terça-feira, 24 de agosto de 2010

Imagens da nossa memória (24)


Quem é que não tem uma viagem (ou alguns momentos agradáveis) para recordar a bordo de um Citroen 2CV, de um Fiat 127, ou mesmo de um Fiat 500 ou de um Mini? Vá lá, contem-nos tudo...

14 comentários:

  1. O meu primeiro carro foi um Fiat 600.
    Abria as portas no sentido inverso ao que é hoje habitual, custou 9 contos, tinha o cano de escape preso com uma placa de cimento.
    Foi virado do avesso por uma equipa de amigalhaços e ficou impecável.
    Feitas as contas, no final ficou a custar 35 contos.
    O mais caro do carro? O volante!!
    Andei com ele 4 anos, até se partir a suspensão.
    Ainda assim, vendi-o por 65 contos.
    E comprei uma Dyane.
    Custou 120 contos numa quinta-feira e o Totoloto "pagou" 118 no sábado.
    Andei com o carro 4 anos, comprei um Alfa Romeo, mas não vendi a Dyane.
    Deixei-os em Portugal quando vim para Macau.
    Pedi ao meu pai para vender o Alfa Romeo, mas para guardar a Dyane.
    Infelizmente, vendo que a Dyane se estava a deteriorar, vendeu os dois.
    Memórias Carlos?
    São tantas!!!
    Muitas que até não se podem contar.

    ResponderEliminar
  2. O Mini é um carro espectacular!
    O meu pai tem um que comprou em 1973 e ainda é o carro com que anda nas "voltas" da cidade.
    Foi nele que, a estrear carta de condução, aprendi realmente a conduzir. E o barulho daquele motor!? Inesquecível!

    ResponderEliminar
  3. Eheheh, o meu pai tinha um morris mini azul claro com tejadilho branco, era nele que fazíamos a viagem Lisboa-Vila Praia de Âncora, em que saíamos de manhã e chegávamos lá à hora do jantar, pelas estradas nacionais, que auto-estrada existia somente até Vila Franca de Xira... :)))

    Uma aventura!!!

    ResponderEliminar
  4. Carlos

    Apesar de não estar de férias, há por aqui uma certa "mornice" que me permite ir dandos uma voltas, com mais frequência por alguns dos meus blogs de referência onde o CR se inclui, como é evidente.
    Quero felicitá-lo pelas suas "Imagens da memória" pois as mesmas fazem-nos reviver parte da nossa vida e recordar acontecimentos há muito adormecidos.
    Sobre automóveis. Só aos 31 anos tive o meu primeiro carro novo. Até aí eram só chaços e todos deixaram história.
    Dos que refere: 2 Minis (850)um Fiat 500 topolino, (ainda resta uma foto)dos primeiros com motor à frente. Um Fiat 127 e mais um de cada uma das marcas praticamente existentes no mercado. Assim a contar pelos dedos, em 2ª mão (alguns a caír aos bocados) foram para aí uns vinte. Novos talvez já outros tantos. Acresce que desde os 27 anos que a minha profissão exige grande mobilidade (vendedor e afins) o que não deve ser de extranhar o numero.

    ResponderEliminar
  5. As memórias destes são relativamente recentes, se assim posso dizer. As mais longínquas prendem-se a outras máquinas.
    Aprendi a conduzir, aos 15 anos, num Studebaker descapotável (como se dizia na altura)de 8 cilindros em V, de meu pai. Quando o trocou, passei para o volante de um Chevrolet, acho que modelo Bel Air, se a memória me não está a pregar uma rasteira. Antes de tirar a carta ainda peguei num Buick e num Ford Cortina. O primeiro automóvel por mim adquirido foi um Austin A40,em segunda mão, também descapotável. Era um carro maravilha! Foi no seu banco traseiro, parado no Miradouro da Lua, a Norte de Luanda, que...,bom mais isso é outra história!
    Que saudades do A40!
    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Vale Fiat 147...mas esse eu não conto...agora uma Brasília Branca, algo entre 70 e 80, essa eu conto depois num post, porque a história é looooonga, embora eu tenha ficado com o carro somente um dia :o)

    ResponderEliminar
  7. Quando vejo um Citroen 2CV lembro-me sempre do Duarte & Companhia. Grande série.

    ResponderEliminar
  8. Eu tive um Fiat 127 cor de ervilha, foi o meu primeiro carro...já não me lembro da matrícula:):):)

    ResponderEliminar
  9. Um mini... e que saudades!

    A minha mãe tinha um vermelho e eu chorei quando o vendeu...

    Aquele mini corria mundo, atulhado de coisas e gente e sempre a rodar!

    ResponderEliminar
  10. O meu pai teve um Volkswagen que tinha o vidro de traz dividido ao meio, tinha em cima do porta-luvas uma PEGA para nos agarrarmos e os piscas saíam de lado...
    Parece-me que não sei explicar muito bem...mas, para quem conhecer o modelo vai recordar e até acrescentar alguma coisa!!!

    ResponderEliminar
  11. Nunca tive nenhum deles,mas frequentei um 2CV nos ídos do nosso PREC, que por acaso até foi incendiado na portagem de Sacavém....
    :)))

    ResponderEliminar
  12. Carlos,
    O meu 1º carro foi um 2 cavalos, verde alface ao qual chamamos "Pampas". Histórias? Terei que fazer um post....!
    É verdade. Logo que o faça aviso.
    Grande carro.
    Beijo

    ResponderEliminar
  13. Pronto, aqui está o meu Mini
    http://desvios6.blogspot.com/2010/08/ele-perguntou-e-eu-vou-responder.html

    ResponderEliminar
  14. Esse Fiat 127 da foto é igualzinho ao nosso velho e fiel companheiro de estrada. Lembro de ter custado novo uns 88 contos e 16 anos mis tarde o meu pai o ter vendido a um amigo meu por 50. Mas tenho tantas e tantas histórias. Com ele cresci, aprendi a conduzir, saí com a primeira namorada, percorri Portugal de lés a lés e conheci terras além fronteiras. Foi o meu primeiro carro. Um belo dia a minha mãe teve um acidente a caminho do trabalho, antes de irmos de férias para o Algarve, o que nos obrigou a alterar os planos de férias. Sem nos apercebermos na altura, e ainda comentámos esse facto, esse "pequeno" acidente mudou o rumo das nossas vidas, para um bom sentido. Acabamos por escolher a praia da Madalena para passarmos férias e assim estar perto da oficina para onde foi reparar os danos. Gostamos do local e no ano seguinte voltamos para lá onde o meu pai comprou uma casa bem pertinho da praia. Ao longo dos anos fizemos muitos amigos e assim conheci o meu amor. Soube que o 127 foi parar à sucata comido pela ferrugem mas que o motor foi aproveitado para outro em melhor estado. Que fantástico carro.

    ResponderEliminar