quarta-feira, 27 de outubro de 2010

A dúvida

De visita à Alemanha, o presidente chileno Sebastien Piñera escreveu no livro de hóspedes da presidência alemã: " Deutschland über alles".

A imprensa portuguesa diz que foi uma gaffe.A imprensa portuguesa tem esta particularidade: quando uma figura que lhe é grata diz uma bacorada, é uma gaffe. Quando a figura lhe é antipática diz que é ignorância. Neste caso não foi gaffe, nem ignorância. Foi convicção mesmo. Se a imprensa portuguesa andasse atenta ao que se vai passando lá por fora, sabia que Sebastien Piñera manifestou a sua admiração por Pinochet durante a pré -campanha eleitoral no Chile.

Não sei no entanto dizer se a forma como a notícia foi veiculada na nossa imprensa foi gaffe, ignorância, ou... preguiça!

11 comentários:

  1. Esta é que eu não sabia... estou aparvalhada!

    ResponderEliminar
  2. Por ignorância Piñera escreveu a expressão "Deutschland über alles" (A Alemanha acima de tudo), no livro de visitas do presidente alemão, Christian Wulff.
    Coitado!!!
    Ele não tinha consciência de que esta frase está muitíssimo ligada ao passado obscuro deste país.
    O que ele queria era agradecer a ajuda da Alemanha após o terremoto que devastou o Chile em fevereiro, assim como mostrar a sua gratidão pelo auxílio que recebeu durante o resgate dos 33 mineiros que ficaram presos numa mina no deserto.

    Ainda estive para colocar esta notícia no "ematejoca azul", mas acabei por publicar a notícia da morte do Paul, que não cheguei a conhecer, e ele que morava tão perto de Düsseldorf.

    ResponderEliminar
  3. Carlos,

    Acho que é mal da imprensa, tanto cá como aí. Distorcer fatos, criar factóides, inventar, disfarçar (dependendo do interesse), desinformar, confundir e esconder. Tudo, na maioria das vezes, pautado por interesses comerciais. Infelizmente, eu sou uma pessoa que desacredita da imprensa, salvo raras e honrosas exceções. Ouso dizer, mesmo as raras e honrosas exceções têm seus interesses. Nada contra ter interesses. Mas usar um veículo de informação, de alcance popular, para transmitir opiniões como se fossem isentas e imparciais... é demais! Para divulgar notícias criadas/inventadas com tais e tais objetivos. Não engulo. Vejo sempre com a máxima cautela e extremo receio.

    Beijo

    Carla

    ResponderEliminar
  4. Bom dia, Carlos.
    Não me surpreende, ou melhor ..., já nada me surpreende ...

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  8. A imprensa bem que poderia ter chamado de lapso freudiano ou então parapráxis.

    ResponderEliminar
  9. Carlos,
    Enviei-lhe, agora, um longo texto, pedindo desculpa pelo espaço, mas senti necessidade de fazê-lo. Acontece, porém, ter recebido a mensagem "página não encontrada pela web", perguntando-me se não será pela sua extensão. Se o recebeu, agradecia me informasse para askformizita@gmail.com, porque se trata duma dúvida (esta dúvida é minha) que gostaria de ver esclarecida, por curiosidade.

    ResponderEliminar