quinta-feira, 6 de maio de 2010

Rua dos Cafés (2)

Café Majestic (Porto)






Não era o "meu café" quando vivia no Porto, embora fosse lá quase todas as semanas para "dois dedos de conversa" e uma eventual partida de bilhar ao princípio das tardes de sábado, antes das sessões de cinema do Cine Clube da Boavista.
Raras vezes entrava por aquela porta da Rua de Santa Catarina, porque a sala que escolhíamos tinha entrada directa pela Passos Manuel. À época o Majestic era apenas mais um café e estava longe de imaginar que se transformaria num ex-libris da cidade do Porto, conhecido além frnteiras e de visita obrigatória para qualquer turista.
Mais sobre o Majestic aqui


11 comentários:

  1. Este, até o levava comigo... para outro planeta :)

    ResponderEliminar
  2. Carlos, lembro-me que entre 1976 e 1980, em estadias prolongadas no Porto, bebia aí o meu simbalino. Contudo o meu poiso era, com frequência, o "Piolho". Mas a verdadeira tertulia, onde os tais dois dedos de conversa aconteciam, era num café (não lembro o nome) na Constituíçao, perto do cruzamento com a Faria Guimarâes. Foi aí que fui desafiado a ingressar na Real Republica dos LySOS...

    ResponderEliminar
  3. As nossas convicções são de certo modo opostas, Carlos. Mas nem por isso, deixo de estar viciada em visitar o seu blogue, que acho excelente. Aqui encontro tudo: desde a polémica política até me ver de novo na minha infância .

    O Majestic era o café frequentado pelos meus pais.
    Mais tarde preferi o Ancâra d' Ouro, conhecido pelo Piolho, que ainda hoje considero o café da minha vida.
    Nessa altura acusei o Majestic de ser o café para os "burgueses" como os meus pais.
    Presentemente o Majestic é a visita obrigatória, que todos os amigos e familiares alemães têm de fazer quando estão no Porto. Tenho centenas de fotografias.

    Mudam-se os tempos, mudam-se as ideias —

    ResponderEliminar
  4. É, provavelmente, a minha maior referência na linda cidade do Porto.

    ResponderEliminar
  5. Olá Carlos,
    O Magestic, que hoje é quase um «monumento» na cidade, era um café para velhadas. Em criança andei muito pelo Rialto (de que tenho saudades), Ceuta e Avis, isto com a família. O meu pai também gostava de ir ao Progresso, onde serviam o melhor café de saco da cidade. A Brasileira também era local de tertúlias e coristas. Eu depois gostava mais do «Piolho», do Orfeu e do Lima 5. O Guarany também teve um restauro interessante. Presentemente gosto de ir tomar café à Foz, nas boas esplanadas, que antes não existiam.
    Manuela

    ResponderEliminar
  6. Adoro estar sentada mo Magestic e ver as pessoa passarem. Mas poça um café é caro para caramba. Mas sempre que vou ao Porto sento-me lá. è muito agradável.kis :)

    ResponderEliminar
  7. Este é obrigatório.
    Tem história.
    E tem uns bolos do caraças!!!

    ResponderEliminar
  8. Uma beleza, sem dúvida!
    Tanto no Verão na esplanada, observando quem passa, como lá dentro no tempo mais frio a degustar um chocolate quente.

    ResponderEliminar
  9. No Magestic gosto de tomar um chocolate quente. Dentro dele sinto-me transportada a um tempo diferente...

    ResponderEliminar
  10. Conheci o Majestic antes de depois. Agora está um mimo. Uma jóia desta cidade. Sempre que posso vou lá, embora vá pouco. Fica-me fora de mão.
    Gosto muito de lá ir.

    ResponderEliminar
  11. Magnífico o Magestic, sempre que vou à Baixa tomo ali um café e deixo-me ficar saboreando aquele explêndido ambiente.

    Aos sábados e domingos vou para a as esplanadas da Foz. Então no Inverno é quando gosto mais, porque as nortadas estão muito menos presentes.

    ResponderEliminar