terça-feira, 25 de agosto de 2009

Memories- a canção do dia (28)

"...Oh ja, das wäre schön, bei dir zu sein,
Mit dir zu gehen.
Doch, ich bin einsam, bin immer einsam
Und ich frag mich : Warum ? Sag, warum ?"
(Camillo)

Tenho quase a certeza que ninguém conhece esta canção, mas escolhi-a para canção do dia por duas razões muito especiais. Em primeiro lugar, porque a minha amiga Petra W. faz hoje anos e depois, porque esta foi uma das canções da minha vida. Passo a explicar:
Comecei a falar francês, inglês e espanhol muito miúdo. Aos 10 anos já me fazia entender, traduzia as letras de algumas canções para os meus amigos e fazia uns brilharetes.
Um dia, a minha irmã trouxe-me de presente, de uma viagem à Alemanha, esta canção que estava nos tops. De imediato percebi que gostava dela, mas não entendia patavina. Apenas sabia que aquela canção tinha alguma coisa a ver comigo, porque mexia com a minha sensibilidade.
Tentei encontrar quem ma traduzisse, mas não encontrei. Em Outubro, quando entrei para o liceu, pedi a um professor de alemão que me traduzisse a canção. Ele não a conhecia, ficou intrigado com a minha curiosidade mas, depois de a ouvir, disse-me que aquelas palavras não tinham interesse nenhum para a minha idade. Fiquei furioso, claro, mas no Verão seguinte conheci a Petra W, que finalmente me traduziu. (Ainda hoje não percebi por que razão o tal profesor não me fez a tradução, mas enfim...)
Ouvi esta canção muitas vezes. Até cansar. Muitos anos depois, dei por mim a fazer a mesma pergunta. Vidella - o abstruso ditador argentino- explicava-me, da forma mais cruel, que aquela canção tinha algo a ver com a minha vida. Por isso não me cansei de a ouvir. Ainda hoje tenho aquele pequeno 45rpm de capa branca e letras azuis na minha discoteca de vinil.
Sag Warum, é a canção do dia. Escutem e digam se sentem alguma coisa especial. Creio bem que não...

Rochedo das Memórias (120)

Faz hoje 21 anos, ardeu o Chiado. Não estava em Portugal mas, quando soube da notícia, não pude conter as lágrimas. Como se estivesse a arder um bocadinho de mim.

Amélia dos olhos doces*

Já se sabia que, com o fim da crise, o preço do barril de petróleo subiria. Poucos admitiriam, porém, que vidas humanas pudessem ser trocadas pelo ouro negro. A Escócia ( ao que consta incitada por esse “grande socialista” Gordon Brown) libertou o autor do atentado de Lockerbie. Oficialmente, o governo escocês justificou a libertação do autor material da morte de 270 pessoas, alegando razões humanitárias. Al-Megrahi sofrerá de um cancro em fase terminal. A razão, porém, parece ser bem mais prosaica. Al- Megrahi terá sido libertado em troca de petróleo.
Ao chegar a Tripoli foi recebido como herói nacional por esse campeão dos direitos humanos que é Muhamar Kadhaffi. A Escócia e o Reino Unido acabam de dar um belíssimo incentivo ao terrorismo. Depois queixem-se…
* "Amélia dos olhos doces" é fruto de uma outra dupla da música portuguesa que funcionava na perfeição: Carlos Mendes/Joaquim Pessoa.
A canção não tem (quase) nada a ver com o post, mas apeteceu-me fazer de conta que sim...

Memories- a canção do dia (27)

Eu sei que já estava a tardar, mas ele não andava esquecido!
Bob Dylan é o cantautor da canção de hoje: Blowing in the wind.
Vem a propósito, porque vou passar o dia num local normalmente muito ventoso...