segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Caderneta de cromos (9)

Talvez vos pareça injusto incluir o Pai Natal nesta caderneta de cromos. Na opinião de alguns, seria muito mais apropriado nomear Cavaco Silva, como recompensa pelas tristes declarações a propósito da proposta de lei do PS sobre o casamento dehomossexuais. Fiquem sossegados os desiludidos. O Pai Natal também fala para as câmaras enquanto come bolo rei e não faltarão oportunidades para nomear Cavaco. Há ainda outra semelhança entre o Pai Natal e Cavaco Silva. O primeiro é um dos grandes responsáveis pela transformação do Natal em festa do consumo e o segundo, na campanha eleitoral de 1987,disse aos portugueses que se não votassem nele, lá se iam os frigoríficos e as máquinas de lavar!
De qualquer modo, não é o Pai Natal genuíno, aquele que faz as delícias de muitas crianças, que eu incluo nesta caderneta. São os cromos mal amanhados, responsáveis pela proliferação de “Pais Natal”, que justificam a escolha. Entrar numa loja, num restaurante, ou num supermercado e ver os empregados com barretes do Pai Natal desprestigia a imagem de uma figura que devia ser mais preservada. Claro que há excepções. Se, por exemplo, encontrar uma empregada assim mascarada, ainda sou capaz de a convidar para cear comigo no dia 24…




Agora tropeçar em Pais Natal em cada esquina é contrafacção e isso é uma coisa que me irrita. Prefiro figuras genuínas, sem réplicas, como a que escolhi para figura da semana. É ela que personifica, efectivamente, o espírito do Natal.

A caminho do México


Esperava muito mais da Cimeira de Copenhaga. Como aqui vos disse, estou habituado a que o desânimo se instale nestas situações mas, no final, se chegue a um acordo. Desta vez não foi possível e a Cimeira saldou-se por um rotundo fracasso. Convém, no entanto, lembrar que o protocolo de Quioto está em vigor até 2012 sendo possível, até lá, chegar a um entendimento susceptível de travar o aquecimento global nos limites dos 2º C. Se isso não acontecer, é certo que vários países vão desaparecer do mapa até final do século.Embora Portugal não corra esse risco, é de esperar que o aquecimento global tenha efeitos muito nefastos ( para não dizer trágicos) na nossa orla marítima.
“Isso não é para o nosso tempo” –dirão os mais cépticos. Pelo que vou lendo, não estou tão seguro disso. Seja como for deveríamos pensar mais no futuro dos nossos descendentes. Vejo muita gente preocupada em salvaguardar o futuro dos filhos no aspecto material, mas isso de pouco servirá, se o país onde eles vão viver não lhes proporcionar as condições de vida essenciais para o seu bem estar.
Finalmente, vale a pena lembrar que em Copenhaga houve efectivamente um grande derrotado: Obama. Incapaz de convencer o Senado da necessidade de serem tomadas medidas urgentes para salvar o Planeta, refugiou-se num discurso defensivo, muito semelhante ao de Bush em questões ambientais. E houve também um grande vencedor: o egoísmo.
A próxima etapa será no México, já em 2010. Tenhamos esperança que os líderes mundiais ganhem juízo até lá.

Parabéns

Aos benfiquistas por uma vitória sem mácula. Espero ser retribuído em Maio, mas reconheço que agora será muito difícil.