segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Pronúncia do Norte (19)

BURRO= = DIVÃ ( articulado)

Nunca percebi a razão de se chamar Burro a um divã articulado, mas sei a razão desta escolha para hoje. Daqui a uns dias, vocês também vão perceber

Vamos ao circo? Ou preferem as touradas?...


Como todas as crianças gostava de circo. Gostava dos palhaços, dos trapezistas, dos malabaristas e de todo o ambiente em volta. Mas- excepção feitas aos cãezinhos- nunca gostei de ver animais a animar as tardes de férias de Natal. Impacientava-me, torcia-me na cadeira , não parava quieto. Sofria com os animais, porque imaginava os maus tratos a que deviam ter estado sujeitos para fazerem aquelas habilidades.
Um dia, alguém me disse que os leões, tigres, panteras e outros animais selvagens eram drogados antes de entrara em pista, mas nunca acreditei muito nisso. Olhava para eles como prisioneiros e escravos que foram obrigados, à força da chibata, a obedecer ao dono. Saúdo, por isso, a entrada em vigor da lei que restringe a compra e reprodução de animais circenses. Sinto, porém uma amargo de boca. A lei parece-me incompleta, porque não contempla as touradas, onde os animais são barbaramente torturados, perante o gáudio da multidão.
Eu sei que vão dizer-me que as touradas são uma tradição secular. Peço desculpa, mas não aceito essa justificação, nem que me digam que é uma arte e se trata de uma luta entre homem e touro ( com o sem cavalo de permeio) . Uma tradição não justifica a barbárie das touradas, a luta é desigual, não faz qualquer sentido e se aquilo é arte, eu manifesto-me desde já artisticamente analfabeto.
Prevejo discussões animadas sobre este assunto na caixa de comentários, pelo que deixo desde já aqui uma notícia. Em Espanha, as touradas de morte são igualmente uma tradição, mas na Catalunha ( cada vez mais europeia e menos ibérica) as touradas estão em vias de extinção. As associações de defesa dos direitos dos animais cumpriram a sua parte, mas o orgulho catalão foi determinante para acabar com o espectáculo.