segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Pelo país dos blogs

Muito se tem escrito e falado sobre Sakineh Ashtiani, a iraniana condenada à morte por apedrejamento, depois de ter sido acusada de adultério e de cumplicidade na morte do marido. Uma Domadora de Camaleões narra-nos uma outra história, que merece mais do que um mero assentimento. Porque é uma história de intolerância religiosa que nos devia provocar idêntica indignação, mas a que o Ocidente tem votado a um confrangedor silêncio.

7 comentários:

  1. Carlos!

    Quanto às ameijoas, deixei um comentário no próprio texto, e desde já te agradeço a gentileza de me esclarecer. Visitei o blog da Domadora de Camaleões. Que coragem! Admirável. E o resto do mundo faz ouvidos moucos. Impressiona-me tudo isso. Um constrangedor silêncio. Imagino os acordos absurdos e inimagináveis que há por trás desse silêncio.

    Beijo Carlos

    ResponderEliminar
  2. Meu amigo:
    Fico sempre fascinada por blogues com a dimensidão humana revelada pela "Domadora de Camaleões" que não conhecia. Só gostava que o meu tempo para estar aqui fosse elástico para poder apreciá-los todos como merecem.
    Fico chocada quando leio notícias destas porque vejo a pequenez do ser humano e a grandeza da maldade.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Muito bem lembrado!
    E assim como ela, existem muitas mulheres sofrendo todo tipo de perseguição injustificada e eu nunca vejo justificativa na intolerância, embora ainda tenha muita gente que sem questionar, aceita e apóia.

    ResponderEliminar
  4. É verdade que a história da Sakineh Ashtiani tem circulado mais na blogosfera e no Facebook, mas também é muito duvidoso que a mulher seja adúltera ou cúmplice na morte do marido - as confissões valem o que valem, nesses regimes!

    Esta história é igualmente mirabolante e até mais injusta, do ponto de vista da culpa da mulher, mas sem divulgação quem adivinha? Parabéns, à Domadora de Camaleões, por "dar à luz" outra faceta que alguns preferem esconder... ;)

    ResponderEliminar
  5. Desconhecia por completo mais esta atrocidade contra as mulheres e absoluto fanatismo religioso. Lamento mais uma vez que passados mais de dois mil anos supostos factos passados na época moldem e adulterem mentalidades.

    ResponderEliminar
  6. Há um Ocidente envergonhado....Obrigada por me ter feito descobrir mais um blog tão interessante.

    ResponderEliminar