quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Imagens da nossa Memória (ESPECIAL)


Faz hoje 22 anos que ardeu o Chiado. Mesmo longe, não consegui conter as lágrimas quando soube a notícia. Felizmente, reergueu-se das cinzas.

9 comentários:

  1. Também estava longe quando soube da notícia.
    Obrigada por não nos deixar esquecer.

    ResponderEliminar
  2. Eu estava na Nazaré de férias com a família.
    Soube-o na padaria, entrei em casa sem pinga de sangue e acordei toda a gente.
    E ali ficámos cheios de espanto e horror, frente à televisão, a olhar para aquela tragédia!
    Adoro o Chiado!

    ResponderEliminar
  3. Carlos,
    Existem imagens na minha vida que defronte do meu olhar o meu peito oprime-se e, algema a minha alma onde a prece comungada é pressagiada.

    O incêndio do “Chiado” inflamou-me semelhante estado de alma.

    Um aprazível dia para si.

    Ana

    ResponderEliminar
  4. Nesse dia fiz uma viagem de Santiago de Compostela para a Nazaré, onde o resto da família estava de férias.
    Se não me engano, também por essa altura Rosa Mota foi campeã olímpica da maratona e ocorreu o acidente que vitimou Carlos Paião.
    A vida é mesmo assim!

    ResponderEliminar
  5. A minha cidade ardeu e a verdadeira história do incêndio ficou por contar...

    ResponderEliminar
  6. Carlos,
    Se me lembro: estava em Macau e senti a dor da perda de uma zona emblemática de Lisboa.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  7. Reergueu, sim, mas alguma coisa do velho Chiado se perdeu. Nomeadamente aquelas ruas cheias de música das discotecas, que entretanto desapareceram...

    Mas é assim, mudam-se os tempos...

    ps - obrigada pela dica, depois de ter publicado o meu texto sobre o Chiado vi que tinha uma gafe no título, emendei depois de aqui passar de fugida: a minha matemática anda enferrujada... :D

    ResponderEliminar