sexta-feira, 23 de abril de 2010

Portugal ao espelho

Toda a gente na blogosfera faz chacota do discurso de Evo Morales sobre a relação entre o consumo de frangos e a homossexualidade, mas só no Jugular vi alguém insurgir-se contra esta indignidade de um Professor da Faculdade de Direito. Os portugueses gostam muito de se rir dos outros, mas incapazes de se ver ao espelho.

9 comentários:

  1. Um verdadeira lição! ;-)
    Um blogue muito interessante.
    um abraço

    ResponderEliminar
  2. Não foi só no Jugular, caro Carlos.

    O meu filho mais novo, fez o teste e é aluno do Sr. Professor Paulo Otero.
    Ontem debateu-se em família este caso e o meu filho argumentou (e bem) a favor do Regente da Cadeira.

    Isto é apenas um teste e é um caso prático. Nada tem a ver com as opiniões pessoais (tanto do Professor como dos alunos).

    Os alunos tinham que esgrimir argumentos a favor e contra, independentemente dos seus sentimentos pessoais;

    É para isto que servem os casos práticos em Direito, porque os advogados têm que defender TODA a gente.

    "Dos mesmos factos saem histórias diferentes. O que temos de fazer é pegar nos factos e contar uma história que faça com que o outro acredite no mesmo que nós e isso nem sempre acontece. A história acaba por interessar mais. Contar a história errada pode ter consequência muito graves." David Dow, professor na Universidade de Houston e sócio de uma sociedade de advogados que representa presos no corredor da morte.

    Poderia ainda falar mais sobre o assunto, aliás partilhei o texto e o teste no Facebook sob o título: Sem comentários meus ... e comentários vossos?

    I rest my case.

    ResponderEliminar
  3. Ou talvez estejamos, ainda, muito limitados ao que se vê e se fala na comunicação social.
    Ainda não tinha conhecimento desta palhaçada. É uma vergonha que pessoas usem o seu estatuto de poder para fazer valer as suas opiniões.
    Mas ao ler aqueles comentários ainda fiquei mais indignada do que com o teste em si. É uma vergonha o que se pensa neste país.
    Tenho pena que os alunos se tenham sentido pressionados e tenham feito aquele teste, que além de inconstitucional, é um atentado à sua inteligência. Eu não o faria.

    ResponderEliminar
  4. Eu vi no Facebook várias pessoas fazerem-no... nomeadamente a Bad Girl que tem um blogue.
    Lamentável, para não dizer pior, a "atitude" tomada pelo professor...
    Abracinho

    ResponderEliminar
  5. Pois é! Os portugueses deveriam atentar aos próprios equívocos...

    ResponderEliminar
  6. O ser humano pode ser um deus ou uma besta. Neste caso, quase estou a ofender as bestas...

    ResponderEliminar
  7. Já retirei a forma da configuração programada no meu portátil, cuja existência eu desconhecia.
    Diga-me, por favor, se ainda recebe esses "malditos" links?
    Muito obrigada!

    ResponderEliminar
  8. Como é que dizia o Manuel Machado? Um cretino, é um cretino?
    Está tudo dito.

    ResponderEliminar
  9. Também li no Facebook! :)

    A minha sobrinha mais velha também anda no 1º ano da FDL, embora ela tenha o professor Jorge Miranda (julgava eu que era azar dela, que ele continua com a mania de impingir as suas preferências musicais e literárias aos alunos), ainda hoje ao almoço falámos deste caso.

    Como sempre, alguns alunos indignaram-se, outros não ligaram e outros ainda brincaram com o caso. E alguns puseram lá um catrapázio no átrio com a seguinte pergunta: "uma rosa pode casar com outra rosa, se o jardineiro deixar?"

    Enfim, concordo que a "brincadeira" do professor é de muito mau gosto! Especialmente porque nas entrelinhas se está a comparar homossexualidade com bestialidade...

    ResponderEliminar