quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Isto é muito divertido!

Eu vi, eu vi, eu vi, o Sócrates a telefonar para a TVI para despedirem a Manuela Moura Guedes. Eles aceitaram, mas puseram uma condição. Antes de a despedirmos, ela vai dar uma entrevista ao "Público" a dizer que se acabarem com o brinquedo dela estão a ser estúpidos.
Foi assim que lançaram esta confusão toda, para distraírem os portugueses dos assuntos que são importantes para o país. Agora andam todos a discutir este caso e a ouvir as trocas de acusações. No dia 27 de Setembro, quando forem votar, fazem um sorteio antes para se decidirem onde vão pôr a cruzinha.
Abençoada hora em que vim para este país. Já não me divertia tanto desde o tempo em que os alemães votaram no Hitler. ( Não devia ter escrito isto, assim vocês ficaram a saber que sou uma velhota!)

Recordações de férias

Olá, amigas e amigos do Rochedo!
Estavam cheios de saudades minhas, confessem lá...
Pois já cheguei no domingo, mas estive estes dias em conversa como Carlos e a Brites, para discutir como vamos ocupar o nosso espaço daqui em diante. Trouxe uma recordação para o Carlos e um cha+péu novo para a Brites, mas ela não gostou. Mesmo assim agradeceu e ficou até emocionada.
Foi por causa das recordações de férias que me lembrei de escrever este post. É grande, mas espero que leiam tudo até ao fim.


O período de férias, por ser curto, nos permitir quebrar as rotinas e conhecer outras culturas, é propício a ser guardado no baú das nossas recordações das formas mais variadas. Se, para alguns, a fotografia é suficiente para captar os momentos mais marcantes de umas férias, a maioria não dispensa trazer os “ex-libris” das cidades que visita, em réplicas mais ou menos bem amanhadas e que servem não só para perpetuar a memória de uma visita, mas também para distribuir a alguns amigos como recordação.
Fruto da necessidade de satisfazer o desejo consumista da maioria dos turistas, as recordações são normalmente “monos” mal amanhados cujo destino final, ao fim de algum tempo é, para aqueles que muito viajam, um lugar na arrecadação ou no caixote do lixo. Mas se trazer de Paris uma Torre Eiffel em latão cobreado, ou de Nova Iorque uma Estátua da Liberdade luminosa, não acarreta maiores males do que um desperdício aceitável, e pode servir para matar a fome a alguns vendedores ambulantes que têm nos turistas a garantia do seu sustento, o mesmo não se pode dizer de outro tipo de recordações que cada vez mais parece agradar aos turistas.
Refiro-me a peles de animais- seja em forma de peças de vestuário ou simples adereços- plantas, corais, marfins e até - imagine-se! – animais vivos que vão de pequenos primatas a pitons. (Espero que nenhum de vocês pense em levar-me de recordação para vossas casas… se quiserem levem antes a Brites que eu até agradeço).
Há que ter algum decoro e evitar trazer este tipo de recordações que ameaçam destruir a biodiversidade e põem em risco algumas espécies. È certo que hoje em dia o comércio e o lucro comandam a vida, mas não é preciso exagerar!
Por inconsciência, ou ignorância, alguns turistas incorrem em ilegalidades que lhes podem provocar amargos de boca na hora do regresso. Dêmos alguns exemplos:
Está de visita a um país africano e sentiu-se atraído por aquelas peças de xadrez em marfim, ainda por cima tão barato?
O melhor é esquecer, pois trazer marfim para a Europa é ilegal desde 1997 e pode ter algum dissabor quando entrar nas fronteiras do espaço Schengen.
E se as tartarugas gigantes da Malásia o deixaram encantado, porque razão não as deixa estar sossegadas em vez de pensar logo em trazer como recordação uma, empalhada? E mesmo que a tentação se reduza a uns óculos de sol ou um simples pente, feitos à custa do animal, o melhor é ter cuidado, pois para além de outros contratempos, pode ver esse produtos confiscados. Além do mais, se parar um minuto para pensar... chegará à conclusão que o seu “ pequeno” prazer, custa a vida a milhões de animais que anualmente são sacrificados para satisfazer os gostos dos turistas.
E já agora, se vai partir amanhã para as Maldivas e encantar-se com os maravilhosos corais, aconselho-o a tirar fotografias e resistir à tentação de trazer um para casa. É que os recifes de corais são sistemas VIVOS de que dependem muitas espécies marinhas e o leitor também não gostou que lhe tirassem do prato o “jaquinzinho” , pois não?
Então, saiba comportar-se... mas se não resistir a trazer um exemplar, informe- se antes se está perante uma espécie cuja entrada no espaço europeu é permitida, desde que sob licença especial. É que se assim não for, arrisca-se a que o coral lhe saia mais caro do que as suas férias.
Se o leitor aprecia mais o género “tudo o que mexe” e se deixou encantar por um pequeno sagui, pense no seguinte:
-VAI TIRAR UM ANIMAL DO SEU HABITAT E DO SEU QUADRO FAMILIAR!
Gostava que lhe fizessem o mesmo a si? Se gosta assim tanto de animais, ouça um bom conselho: deixe os papagaios, araras, macacos, camaleões, tartarugas e similares em paz, e quando regressar de férias delicie-se a ver os programas sobre a Natureza exibidos em diversos canais!
Pronto, já sabia!!! Agora que o convenci a desistir dos animais... deixou-se embeiçar pelas plantas! E logo por uma espécie protegida... Olhe, traga mas é um exemplar artificial que faz o mesmo efeito e não consome água!
Agora a sério! Saiba que a Convenção CITES ( Comércio Internacional das Espécies, da Fauna e da Flora Selvagem ameaçadas de extinção) impõe normas restritivas à comercialização de cerca de 30 mil espécies de animais e plantas.
Mas se o leitor é daqueles que acha que nunca vai ser apanhado em contravenção, pelo menos pense neste Planeta lindo em que habita, agradeça as maravilhosas dádivas da Mãe Natureza e não contribua para as destruir. Ao menos durante as suas férias resista aos apelos consumistas e pense um bocado na Terra.
Não é de opinião que os seus filhos apreciarão mais poder ver as maravilhas que existem do que ouvir os relatos saudosos dos pais e dos avós acerca de uma realidade de que já não podem usufruir?
Seja generoso com os seus filhos e deixe-lhes como legado um presente que eles vão adorar: um Planeta fantástico dotado de uma natureza exuberante. Valeu?

Sugestão do dia

Sabor de Maboque