem cá ver como é, pá!

Se o homem vivesse neste país, tinha um colapso certamente...

Caderneta de cromos (14)


Esteve em silêncio durante muito tempo, preparando a sua saída da liderança do PSD, pela porta pequena. Na última semana voltou a falar e demonstrou, uma vez mais, que a sua credibilidade aumenta, quando se remete ao silêncio.
Depois de ter afirmado que o OE tem algumas medidas credíveis, mas não merece credibilidade, rematou com chave de ouro, dizendo que o país precisa de estadistas e não de políticos. Além do efeito “boomerang”, estas declarações são um ataque ao seu próprio partido. Belmiro de Azevedo respondeu-lhe à letra, numa entrevista à “Visão”. MFL foi durante toda a vida funcionária pública, age e pensa como tal. Não é o facto de de ganhar ( apenas em pensões) mais do que o primeiro ministro, que lhe confere credibilidade.
Um erro de “casting” na presidência do PSD, não vai deixar saudades. Nem ao partido ( com excepção de Pacheco Pereira), nem ao país. Que descanse em paz e goze a reforma milionária.

Mixed feellings


Iniciaram-se ontem, no Porto, as comemorações do centenário da República. Os monárquicos, obviamente, não gostam que a data seja assinalada e não lhes levo a mal por isso. Também não gosto que alguns marmanjos comemorem o 28 de Maio, mas também os comprendo. O que já tenho alguma relutância em aceitar, são as críticas de alguns monárquicos que continuam a defender que se vivéssemos em Monarquia estaríamos muito melhor. Trata-se apenas de "feellings", sem qualquer fundamento para além da Fé.
Tenho "mixed fellings" em relação à Monarquia. Por um lado,custa-me aceitar viver num regime onde umas famílias, cheias de títulos nobiliárquicos, vivem à conta sem fazerem nada pelo país. Por outro, parece-me porreiro viver num país onde os sapos podem virar formosas princesas, quando são beijados por belos e musculados príncipes. ( A inversa também é verdadeira, só que as princesas nunca são musculadas, nem têm pelos no peito, graças a Deus) O mais cativante - e nada de somenos-é que são felizes para sempre.
Vou pensar no assunto, da próxima vez que vir um sapo.