quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Prémios Escorpião de Ouro



Cumprindo a tradição do Rochedo, aqui fica a divulgação dos prémios Escorpião de Ouro, destinados a galardoar alguns dos cromos do nosso universo luso e também além-fronteiras.


Prémio Solidariedade- Atribuído, ex-aequo, a Cavaco Silva e José Sócrates pela forma como se têm empenhado em alimentar a fofoca e a intriga palaciana, descurando os verdadeiros problemas do país.
Prémio Marretas- Também ex-aequo, para Marcelo Rebelo de Sousa e António Vitorino, pelas suas prestações semanais na RTP 1
Prémio Homofóbico do ano -Professor Mário Pinto por esta frase escrita no “Público” "Pelo menos no aspecto essencial da reprodução, uma união de um par homossexual não é igual a uma união de um casal humano"
Prémio à noite logo se vê- Gen. Valença Pinto. Quando lhe perguntaram para que iriam servir os submarinos comprados por Paulo Portas respondeu: "Quando chegarem, veremos"
Prémio Restaurador Olex-Sílvio Berlusconni. Depois de ter sido agredido, o pm italiano passou de algoz a vítima num ápice.
Prémio Revelação- Carolina Patrocínio, a mandatária da Juventude do PS, que anunciou só comer cerejas depois de a empregada lhes tirar o caroço.
Prémio Não Matem o Mensageiro – Fernando Lima. O protagonista das “escutas” acabou por ser promovido, depois de embaraçar o PR, com as encomendas de notícias ao jornal “Público”.
Prémio Velho do Restelo- Medina Carreira, pela simpatia que conseguiu granjear junto dos portugueses, graças às suas intervenções generalistas e muitas vezes não fundamentadas que contribuem para arruinar a confiança dos portugueses.
Prémio Second Life- Isaltino Morais. Condenado a sete ano de prisão, conseguiu convencer os eleitores a reelegê-lo presidente da Câmara de Oeiras .
Prémio Olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço- Manuela Ferreira Leite, pela campanha eleitoral do PSD para as legislativas
Prémio Acólito do Ano- Vital Moreira. Será preciso explicar porquê?
Prémio Agarrem-me senão…- José Sócrates. Depois de ter perdido a maioria absoluta, vestiu o papel de vítima e passou a ameaçar diariamente a possibilidade de demissão do governo, se a oposição não se portar bem.
Premio Já não se Aguenta- Pacheco Pereira pelas suas prestações na Quadratura do Círculo, as suas colunas no “Público” e as suas afirmações públicas, um pouco por toda a parte. Consta que, em tempos, o homem teve um blogue.
Prémio Tirem-me Daqui- Nascimento Rodrigues. Obrigado a meter atestado médico e abandonar as funções, para forçar PS e PSD a nomearem um Provedor de Justiça que o substituísse.
Prémio Ó Abreu dá cá o meu- Paulo Portas, pela proposta de entregar o subsídio de desemprego às empresas que contratem trabalhadores sem termo.
Prémio Perdoa-me- Manuela Ferreira Leite. Depois de ter dito de Santana Lopes, o que Maomé não disse do toucinho, a líder laranja escolheu-o para candidato do PSD à Câmara de Lisboa e acabou o ano a tecer-lhe rasgados elogios pelo empenho revelado na convocação de um Congresso Extraordinário do PSD.
Prémio Mala Educación- Para o príncipe Harry, obrigado a frequentar um curso anti-xenofobia nas forças armadas britânicas, para ver se ganha tento na língua.
Prémio melhor Encenação- Dias Loureiro pelo excelente papel desempenhado na entrevista a Judite de Sousa, a propósito do caso BPN.
Democrata do Ano- Alberto João Jardim. MFL considerou a Madeira um exemplo de democracia.
Prémio "Disse-me uma Joaninha"- Manuela Moura Guedes. Graças ao caso “Freeport”, passou a ser reconhecida por uma boa parte dos portugueses como uma grande jornalista.
Prémio Abrupto- Juiz de Guimarães que condenou Alexandra ao degredo na Rússia e depois disse estar chocado ao ver as imagens de maus tratos que a mãe lhe inflingia.
Prémio Quando o telefone toca- Pinto Monteiro, pela rocambolesca história das escutas.
Descoberta do ano- Obama. Pela sua nomeação para Prémio Nobel da Paz.
Prémio Pinóquio- Em virtude de continuar a existir uma extensa lista de candidatos a este prémio, mais uma vez deixo a escolha aos leitores, que se poderão pronunciar até ao dia 8 de Janeiro, votando no candidato da sua preferência. No dia 1o anunciarei o vencedor.