domingo, 16 de agosto de 2009

Ó p'ra mim, tão solidária...

Compreendo a reacção do Sebastião. Se estivesse no lugar dele, também não gostava e era capaz de não reagir muito bem. Mas como sei que ele lê o Rochedo mesmo em férias ( não lhe gabo o gosto, mas isso é lá com ele…) quero enviar-lhe uma mensagem.
Não faças fitas, nem te armes em vítima. Volta lá para o Rochedo e bem depressa, porque estou ansiosa por te conhecer. Vais ver que ainda nos vamos tornar bons amigos e já esqueci que me chamaste galdéria.
Entretanto, envio-te esta lembrançazinha, com que fui contemplada.
Não fiques invejoso, amigo, cada um é para o que nasce e eu nasci para ser talentosa.