terça-feira, 12 de outubro de 2010

E esta, hem?

Só venho para vos dar uma notícia que a imprensa portuguesa ( sempre tão preocupada com os ditadores sul-americanos) provavelmente não dará, porque não interessa nada... Então aqui vai:
Vários organismos internacionais, incluindo a ONU, acabam de reconhecer que Hugo Chavez foi o líder latino-americano que, nesta década, mais combateu a pobreza e mais conseguiu reduzir as desigualdades. Apenas um exemplo: quando Chavez subiu ao poder, a percentagem de lares abaixo do limiar de pobreza era de 54%. Em 2007 era de 37, 9%.
Já agora, aproveito para informar que o último relatório do PNUD referente ao Indice de Desenvolvimento Humano (IDH) revela que, em 2007, a Venezuela ultrapassou países como o Brasil, Colômbia e Peru, na América do Sul, ou Rússia, Turquia, Roménia e Bulgária,na Europa, ocupando a 58ª posição. Em 1999 ocupava a 69ª posição.
Grande chatice para os jornalistas do internacional da nossa imprensa não é? Pronto, ponham lá uma notícia a criticar Chavez por ter encerrado mais uma televisão, porque isso é que é verdadeiramente importante. A redução da pobreza que se lixe! ( apesar de este ser o Ano Europeu de Combate à Pobreza e Exclusão Social)

24 comentários:

  1. É por isso que eu gosto do Chavez... tem um estilo muito próprio que tem, há um bocado censura pois há... mas pegou no $$ do petróleo e, em vez do lucro ficar em meia dúzia de bolsos como acontece nos outros sítios, criou programas sociais de combate à fome, de educação, etc. Estão aí os resultados...

    ResponderEliminar
  2. Nãp morro de amores por Cheves, mas reconheço o trabalho que tem feito.
    Só que nós sabemos os jogos de intereses atrás da manipulação efectuada pelos órgãos de "informação.
    Boa semana.

    Se puder eliminar as letras de verificação, ficarei muito grata.

    ResponderEliminar
  3. Pois é ....!
    [mas lá que o homem não me inspira confiança, lá isso....]

    :)))

    ResponderEliminar
  4. Carlos, óptima informação que não deverá efectivamente aparecer, por estes lados.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  5. Carlos
    Outras considerações à parte, foi bastante oportuno. Eu que vou lendo umas coisas por aí, não conhecia este dado.
    Fez muito bem em recordar o nosso F.Pessa.
    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Não gosto do Hugo Chavez, e tenho razões para isso, mas tal não me impede de reconhecer que deve ter algumas "qualidades", então se estiverem direccionadas para o melhoramento da qualidade de vida do povo é excelente.

    ResponderEliminar
  7. Meu amigo.
    Como são importantes os seus "comunicados".
    A sua lucidez e conhecimento faz falta à blogosfera, porque andamos a precisar de vozes esclarecidas e atentas.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Quer dizer... acho que o caso deveria ser analisado por partes. Enquanto dirigente de uma nação, Chavez será um exemplo a seguir tendo cumprido objectivos a que se propôs. Da mesma forma, o governo de Salazar foi admirável, pois a sua política de educação ensinou a ler e a escrever um país analfabetizado.
    Enquanto políticos, não deixam de ser ditadores. Enquanto Chavez mantém a barriga cheia das famílias de classe mais baixa, aproveita para disseminar a sua propaganda, evita revoltas contra o seu governo, assentado-se indefinidamente no poder.
    Da mesma forma, o Salazar ao alfabetizar as pessoas, deturpava o seu sentido de História e realidade.
    É certo que a nossa suposta liberdade é muito mais condicionada do que pensamos. Somos manipulados de toda e mais alguma maneira, mas temos sempre o poder de falar e dizer: Não!
    Sou nova, nunca vivi numa ditadura, mas isso parece-me uma liberdade da qual não estou disposta a abdicar.
    Também acho que as alturas de crise são sempre muito perigosas, a popularidade dos fundamentalismos (sejam de esquerda, ou direita) cresce sempre entre a população. Portanto, enaltecer políticas ditatoriais não me parece correcto.

    ResponderEliminar
  9. Lá algumas qualidades governativas o ditadorzeco deve ter pois, mesmo que a nossa imprensa o pinte sempre da mesma forma, não me parece que os venezuelanos o deixariam governar a seu belo prazer.

