quarta-feira, 30 de junho de 2010

O TGV de Isaltino


Ao contrário do que o nome sugere, o SATU não é nenhum serviço de saúde, mas sim um curioso sistema de transportes existente em Oeiras que liga a estação ferroviária a um centro comercial. Lembro-me das duras críticas que foram feitas ao projecto quando Isaltino Morais avançou com a ideia, depois de uma viagem à Austrália onde conheceu este meio de transporte.
Entre outras coisas, a oposição dizia que o SATU seria uma inutilidade e que andaria sempre às moscas. Isaltino, no entanto, não descansou enquanto não teve o brinquedo.
Os prejuízos acumulados de 17 milhões de euros ao longo dos cinco anos de funcionamento do SATU e as escassas receitas ( 293 mil euros em 2009!)demonstram que as críticas eram acertadas. Na verdade, era expectável que podendo as pessoas fazer o mesmo percurso de autocarro, utilizando o passe, não estivessem dispostas a fazer um invetimento extra para utilizar o SATU.
A surpresa, no entanto, é que os prejuízos estão a ser pagos exclusivamente pela Teixeira Duarte – o parceiro privado da CM Oeiras neste empreendimento.
Como não acredito em almoços grátis, gostaria de saber qual a contrapartida que a empresa espera vir a receber da CM Oeiras.

7 comentários:

  1. Quantos Isaltinos andam por aí a dar prejuízos e, mesmo assim, tornam a votar neles.
    Até parece que não andam de SATU, mas andam a beber 酒 SAQUÊ ;)

    Bj*s

    ResponderEliminar
  2. Dizes: "espera vir a receber..."

    Eu diria que já deve estar a receber e não é pouco... nem que seja em licenças...

    ResponderEliminar
  3. Onde quer que seja.... tambem eu não acredito em almoços gratis.

    ResponderEliminar
  4. Eu ando sempre de SATU e espero que continue. Pago as minhas viagens, ok?

    ResponderEliminar
  5. A Teixeira Duarte é conhecida pelas suas obras...de caridade?
    Julgo que não, pois não?

    ResponderEliminar