    ResponderEliminar
  10. Para a Helena
    Minha cara, sem qualquer intenção de entrar em polémica, permita-me fazer um comentário ao seu.
    Creio que há algum equivoco no que concerne à politica de educação de Salazar. Nós que até andámos na mesma escola, embora em épocas bastante diferenciadas no tempo.
    Digo-lhe só que no meu tempo (que foi em parte o tempo de Salazar) fiz a 4ª classe com 10 anos ingressando logo no mercado de trabalho, no M.P.Roldão. Se quiz estudar mais alguma coisa, foi durante a noite, depois de deixar de trabalhar por turnos.
    Acho que quem lhe disse que a politica de Salazar não era isto, a enganou.
    Claro que estou a falar de quem nasceu numa familia operária, cujos rendimentos eram muito modestos. Mas digo-lhe mais. Nesse tempo esta situação era a da generalidade das crianças da nossa terra. Claro que havia excepções, mas olhe que não eram assim tantas.
    Desculpe qualquer coisinha.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  11. O facto é que esses "jornalistas" de tanto martelarem nas mesmas coisas acabam por levar a água ao seu moinho. Até conseguem pôr aqui na caixa de comentários alguém a comparar Chavez com Salazar. Vou ali respirar um pouco de ar fresco e volto logo logo...

    ResponderEliminar
  12. Humm! Já vi que as coisas estão a aquecer por aqui. lol lol.

    ResponderEliminar
  13. Contra factos não há argumentos. Ainda bem que o fez.Porém, isso não invalida que é um ditador.
    Mas este tema dava muitos post

    ResponderEliminar
  14. Contra factos não há argumentos. Ainda bem que o fez.Porém, isso não invalida que é um ditador.
    Mas este tema dava muitos post

    ResponderEliminar
  15. Folha Seca, o que sei é apenas fruto de estudos e, claro, do que os meus pais me contam.
    O que sei é que os meus avós, no tempo dos reis, nunca foram à escola, os meus pais, filhos de agricultores, em situação muito pior do que operários, não teriam tido hipótese de frequentar a escola até à 4ª classe, senão fosse o Estado Novo.
    A 4ª classe é pouco, claro está, mas faz toda a diferença entre saber, ou não, ler.

    ResponderEliminar
  16. Já que ele cá vem é bom perguntarem-lhe como é que ele fez!

    ResponderEliminar
  17. Apesar de ter tendências radicais, não gosto de julgar e muito menos condenar o outro. Pessoalmente não gosto da figura do Chavez, nem do seu discurso e muito menos de suas atitudes pouco democráticas, mas temos de convir que diminuir 16% do índice de pobreza do país é bastante.
    E existe uma linha de pensamento que diz que não é possível fazer omelete sem quebrar ovos.

    ResponderEliminar
  18. Carlos,
    Continuo a achar a criaturinha um ditador execrável.
    Seria curioso perceber, porque a notícia não o explica, se o dinheiro proveniente do petróleo não seria mais do que suficiente para ter percentagens ainda mais elevadas no combate à pobreza e à exclusão social.
    Abraço

    ResponderEliminar
  19. Bem vindo. Já tinha saudades de ler algo seu.
    Quanto ao post em questão: Viva Chavez e já agora "Por qué no te callas??" é o que apetece dizer.
    Beijo

    ResponderEliminar
  20. Nós queremos sempre mais ! Antpnio variações dizia " só estou bem onde não estou ". Chavez, tem combatido a pobreza, poderia ter feito mais? Se calhar até podia. Criose ao redor de Chavez, que este era um ditador, logo quando oa jornalistas portugueses falarem dele, será só para dar publicidade ao que ele fez de errado. Acontece com todos os ditadores. Desculpem contrariar alguns "comentaristas ", mas foi, é, o que acontece quando se fala de Salazar. Dá a impressão que Salazar nada fez de bom, que este pais só nasceu após o 25 de Abril. Andará muita juventude enganada, até alguns mais velhos estarão enganados. salazar cometeu excessos? Ninguém duvida! Fez coisas boas pelo povo? Só duvidam os mal intencionados. Enriqueceu à conta do estado? Não ! E hoje?

    ResponderEliminar
  21. Pela imprensa portuguesa não passou, nem passará, tal informação, como o mesmo aconteceu, certamente, noutros países. É igual a cartilha porque muitos jornalistas do internacional (e não só!) se regem!
    Quando Chavez chegou ao poder disse que ia combater a doença, o analfabetismo, a desnutrição e a pobreza do seu povo. E fê-lo!
    Porque se revelou ser contra o capitalismo, os Estados Unidos logo o consideraram um autoritário, não respeitador dos direitos humanos, uma ameaça à Democracia na América Latina, personagem a "resolver", portanto!
    Tanto bastou para que a matilha desatasse a morder!
    A postura de Hugo Chavez, o seu modo solto de falar e agir,e na minha opinião por vezes impensado,e para alguns até "pouco educado", suscita ódios e paixões, é certo!
    Mas tal não chega para que o classifique como ditador. Para além de Portugal até ao 25 de Abril, já andei por países com regimes ditatoriais. Sei bem o que isso é.
    Encontro nos comentários referências a Salazar.
    Pois é...!
    Um abraço, Carlos. Bem haja por ter editado este post.

    ResponderEliminar
  22. ... Uma chatice, realmente...
    E apesar do Brasil estar a baixo, como refere, também está entre os primeiros, o que também é muito chato. Isto dos operariozitos, ainda por cima esquerdalhos porem um país a funcionar é uma grande chatice, lá isso é...

    ResponderEliminar
  23. Vou fazer link, Carlos :)
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar